Em Rondônia, militantes de organizações populares se formam em Educação do Campo

O curso teve início em setembro de 2015 e se encerra com 37 formandos

Da Página do MST

Nesta última quinta-feira (29), aconteceu em Rolim de Moura (RO), pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), o ato de formatura da primeira turma de licenciatura em educação do campo nas áreas das Ciências Humanas e Sociais, com Habilitação em Sociologia, Filosofia e Ciências da Natureza e com Habilitação em Química, Física e Biologia.

A turma é composta por trabalhadores e trabalhadoras de movimentos populares como o MST, o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (Fetagro) e de diversos sindicatos. 

Sobre o período do curso na UNIR, Thaís Luanne, uma das formandas e trabalhadora Sem Terra, diz que foi uma conquista maravilhosa e destaca: “sinto orgulho em ser mulher, negra, Sem Terra e feminista”.

Luanne tirou nota máxima com seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), onde abordou como tema a participação e o processo pedagógico das escolas do campo com as crianças Sem Terrinha. 

O curso teve início em setembro de 2015 e encerra com 37 formandos. A aprovação do curso e a avaliação positiva pelos movimentos, já deu início em 2018 uma outra turma, prevista para ser finalizada em 2022.

A turma é composta por movimentos e organizações populares. Foto: Divulgação MST

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

2 × 5 =