Caso Banco do Brasil: hoje, 09/02, é o último dia para enviar sugestões de reparação ao MPF

Durante consulta pública, população em geral, entidades e movimentos sociais podem enviar propostas por meio eletrônico

Procuradoria da República no Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal (MPF) receberá até 9 de fevereiro contribuições da população em geral, de entidades e de movimentos sociais sobre como o Banco do Brasil poderá reparar sua participação no tráfico de pessoas negras no século 19. A consulta pública é parte integrante do inquérito que tramita no MPF e tem por objeto Tráfico de Pessoas Negras Escravizadas e o Banco do Brasil: Direito à Reparação. As sugestões e propostas podem ser enviadas por meio de protocolo no MPF – fazendo referência ao inquérito (IC 1.30.001.004372/2023-13) – ou para o e-mail da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Rio de Janeiro (PRDC/RJ), no endereço eletrônico prrj-prdc@mpf.mp.br. (mais…)

Ler Mais

África aumenta pressão por indenização pela escravidão

Líderes criam frente unificada para demandar dos países escravocratas compensação por captura, tráfico e exploração de milhões de pessoas nos séculos passados. Cifras são estimadas em trilhões de dólares.

Por Benita van Eyssen | Isaac Mugabi, na DW

“É hora de a África, cujos filhos e filhas tiveram suas liberdades restringidas e foram vendidos como escravos, também receber compensação”, disse o presidente de Gana, Nana Addo Akufo-Addo, em uma conferência sobre reparação realizada neste mês na capital do país, Acra. A demanda de Akufo-Addo por indenização pelos milhões de africanos vendidos como escravos e por outras injustiças da era colonial impostas ao continente integra uma crescente pressão mundial por reparação. (mais…)

Ler Mais

Audiência Pública na Portela: Líder quilombola pede debate sobre dívida do Estado com o povo negro

Elias José se posicionou durante pedido de perdão do Banco do Brasil

Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

Elias José Alfredo, do Movimento Nacional Quilombo Raça e Classe, classificou como um momento histórico de grande relevância para a militância do povo negro o posicionamento do Banco do Brasil que, em carta aberta aos movimentos negros, pediu perdão pela participação da instituição financeira no processo de escravidão do povo negro no país. No entanto, para ele, o debate tem que ser em relação à divida do Estado brasileiro com o povo negro. (mais…)

Ler Mais

Presidente do BB pede ‘perdão ao povo negro’ por atuação do banco durante período de escravidão

Banco anunciou ações para promover igualdade e inclusão racial. Tarciana Medeiros, primeira mulher negra a presidir instituição, pediu desculpas por versões anteriores do BB.

Por g1 — Brasília

A presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, primeira mulher negra a presidir a instituição, pediu desculpas neste sábado (18) pela atuação do banco durante o período de escravidão no país. Em nota, a declaração da presidente do banco veio acompanhada do anúncio de ações para promover a igualdade, a inclusão étnico-racial e combater o racismo estrutural no país. Veja abaixo. (mais…)

Ler Mais

Um vespeiro histórico. Por Eliana Alves Cruz

Quem usufruiu e ainda desfruta dos lucros saídos dos porões dos tumbeiros?

No ICLNotícias

Façamos um exercício de fabulação. Imagine que em vez de acordar uma barata, como o personagem de Franz Kafka no livro Metamorfose, você acordou hoje transformado em uma nota de dinheiro. Digamos que você, leitor, que você, leitora, são moedas. Isso mesmo. Não há nada de estranho, pois esta era a condição de qualquer pessoa escravizada nas Américas e Europa modernas e, como capital no sistema econômico nascente, sua função principal não era carregar água, lavar, cozinhar ou servir. Sua principal função na vida era dar lucro para quem, literalmente, te possuía de papel passado. (mais…)

Ler Mais

Banco do Brasil tem 15 dias úteis para se posicionar junto ao MPF sobre ‘inquérito da escravidão’

Tania Pacheco

Um mês após notificar o Banco do Brasil (BB) quanto à instauração de um inquérito civil público para investigar a relação do banco e de seus acionistas com a escravidão, em 27 de setembro, o Ministério Federal (através da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão no Rio de Janeiro) reuniu-se ontem, 27/10, com representantes da instituição. Participaram também da reunião sete dos 14 historiadores que propuseram a ação ao MPF e representantes dos ministérios da Igualdade Racial e da Cidadania e Direitos Humanos e da OAB.

Segundo a PRDC, nos últimos anos vem ganhando força um movimento internacional por reparação histórica de grandes instituições que participaram da escravidão, e a iniciativa tem por objetivo “promover a reflexão sobre o tema para garantir que crimes contra a humanidade como esse jamais se repitam”. Como está dito no inquérito aberto, (mais…)

Ler Mais

Procurador Julio Araujo: “É necessário reconhecer, revisitar a História e buscar formas de reparação”

Tania Pacheco

Procurada por um grupo de historiadores e professores universitários, que vinham pesquisando as relações do Banco do Brasil com a escravidão nos seus primeiros anos, a partir de 1808, a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF no Rio de Janeiro assumiu o desafio: investigar a questão e buscar a necessária reparação.

Se entre nós a associação do Banco à escravização causou manifestações de surpresa, a verdade é que a responsabilização de pessoas, governos e instituições quanto ao tema já se tornou algo corriqueiro em muitos os países. Tanto que a decisão do Ministério Público brasileiro foi noticiada positivamente em veículos como a BBC Brasil, o jornal inglês The Guardian, o francês Le Monde, o espanhol El País, o belga La Libre, a francesa TV5 Monde e, em podcast, a BBC britânica (a partir de 27:25). (mais…)

Ler Mais