A Amazônia não é nossa, por Eliane Brum

No El País Brasil

A mobilização que levou Michel Temer (PMDB) a reverter a decisão de abrir a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) para a exploração de mineradoras mostra que a Amazônia segue com forte poder simbólico no imaginário dos brasileiros. É também pelo desmatamento da Amazônia que Temer tem apanhado no exterior e tropeçado nos números, cometendo uma gafe atrás da outra. É bastante significativo que as principais derrotas simbólicas do grupo que hoje ocupa o poder executivo e domina o legislativo no Brasil estejam relacionadas à Amazônia. Mas é fundamental perceber que nenhum destes constrangimentos, dentro ou fora do país, estancou o processo concreto e acelerado de privatização das terras públicas na maior floresta tropical do planeta nem freou a crescente violência contra camponeses e povos tradicionais. Para compreender o que acontece na Amazônia hoje é necessário não apenas o famoso “follow the money” (“siga o dinheiro”), mas também outro movimento: siga o sangue. (mais…)

Ler Mais

Em assembleia, mulheres Guaranis e Kaiowas reafirma a continuidade da luta pela terra

Ao final do encontro foram elaboradas diversas cartas denunciando a atual situação do povo Guarani e Kaiowá. Os documentos também detalham as principais reivindicações deste povo, principalmente no que diz respeito às mulheres.

Da Página do MST 

Entre os dias 18 e 22 de setembro de 2017 ocorreu no Tekoha Kurusu Amba, município de Coronel Sapucaia, distante cerca de 400 quilômetros de Campo Grande, MS, a V Kuñangue Aty Guasu – Assembleia das Mulheres Guarani e Kaiowá. A atividade contou com a participação de, aproximadamente, 600 pessoas entre mulheres, jovens, crianças, nhanderu e nhandesi do povo Guarani e Kaiowá de todos os tekoha do estado.
(mais…)

Ler Mais

Missão do CNDH visita comunidades quilombolas do Oeste do Pará

Com o objetivo de identificar violações de direitos humanos em territórios quilombolas da região de Santarém (PA) e mediar soluções, o Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) visita o local nesta semana, entre 2 e 5 de outubro.

Por MDH, na CPT

Nesta semana, de 2 a 5 de outubro, o Grupo de Trabalho “Direitos dos Povos e Comunidades Quilombolas”, do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH), realiza mais uma missão com a finalidade de verificar as situações de violações de direitos humanos em territórios quilombolas e propor soluções às questões identificadas. (mais…)

Ler Mais

Do antipetismo ao falso moralismo: Como manter a influência pelo medo, por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

A queda de Dilma Rousseff e a retirada de seu partido do poder levaram a determinados grupos e movimentos que construíram sua identidade no antipetismo a procurarem outro ”inimigo” para poderem manter sua influência sobre uma parte do público que os segue desde o processo de impeachment. Ao que tudo indica, esse novo fator agregador tem sido uma visão distorcida da sexualidade, o que pode se verificar pelas acusações infundadas de crimes sexuais envolvendo artistas nas últimas semanas. Isso pode se transformar em uma espécie de ”macarthismo tupiniquim”: que, ao invés de acusar inimigos de comunistas, como ocorreu nos Estados Unidos da década de 50, encontram pedofilia em todos os lugares. (mais…)

Ler Mais

Garimpeiros armados ameaçam assentados no Tapajós

Movimento Xingu Vivo para Sempre

Um grupo de garimpeiros armados ameaçou nesta quinta, 28, ribeirinhos e assentados do Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Montanha e Mangabal, localizado no município de Itaituba, no Pará. As comunidades do PAE, localizado às margens do rio Tapajós, foram uma das forças de oposição à construção da hidrelétrica de São Luis do Tapajós e têm sido sistematicamente acuados por garimpeiros, madeireiros e outros invasores que exploram ilegalmente recursos naturais na região. “Os garimpeiros estão revoltados. Ameaçaram todo mundo, armados”, denuncia um ribeirinho. (mais…)

Ler Mais

“O poder público só nos vê quando a gente tomba”

Nossa reportagem foi até Ananindeua para investigar por que essa é a cidade que mata mais mulheres no Brasil

Por Andrea Dip e Bruno Fonseca, da Agência Pública

A sala está quente, abafada. O pequeno ventilador que gira no canto da mesa não dá conta de vencer os quase 40 oC que o termômetro marcava naquele começo de tarde no Pará. Os minutos de silêncio, timidez e hesitação precedem o peso dos depoimentos que viriam a seguir. Cada mulher sentada naquela roda sabe que não será fácil reconstituir as lembranças da violência sofrida durante anos. Algumas delas ainda vivem com seus agressores. (mais…)

Ler Mais

FPI/SE: Comunidade quilombola em Brejo Grande será beneficiada por estrada

Hoje, a comunidade é isolada. Caminhões e veículos de grande porte não conseguem chegar ao local

Por FPI/SE, no MPF

O vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Maciel Oliveira, garantiu aos moradores da comunidade quilombola Brejão dos Negros a construção de estrada na localidade. Será aproximadamente 1km de estrada no povoado Resina, localizado no município sergipano de Brejo Grande. A obra vai beneficiar os moradores que sofrem efeitos da salinização das águas do Rio São Francisco, pelo avanço da cunha salina. (mais…)

Ler Mais

Empresas se recusam a pedir desculpas a indígenas por danos de usinas no Teles Pires

Apesar de acordo assinado com MPF e Funai durante a ocupação aos canteiros de obras da usina de São Manoel, representantes não compareceram

Ministério Público Federal no Pará

Cerca de 150 indígenas da etnia Munduruku se reuniram semana passada na aldeia Missão Cururu, no rio Cururu, em Jacareacanga, no Pará, a cerca de 1,7 mil quilômetros da capital, Belém. Mulheres, caciques, guerreiros, pajés, cantores e crianças se dividiram em dezenas de embarcações que partiram de vários pontos do território Munduruku, levando peixe e farinha para garantir a alimentação de todos durante uma audiência pública em que eram aguardados representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Ministério Público Federal (MPF) e das empresas donas das usinas Teles Pires e São Manoel, construídas no rio Teles Pires, no Mato Grosso. Ao chegarem na aldeia, entre os dias 28 e 29 de setembro, souberam que a Funai não enviou representantes e as empresas, em vez de comparecerem, enviaram ofícios ao MPF em que recusaram responsabilidade pelos danos aos indígenas. A ausência das empresas e da Funai foi recebida com revolta. (mais…)

Ler Mais

Integrantes do Conselho Popular Entregam Ofício com Contribuições ao Plano Estratégico do Crivella

Luisa Fenizola – RioOnWatch

O Conselho Popular, instância composta por moradores de diversas favelas cariocas, juntamente à Pastoral das Favelas a ao Núcleo de Terras e Habitação (NUTH) da Defensoria Pública, realizaram na sexta-feira, dia 29 de setembro, um ato para marcar a entrega de um ofício à prefeitura de Marcelo Crivella com suas contribuições ao Plano Estratégico, referentes às metas de habitação e urbanização de favelas (metas No. 73 até 77). A data marcou o último dia previsto para a consulta popular com relação ao Plano, e a entrega do ofício veio reforçar que os canais disponibilizados pela prefeitura foram insatisfatórios para o recebimento de contribuições por parte dos cidadãos. (mais…)

Ler Mais