MST repudia ataque ao MTST

São trabalhadoras e trabalhadores em busca da moradia digna, na sua grande maioria desempregados, afetados pela grave crise econômica.

Da Página do MST 

A ocupação Povo Sem Medo, de São Bernardo do Campo, sofreu um ataque a tiros na tarde deste sábado (16). Os disparos vieram de um condomínio de alto padrão que fica ao lado do terreno. Audinei Serapião da Silva foi atingido com um tiro no braço e socorrido no pronto socorro central da cidade. Ele foi operado para que houvesse a retirada do projétil e passa bem, permanecendo em observação até este domingo. Em nota, o MST solidariza-se com os trabalhadores e exige que o prefeito Orlando Morando (PSDB) mantenha um canal de diálogo e negociação com o MTST, para atendimento da pauta.

Confira: 

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vem a público expressar total indignação diante da tentativa de massacre ocorrida no último sábado (16) contra o Acampamento Povo Sem Medo, ligado ao  Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), no município de São Bernardo do Campo em São Paulo.

Desde o dia 2 de setembro foi ocupado um terreno abandonado com cerca de 60 mil m², no município. A área pertence à construtora MZM que já havia sido notificada pela prefeitura em outro período, sobre o não cumprimento da finalidade social do espaço.

A ocupação do MTST fica em frente à empresa Scania e tem como vizinhos prédios e um condomínio fechado. E foi justamente do condomínio, que partiram tiros de armas de fogo disparados a esmo contra o Acampamento. Um trabalhador foi atingido, mas felizmente está fora de perigo.

A ocupação, que iniciou com cerca de 500 famílias, hoje tem sete mil. São trabalhadoras e trabalhadores em busca da moradia digna, na sua grande maioria desempregados, afetados pela grave crise econômica.

O judiciário local rapidamente decidiu pela reintegração de posse da área, mas com um recurso no Tribunal de Justiça de São Paulo, as famílias conquistaram o direito de permanecer na área.

Novas famílias não param de chegar. Somente em São Bernardo do Campo, são 90 mil sem teto, e 130 mil em todo ABC.

Exigimos que o prefeito Orlando Morando (PSDB) mantenha um canal de diálogo e negociação com o MTST, para atendimento da pauta. E que os responsáveis por essa odiosa tentativa de massacre, sejam punidos e responsabilizados.

Toda nossa solidariedade às famílias sem teto da Ocupação Povo Sem Medo. Só quem luta, conquista.

PELO FIM DO LATIFÚNDIO NO CAMPO E NA CIDADE!
DIREÇÃO ESTADUAL MST/SP

Imagem: Ocupação Povo Sem Medo de São Bernardo – MTST

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.