No enterro do Jango, o começo de uma caminhada

Elaine Tavares – Palavras Insurgentes

Era o começo de dezembro de 1976. Na pequena cidade onde vivíamos não se falava em outra coisa. Jango estava morto. A notícia se espalhou como um rastilho de pólvora, afinal, São Borja era sua terra-mãe. Em casa, o clima era de profunda tristeza. Nossa vida inteira tinha sido marcada pela presença de João Goulart. Meu pai trabalhava para ele na emissora ZYF-2 Fronteira do Sul desde os anos 60, quando Jango já era o dono da rádio. Com essa marca, de ser uma rádio do Jango, a emissora atravessou os anos de chumbo, sempre vigiada e com os censores à porta.  (mais…)

Ler Mais

Exército diz que existe “uma excessiva compreensão com direitos” no Brasil

Por , The Intercept Brasil

“Existe, hoje, no Brasil, uma excessiva compreensão com direitos”, afirmou oficialmente o Exército Brasileiro ao responder uma série de perguntas enviadas pela nossa reportagem ao Centro de Comunicação da instituição. Os questionamentos – publicados na íntegra abaixo – são parte de uma apuração sobre a intervenção federal no estado do Rio de Janeiro, que é comandada por militares e com prazo mínimo até o final deste ano. (mais…)

Ler Mais

Metais pesados, hormônios e agrotóxicos estão na água que chega às torneiras

Análises apontam contaminação em amostras de fontes de abastecimento de SP, RJ, SC e CE, inclusive de água que passou por estação de tratamento. E as concentrações vão muito além do limite permitido

por Cida de Oliveira, RBA

Medicamentos, hormônios sintéticos, metais pesados como chumbo, cádmio, alumínio e urânio e compostos orgânicos nocivos à saúde e ao meio ambiente, entre eles o agrotóxico glifosato, estão na água aparentemente pura e cristalina que chega às torneiras da população. Provenientes do esgotos doméstico e industrial, além de atividades agropecuárias, despejados em mananciais destinados ao consumo humano, atravessam estações de tratamento que adotam processos inócuos e obsoletos, que seguem protocolos defasados e parâmetros científicos superados. (mais…)

Ler Mais

No Pará, pessoas relatam problemas de saúde após vazamento da bacia da Hydro Alunorte

Pesquisadora associa os sintomas a contaminação das águas causada pelas indústrias ao longo de décadas

Lilian Campelo, Brasil de Fato

Moradores das regiões atingidas pelo vazamento de rejeitos de uma das bacias da mineradora Hydro Alunorte, em Bacarena, noroeste do Pará, relatam que tem sofrido com problemas de saúde. O caso ocorreu no dia 17 de fevereiro. (mais…)

Ler Mais

Na contramão do agronegócio, agroecologia valoriza saberes e garante direitos dos povos

Por Elka Macedo e Fernanda Cruz*, na Asa

Historicamente, as famílias agricultoras, povos e comunidades tradicionais utilizavam práticas agroecológicas em seu cotidiano, de valorização das suas sementes, da sua ancestralidade e identidade cultural. Ao longo dos anos, esse modo de vida, essa relação entre os seres humanos e a natureza, a própria produção dos alimentos foi dando lugar aos grandes monocultivos, maquinário, a produção de alimentos em larga escala. Enfim, a produção de alimentos passou a ser um negócio e a agroecologia, que era a prática dos nossos antepassados, passou a ser uma ‘alternativa’. (mais…)

Ler Mais

Semente de liberdade

Assassinada há exatos dois anos, Berta Cáceres continuará sendo um exemplo de resistência popular ao avanço desenfreado do capitalismo.

No MAB

Há dois anos, em março de 2016, Berta Cáceres foi assassinada por defender os rios. Em Honduras, que é um dos países mais perigosos do mundo para ativistas ambientais, Berta, que era fundadora e a principal liderança do Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (COPINH), lutava contra a instalação da Hidroelétrica Agua Zarca (propriedade da empresa hondurenha DESA) no rio Gualcarque. (mais…)

Ler Mais

MPF ajuíza ações para garantir direito de comunidades Kaingang em Gentil e Água Santa, no Rio Grande do Sul

Ações pedem andamento aos processos de identificação e delimitação de territórios indígenas no norte do estado

Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul

O Ministério Público Federal (MPF) em Passo Fundo (RS) ajuizou duas ações civis públicas (ACPs) pedindo que a Fundação Nacional do Índio (Funai) e a União sejam obrigadas a, no prazo máximo de dois anos, concluir definitivamente o procedimento geral de demarcação de territórios em favor dos índios Kaingang, acampados no distrito de São Miguel do Faxinal em Água Santa (RS) e no distrito de Campo do Meio em Gentil (RS), em virtude da injustificável demora na conclusão dos procedimentos. (mais…)

Ler Mais

Grilagem de terras: Comunidades de Campo Alegre de Lourdes (BA) sofrem ameaças constantes

Famílias camponesas da região do Angico dos Dias, formada por oito comunidades e localizada a cerca de 70 Km da sede de Campo Alegre de Lourdes, Bahia, são alvo, mais uma vez, de ameaças de expulsão do território. Uma grilagem de terras de 83 mil hectares, que abrange a região noroeste do município e parte de Pilão Arcado, está colocando em risco o jeito de viver tradicional das comunidades de fundo de pasto que vivem há várias gerações no local.

CPT Juazeiro

Desde o final de janeiro, as comunidades, que já são impactadas pela mineradora Yara/Galvani, estão vivendo um clima de tensão e insegurança. Segundo os integrantes da Associação de Fundo de Pasto de Angico dos Dias e Açu, pessoas sem autorização estão medindo a área coletiva e ameaçando os/as trabalhadores/as rurais, dizendo que estes não têm terras e que serão expulsos do local. (mais…)

Ler Mais

“Superior Tribunal de Justiça mantém posse da Fazenda Buriti a produtores rurais” [sic]

A área em disputa começou a ser ocupada por indígenas terena em 2003

Por Jones Mário, Correio do Estado

A primeira turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) que determinou a posse de 13 mil hectares de terras em Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti aos produtores rurais. A área em disputa começou a ser ocupada por indígenas terena em 2003, mas o conflito ganhou maior proporção dez anos mais tarde, quando o índio Oziel Gabriel foi morto na Fazenda Buriti. (mais…)

Ler Mais

#2018M: desafios para as lutas das mulheres

A linguagem e as formas de atuação dos coletivos de mulheres da atualidade nascem de um profundo desencanto com os limites da política democrática dos últimos 30 anos. Mas nascem também, de maneira ambivalente, de um ambiente político referenciado pela construção de direitos sociais que se tornou possível com a democratização

Por Flavia Biroli – Blog da Boitempo

A experiência histórica de luta das mulheres é feita da crítica aos limites de sistemas políticos e de direito que as excluem, que as posicionam como corpos que precisam ser regulados ou protegidos, recusando a elas a condição de sujeito. (mais…)

Ler Mais