Insurgências decoloniais e horizontes emancipatórios: Ecologia Política e Libertação

A Rede Latinoamericana de Ecologia Política vem, por meio do Comitê Organizador do III Congresso Latino-Americano de Ecologia Política, convidar a comunidade acadêmica e movimentos a participarem deste evento que acontecerá em Salvador, no estado da Bahia, Brasil, entre 18 e 20 de março de 2019.

O tema deste III Congresso enfrenta o momento turbulento pelo qual passa a América Latina, com a emergência de governos autoritários e neoliberais e a aceleração das políticas extrativistas e de desnacioanlização dos recursos naturais. Frente ao giro reacionário, emergem insurgências decoloniais e lutas que recompõem horizontes emancipatórios. Novas ecologias de resistências que reconfiguram a práxis libertadora.

Com sua força crítica, a Ecologia Política decolonial latino-americana tem sido um paradigma inovador para se resistir ao giro reacionário e fortalecer processos de emancipação e de libertação.​

Tendo lugar neste contexto político de urgência, o Congresso busca criar um espaço de encontros e convergências entre pensamento e práticas emancipatórias, entre acadêmicos, movimentos e ativistas.

Este Congresso presta especial homenagem a Hector Alimonda (1949-2017), que em sua trajetória de vida promoveu o pensamento crítico latino-americano pela ecologia política e a luta contra a “persistente colonialidade que afeta a natureza latinoamericana”. E lembra de lideranças políticas ambientalistas populares que, em seus momentos e com suas forças, souberam construir perspectivas coletivas de lutas ecológicas emancipatórias, em especial Chico Mendes, assassinado há 30 anos, em 1988, Maria e Zé Cláudio (assassinados em 2011), Berta Cáceres (assassinada em 2016).

O Congresso é organizado pelo grupo de pesquisas Ambientes Indisciplinados, na Universidade Federal da Bahia (UFBA) junto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), com apoio do Grupo de Trabalho em Ecologia Política, do CLACSO, e envolve uma rede de colaborações com outras universidades brasileiras (UNILAB, UFABC, UNB, UNIFESP), chilenas (UCN, FAU-UCH) e lideranças de movimentos sociais (MAM, APIB, CNS, CONAQ).

Veja Programação e demais informações AQUI.

Maria do Espírito Santo e Zé Cláudio (assassinados em 2011). O sonho de José e Maria terminou logo após uma ponte, dentro do assentamento, com tiros de escopeta. Foto Felipe Milanez

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

1 × 2 =