O avanço da bancada ruralista é ruim para o País

por Rui Daher, Carta Capital

Devo aos leitores do site duas notícias sobre a agricultura brasileira. Uma boa e outra ruim. Primeiro, a boa: estudo BNDES e Embrapa (título e autores já citados aqui) mostra a possibilidade de economizarmos mais de um bilhão de dólares anuais, caso se incentive o uso de resíduos orgânicos/organominerais na agricultura, reduzindo as maciças aplicações de agroquímicos, de que somos 80% dependentes de importação. A ruim: o avanço em número e força da ação deletéria da bancada ruralista no Congresso Nacional. (mais…)

Ler Mais

Governo Temer Condena os Guarani por Crimes do Estado Brasileiro – Nota do Cimi sobre a Portaria 683/17 do Ministério da Justiça

Cimi

É injusta, discriminatória, vergonhosa e genocida a iniciativa do governo Temer, por meio do Ministro da Justiça Torquato Jardin, de anular a declaração de tradicionalidade Guarani da terra indígena Jaraguá, no estado de São Paulo. Ao anular a portaria 581/15, que reconhece como de posse permanente dos Guarani uma área aproximada de 512 hectares, por meio da Portaria 683/17, publicada neste 21 de agosto, o governo Temer condena mais de 700 Guarani a viverem confinados em 03 hectares de terra, espaço flagrantemente insuficiente para os mesmos viverem de acordo com seus usos, costumes, crenças e tradições.  (mais…)

Ler Mais

ArpinSul e Comissão Guarani Yvyrupa repudiam anulação de demarcação da TI Jaraguá pelo MJ

Cimi

O Ministério da Justiça publicou nesta segunda-feira, 21, uma medida no Diário Oficial da União onde anula a demarcação da Terra Indígena Jaraguá, do povo Guarani Mbya e localizada na região metropolitana de São Paulo. A portaria declaratória havia sido publicada em 29 de maio de 2015 com 512 hectares, reparando os erros da primeira homologação, oficializada em 14 de abril de 1987, que então garantiu apenas três hectares do território tradicional aos indígenas – os Guarani, porém, ocupam menos de dois hectares e vivem “numa situação de confinamento”. (mais…)

Ler Mais

Nova gafe sugere que Michel Temer matava aulas de geografia, por Leonardo Sakamoto

Blog do Sakamoto

Não é necessário decorar as 35 capitais dos países do continente americano para ser presidente da República no Brasil. Nem saber quantos países tem a África. Muito menos os nomes de todos os desertos do mundo. Ou quais nações ostentam bandeiras que não são retangulares. Talvez os rios da margem direita do Amazonas, mas talvez nem isso. (mais…)

Ler Mais

Pesquisador explica por que agrotóxicos são principais culpados por desaparecimento de abelhas

Lionel Gonçalves afirma que risco de um mundo sem abelhas já está próximo; geneticista que criou a campanha ‘bee or not to be’ aponta utilização de pesticidas com nicotina

Por Izabela Sanchez – De Olho nos Ruralistas

De Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, o professor Dr. Lionel Segui Gonçalves conquistou renome ao redor do globo ao se especializar em abelhas. Professor aposentado da Universidade de São Paulo (USP), o geneticista não traz boas notícias. Há mais de 10 anos as abelhas têm desaparecido em diversos países do mundo. E qual o principal culpado? Segundo o especialista, o uso indiscriminado de agrotóxicos. (mais…)

Ler Mais

Cerca de 7 mil indígenas ocuparam ruas e rodovias de 13 estados contra o marco temporal

Por Renato Santana, da Assessoria de Comunicação – Cimi

“Nós somos a raiz de vocês. Se morrermos, vocês também morrem porque nós somos a raiz”, dizia um cartaz empunhado por crianças Kaingang da Terra Indígena Ventarra, no Rio Grande do Sul. Os indígenas protestavam em trecho da RS-135, no início desta semana, contra a tese do marco temporal – principal argumento da Procuradoria do Estado do RS na Ação Civil Ordinária (ACO) 469 visando impugnar no Supremo Tribunal Federal (STF) a demarcação da TI Ventarra. (mais…)

Ler Mais

O antropólogo do STF: o Gilmar está pra peixe? por José Ribamar Bessa Freire

No Taqui Pra Ti

Malgrado meu desejo / De declarar-te irmão / E contigo fruir /Alegrias fraternas
Só tenho para dar-te / Em turvo condomínio / O pesadelo urbano / De fornos e fúrias.
(Carlos Drummond de Andrade – Kreen-Akorore, 1977)

Com os olhos rútilos e com a boca de arapapá espumando palavras em esguichos crepusculares, o ministro Gilmar Mendes proferiu seu voto na sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) da última quarta (16), na qual deu uma senhora aula de antropologia. Revelou os procedimentos que usa para entender os índios e que enriquecem a abreugrafia – método etnográfico criado por uma colega sua. Definiu critérios de indianidade. Questionou a etnogênese. Pontificou sobre demarcação de terras indígenas e lembrou sua infância em Diamantino (MT) quando jogava futebol com os Pareci. (mais…)

Ler Mais

Homologada em 2005, Reserva Raposa Serra do Sol volta a pautas discussões sobre terras indígenas

Por Tomás Chiaverinni , no The Intercept Brasil

“Foi aqui que ele caiu”, disse o menino índio de oito ou nove anos, mostrando uma mancha vermelho-escuro sobre o capim. Ele havia me guiado até ali por uma trilha, apontando um rastro de gotas de sangue enquanto caminhava. O wapixana baleado, irmão do cacique, havia sido levado ao hospital na caçamba de uma caminhonete. Estava internado em Boa Vista, em estado grave, mas sobreviveria. (mais…)

Ler Mais

Terras Indígenas: o que o STF decidiu

Análise do julgamento desta semana revela: o famigerado “Marco Temporal”, que bloqueia demarcações, foi afastado — mas apenas indireta e provisoriamente

Por Leila Saraiva Pantoja*, no Outras Palavras

No último dia 16, o Supremo Tribunal Federal (STF) discutiu duas ações que contestavam a demarcação de terras indígenas no país, com pedido de indenização por parte do estado do Mato Grosso pela demarcação do Parque do Xingu e das terras Pareci e Utiariti (povo Pareci) e Nambikwara, Salumã e Tirecatinga (do povo Nambikwara). A decisão foi unânime: 8 votos a 0 pela improcedência das ações. (mais…)

Ler Mais

Os povos indígenas, emparedados pela crise política no Brasil(1), por Manuela Carneiro da Cunha

No blog da APIB

Após duas décadas de ditadura militar, a Constituição de 1988 consagrou os direitos humanos e a proteção do meio ambiente. Apelidada de Constituição Cidadã, expressou a esperança de um regime de justiça e democracia. Trinta anos depois, ela já sofreu múltiplas distorções: seus termos não são observados e, mais grave ainda, emendas constitucionais e outras normas tentaram desfigurá-la. (mais…)

Ler Mais