CIMI, Cáritas e Prefeituras apoiam pequenos projetos Agroecológicos em aldeias na TI Apinajé

Associação União das Aldeias Apinajé-Pempxà

Em 2018 um projeto da Cáritas Brasileira apoiou a implantação de uma roça de mandioca, macaxeira e milho na aldeia Cocalinho.  O projeto de roça tradicional também teve apoio do Conselho Indigenista Missionário-CIMI, Regional GOTO. Esse projeto visa ajudar na afirmação e segurança alimentar das famílias indígenas que encontram se nesta aldeia Apinajé, localizada na zona rural do município de Cachoeirinha, no Norte de Tocantins.

O Conselho Indigenista Missionário- CIMI, regional Goiás e Tocantins, outra entidade vinculada a CNBB vem apoiando ainda outros projetos de apoio a segurança alimentar na Terra Indígena Apinajé. Neste mês de setembro uma pequena ‘Casa de Farinha’ artesanal está sendo concluída na aldeia Cocalinho. A implantação desse projeto teve início em julho de deste ano. Esse pequeno Projeto é importante pra melhorar e facilitar o processo de fabricação de farinha de mandioca e extração do polvilho, (tapioca) itens fundamentais e básicos na alimentação das comunidades indígenas.

Neste ano de 2019, a Cáritas Brasileiras ainda está apoiando a implantação de uma ‘Casa de Sementes Crioulas’ na aldeia Cocalinho. A implantação desse projeto está em andamento, e sua conclusão prevista para novembro de 2019. A ‘Casa de Sementes’ da aldeia Cocalinho será local de seleção, guarda e conservação de sementes crioulas cultivadas pelo povo Apinajé. Mas os pequenos agricultores familiares (não-índios) da região também serão beneficiados e são parceiros importantes desse projeto. Essa ‘Casa de Sementes’ da aldeia Cocalinho ainda poderá ser referência na coleta, seleção e guarda de sementes das espécies de árvores dos Biomas Cerrado e Amazônia em riscos de extinção por atividades do desmatamentos e incêndios florestais que ocorrem todos os anos nessa região.

Durante Reunião realizada na aldeia São José, no município de Tocantinópolis nos dias 25 e 26 de abril de 2019, para debater propostas e aprovar Plano de Trabalho das Prefeituras para o ICMS –Ecológico de 2019, com presenças dos caciques e lideranças, de representantes das Prefeituras de Tocantinópolis, Maurilândia, São Bento do Tocantins e Cachoeirinha, dos servidores da FUNAI de Palmas e Tocantinópolis, na ocasião foi pautado, debatido e aprovado apoio financeiro da Prefeitura de São Bento do Tocantins para conclusão desse projeto de ‘Casa de Sementes’ na aldeia Cocalinho. A comunidade ainda aguarda a efetivação dessa contribuição da Prefeitura para conclusão do Projeto.

Lembrando que no contexto atual, estamos sofrendo fortes impactos e consequências de desmatamentos, plantações de eucaliptos, incêndios florestais, agrotóxicos e carvoarias implantadas próximos e no entorno da TI Apinajé, e como consequências as nascentes de águas e ribeirões estão sendo assoreadas, envenenadas e secas por essas atividades do agronegócio. Esse projeto ainda será importante para produção de mudas de espécies nativas do Cerrado e Amazônia, que poderão ser aproveitadas para reflorestamento e recuperação das nascentes, áreas de florestas degradadas por incêndios, desmatamentos e (outras) áreas esgotadas por atividades agrícolas.

O povo Apinajé, especialmente as famílias da aldeia Cocalinho agradecemos os parceiros e demais envolvidos na implantação e desenvolvimento desses projetos importantes e necessários para nossas famílias. Lembrando que essas são iniciativas e propostas de nossas próprias comunidades. Em tempos de “crises e dificuldades” criadas por governos, o apoio dessas entidades da Sociedade Civil Organizada são fundamentais para o desenvolvimento social, afirmação sociocultural e garantir a segurança alimentar e nutricional dos povos indígenas. 

Terra Indígena Apinajé, 20 de setembro de 2019 

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

18 − 3 =