Em parceria com a UnB, MPF promove seminário internacional sobre genocídio indígena

Realizado pela Câmara de Povos Indígenas com o Departamento de Antropologia da UnB, o evento debaterá o genocídio indígena com vistas à sua prevenção e reparação

Procuradoria-Geral da República

Em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), o Laboratório de Indigenismo e Etnologia do Departamento de Antropologia da Universidade de Brasília (Linde/UnB) realizará o “Seminário Internacional Genocídio Indígena” nos dias 25 e 26 deste mês, na capital federal. Com objetivo de promover o debate sobre situações passadas e atuais acerca do tema na América Latina, o evento acontecerá no auditório do Instituto de Ciências Sociais da UnB e será aberto para o público.

Uma parceria com a Câmara de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais (6CCR), o encontro tratará de temas como genocídio e resiliência do povo Avá-Canoeiro do Araguaia, história dos sobreviventes do genocídio de Pilagá, na Argentina, e a luta do povo Kankuamo pós-massacre na Colômbia.

Além disso, o seminário também irá discutir sobre o genocídio e etnocídio em curso contra o povo Guarani-Kaiowá no Mato do Grosso do Sul. O povo tupi foi objeto de recente estudo feito pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), que comprovou que os povos indígenas no Brasil representavam 4% da população em 1872 e hoje foram reduzidos a 0,4%, confirmando a realidade de extinção no último século.

O seminário contará com a participação de indígenas, antropólogos, professores e procuradores do Brasil, Argentina e Colômbia. Não é necessário fazer inscrição para participar do evento.

SERVIÇO

Seminário Internacional Genocídio Indígena

Data: 25 e 26 de setembro

Local: Auditório do Instituto de Ciências Sociais da UnB

Programação:

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

dois + 17 =