Opositores de Maduro invadem embaixada da Venezuela em Brasília

Milicianos apoiadores do autoproclamado presidente, Juan Guaidó, pularam o muro do local na manhã de hoje (13)

Brasil de Fato

A embaixada da Venezuela em Brasília foi invadida na madrugada desta quarta-feira (13). De acordo com relatos, um grupo de  apoiadores de Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela,​ pulou o muro e entrou no prédio onde funciona a representação diplomática.

O ministro das relações exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, se manifestou a respeito: “Denunciamos que as instalações de nossa embaixada em Brasília foram invadidas pela força no início da manhã. Responsabilizamos o governo do Brasil pela segurança de nossa equipe e instalações e exigimos respeito pela Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas”.

Na conta oficial no Twitter, a embaixada no Brasil também emitiu um comunicado: “Frente ao cerco de grupos irregulares na Embaixada Venezuelana, diplomatas bolivarianos permanecem firmes na custódia da sede diplomática apegados ao direito internacional e aos preceitos da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas”.

A Polícia Militar foi chamada. Houve troca de agressão entre os manifestantes. A PM usou spray de pimenta.

Um grupo de deputados foi até a embaixada prestar apoio à equipe diplomática do presidente venezuelano Nicolás Maduro. O deputado federal Paulo Pimenta (PT) está dentro da Embaixada da Venezuela, em Brasília.

Segundo o parlamentar, “a embaixada foi sitiada por um grupo de brasileiros e de venezuelanos, houve confronto violento. Eles tentaram tomar à força esse espaço. A impressão é que parte deles é de lutadores de academia contratados. É uma clara violação do direito internacional. Há indícios de participação do governo brasileiro na facilitação da invasão da embaixada da Venezuela.”

A deputada federal Erika Kokay (PT) está acompanhando o caso. Ela  qualificou a ação como um o ato como criminoso que “fere a soberania e a democracia”. A parlamentar enfatizou a necessidade de investigação e de “responsabilização dos culpados”.

“A invasão da Embaixada Venezuelana, em Brasília, expõe governo Bolsonaro no dia da Cúpula do Brics. O recado que fica para o mundo é que embaixadas de governos que não se alinham ideologicamente com o Brasil estão vulneráveis”, alerta.

O conflito se deu horas antes do início das atividades da 11.ª Cúpula do BRICS. O evento reúne os líderes da Rússia, India, China e África do Sul, países que apoiam a permanência de Nicolás Maduro no poder.

“O ato criminoso pode desencadear uma crise diplomática sem precedentes”, destacou Kokay

O governo de Jair Bolsonaro reconhece Guaidó como presidente da Venezuela, alinhando-se aos EUA. 

Edição: Katarine Flor

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

3 × 3 =