BA – Líder do Movimento de Resistência Camponesa é morto a tiros

Crime foi na noite desta terça-feira (31) e a polícia está investigando a autoria e causas

Por Genildo Lawinscky, Agora na Bahia

A polícia ainda não tem detalhes que indiquem as circunstâncias da morte de Alexsandro dos Santos Gomes, o Sandro, ocorrida na noite desta terça-feira (31), na localidade de São Francisco do Paraguaçu, distrito de Cachoeira, no Recôncavo Baiano. Sandro era apontado como líder do Movimento de Resistência Camponesa (MRC). O pai dele, também foi ferido com um tiro.

De acordo com as primeiras informações, Sandro teria sido morto por disparos feitos por cinco homens que estavam à bordo de uma embarcação que saiu de Maragogipe pelo Rio Paraguaçu e, após o crime, retornaram pelo mesmo rio. Sandro e o pai dele estavam em Iguape, que fica a 40km do centro de Cachoeira e que faz parte de São Francisco do Paraguaçu.

O pai de Alexsandro, Antoniel Cerqueira Gomes, foi ferido com um tiro no pé, medicado e logo liberado. O corpo de Alexsandro foi levado para perícia no Departamento de Polícia Técnica.

Equipes de policiais militares e civis foram deslocados para o local do crime, retornando nas primeiras horas desta manhã de quarta-feira. Até pouco depois das 8h30 ninguém da família das vítimas tinha comparecido à Delegacia de Cachoeira para dar informações e levar a polícia a ter ideia da possível motivação do crime.

A comunidade remanescente de quilombo de São Francisco do Paraguaçu fica às margens da Baía do Iguape, no Rio Paraguaçu, distante 110 km de Salvador por via terrestre. Em São Francisco do Paraguaçu, cerca de 300 famílias vivem da agricultura de subsistência, da pesca, da coleta de marisco e do extrativismo da piaçava.

Imagem: Alexsandro, em foto de 2011 (Reprodução: Gazeta da Bahia)

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Íris Morais Araújo.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

quinze − 2 =