Contra o despejo e demolição do terreiro Unzo Atim Kitalodé pela prefeitura de Belo Horizonte

Audiência pública na Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de BH, realizada no último dia 30 de abril, buscou respostas e responsabilidades da Prefeitura de Belo Horizonte sobre notificação para despejo e demolição do terreiro Unzo Atim Kitalodé, localizado no Bairro Álvaro Camargos.

A pedido da Casa e convocada pelo mandato do Vereador Pedro Patrus, a audiência foi marcada pelo auditório lotado pelo povo de matriz africana e pela demonstração de indignação pela desrespeitosa ausência de representantes das áreas de Meio Ambiente, Patrimônio e Cultura da PBH, para que fosse promovido o diálogo para uma solução conciliada do caso. 

O terreiro denuncia racismo institucional e violência simbólica por parte da Prefeitura de BH com a notificação da Regional Noroeste e com o julgamento do processo administrativo que desconsideram a existência do terreiro de matriz africana no terreno. 

A Casa Kitalodé exige respostas e solução com garantia de doação do terreno para a concretização do direito de culto.

Foto: Guiga Guimarães

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Eder Fernandes Santana

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

5 × 1 =