PUC-Rio homenageia Silvio Tendler pelos 51 anos de documentários

A mostra em homenagem aos 51 anos de documentário do cineasta Silvio Tendler começa segunda, dia 3 de junho. Durante quatro dias serão exibidos filmes inéditos e recém-finalizados do cineasta, professor do curso de cinema da PUC-Rio há 41 anos, com Mestrado em Cinema e História pela École des Hautes- Études/Paris VII – Sorbonne, e que em 1977 ministrou um curso pioneiro de Cinema e História na PUC-Rio.

É uma sorte e uma dádiva para o Departamento de Comunicação da PUC-Rio poder exibir em perspectiva essa recente e variada produção do veterano e incansável realizador, que mesmo do alto dos seus 69 anos continua a nos brindar todo dia com um vigor de pensamento, curiosidade, irreverência e espírito crítico e de luta inigualável.

Os quatro filmes escolhidos numa filmografia que reúne mais de 75 obras entre longas, curtas e médias, mostram a versatilidade do documentarista, que estreou em longa-metragem, em 1980, com o estrondoso sucesso de “Os anos JK – Uma trajetória política”, filme que influenciou sua época e foi decisivo para o avanço do movimento das Diretas Já. Apesar de ser reconhecido como o cineasta dos sonhos interrompidos, na atual mostra cada filme fala de um tema diferente, mostrando a diversidade também presente na obra do documentarista associado à história política de seu tempo. Arte e poesia, meio ambiente, urbanização, e ancestralidade, religião e espiritualidade, política e história compõem o núcleo de cada filme, mostrando a profundidade e amplitude dos assuntos visitados pelo realizador nos últimos anos.

“Arqueologia do poeta” sobre o amigo Ferreira Gullar ainda está em processo de finalização, nos últimos acertos para a mostra, “Fio da meada” e “Alma Imoral”, produções terminadas no fim do ano passado, são inéditos no circuito comercial. Enquanto “Militares da Democracia: Os militares que disseram não”, apesar de já exibido na TV e em mostras e festivais, ganha uma nova perspectiva diante do momento político que vivemos.

Depois de cada filme, Silvio receberá convidados ilustres, como o escritor Eric Nepomuceno, o rabino Nilton Bonder e o doutor em Literatura e ex-militar, Ivan Cavalcanti Proença, que não só disse não ao golpe de 64, como defendeu com armas estudantes encurralados no Caco, antiga Faculdade de Direito, próxima ao Campo de Santana.

Aos 51 anos de carreira, Silvio recebe essa homenagem, mas não parece nem um pouco destinado a parar. Além dos três longas recém-finalizados, está em processo de edição de outros quatro filmes para serem lançados ainda esse ano. São eles, “Ibiúna, a primavera brasileira”, “Santiago Alvarez”, sobre o documentarista cubano, “Zéfiro, por tanto leite derramado” e o autobiográfico “Nas asas da PANAM”. Nesses quatro dias de junho, pelo menos, ele irá trabalhar um pouco menos para receber essa justa homenagem de seus amigos e companheiros da PUC-Rio.

Programação

Dia 3, segunda: Alma Imoral (2018, 2h), debate com Silvio Tendler, Rabino Nilton Bonder, Coordenador do Curso de Cinema Ney Costa Santos e Professor Drauzio Gonzaga.

Dia 4, terça: Fio da meada (2018, 1h18m), debate com Silvio Tendler, Jornalista André Trigueiro e os roteiristas do filme Marcelo Firpo e Marina Fasanello

Dia 6, quinta: Os militares que disseram não (2014, 1h40m), debate com Silvio Tendler, o militar que disse não Ivan Cavalcanti Proença, e os professores José Mariani e Leise Taveira.

Dia 7, sexta: Arqueologia do Poeta (2019, 1h43m), debate com Silvio Tendler, o escritor Eric Nepomuceno, a neta de Gullar, Celeste Aragão e a professora Denise Costa Lopes.

Sinopses dos filmes

Alma Imoral

Sinopse

Alma Imoral, dirigido por Silvio Tendler, reflete sobre os conceitos de corpo e alma, tradição e transcendência, obediência e ruptura, através do livro A Alma Imoral, publicado por Nilton Bonder em mais de 30 idiomas. O filme questiona o que acontece quando o “corpo moral” – normalmente apontado como instrumento importante para a preservação da espécie humana – se torna estreito e passa a ser um obstáculo ao futuro  da nossa espécie. Como se dá esse processo imoral de transcendência, de transgressão, para que fronteiras sejam ampliadas? Capaz de romper com os padrões e com a moral, a alma é o componente consciente da necessidade de evolução e resgata a verdadeira possibilidade de imortalidade. Vamos estabelecer pontes entre histórias de personagens da Bíblia que romperam com as tradições em busca de uma nova ordem – como Eva, Abraão, Moisés – e transgressores do nosso tempo em vários campos, como comportamento, ciência,  política. Entrevistamos israelenses que lutam pela paz ao lado de  palestinos, rabinos gays, cientistas que defendem teorias controversas, entre outras  histórias  que  expandem as fronteiras da nossa consciência e produzem a possibilidade de evolução.

TRAILER: https://youtu.be/o2n7GnGMlhU

Fio da Meada

Sinopse

A quem pertencem os bens comuns da natureza? Quem é o dono dos mares, dos rios, das florestas, dos ventos? Quem são os mais prejudicados quando estes bens comuns são apropriados por uma pequena parte da sociedade? Como construir uma  nova  forma de viver que mescle e atualize os saberes ancestrais com as  conquistas  da  Ciência e da Tecnologia, que sirvam à humanidade e não destruam o planeta? O documentário Fio da Meada discute as conexões entre a crise  ecológica  contemporânea, o modelo econômico, as desigualdades sociais e as diversas formas de injustiça ambiental geradas pela exploração das pessoas e do meio  ambiente. Apostamos em três fios que se conectam e tecem solos férteis para o  futuro:  o  território, o alimento e o diálogo entre saberes tradicionais, comunitários e científicos que forneçam sentidos à existência humana.

Militares da Democracia: os militares que disseram não

Sinopse

Eles lutaram pela Constituição, pela legalidade e contra o golpe de 1964, mas  a  sociedade brasileira pouco ou nada sabe a respeito dos oficiais que, até hoje, ainda buscam justiça e reconhecimento na história do país. Militares da Democracia resgata, através de depoimentos e registros de arquivos, as memórias repudiadas, sufocadas e despercebidas dos militares perseguidos, cassados, torturados  e  mortos,  por defenderem a ordem constitucional e uma sociedade livre e democrática.

Arqueologia do Poeta

Sinopse

Arqueologia do Poeta traz um novo olhar sobre a vida e a obra de um dos escritores mais importantes da literatura universal: Ferreira Gullar. Artista de múltiplos talentos, publicou poemas, crônicas, peças de teatro, críticas, participou da reforma gráfica do Jornal do Brasil e foi um atento observador da política brasileira. É através da literatura publicada por Ferreira Gullar, com destaque para o Poema Sujo, escrito durante o exílio, que vamos conhecer José Ribamar Ferreira, desde sua infância até sua morte, em dezembro de 2016. O documentário aborda os turbulentos anos da história recente brasileira e latina, suas memórias em São Luís, a ida para o Rio de Janeiro, a clandestinidade na ditadura brasileira, o exílio em Moscou, em Lima, em Santiago e Buenos Aires. Aborda também a doença dos filhos, a resistência poética contra o  fascismo e a morte, o dia-a-dia das revoluções, as lutas pela redemocratização,  os  amores e dores do autor.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

seis − três =