Mangueira: compositora do samba vencedor de 2019 fala com o Brasil de Fato

Brasil de Fato· 

“A verdade vos fará livre” é o tema do enredo que a Estação Primeira de Mangueira vai levar no Carnaval de 2020. A temática desenvolvida pelo carnavalesco Leandro Vieira trata de uma leitura crítica da biografia de Jesus Cristo, um cristo que defende a diversidade religiosa, a liberdade de pensamento e os direitos das camadas populares.

O samba-enredo escolhido pela escola este ano foi composto por Manu da Cuíca e Luiz Carlos Máximo, que também venceram a disputa em 2019, com o enredo “História pra ninar gente grande”, uma homenagem a vereadora Marielle Franco e muitos heróis e heroínas pouco mencionados na história do Brasil.

No ano passado, a Mangueira conquistou seu vigésimo título do Grupo Especial do Rio de Janeiro, chamando o povo para dialogar e, além de tudo, contestar a chegada de Jair Bolsonaro a presidência. No carnaval deste ano, a história se repete: ao menos dez, das treze escolas de samba da Grupo Especial, levarão para a Sapucaí um enredo crítico ao contexto político brasileiro.

No primeiro ensaio de rua da #Mangueira para o desfile na Sapucaí, em 2020, Manu da Cuíca recebeu o Brasil de Fato para uma entrevista na quadra da escola. Ela contou sobre a importância do #carnaval como instrumento de manifestação política, a relação da maior festa popular com o Rio de Janeiro, e a participação das mulheres no universo do #samba.

Aqui a entrevista:

Mangueira: compositora do samba vencedor de 2019 fala com o Brasil de Fato

“A verdade vos fará livre” é o tema do enredo que a Estação Primeira de Mangueira vai levar no Carnaval de 2020. A temática desenvolvida pelo carnavalesco Leandro Vieira trata de uma leitura crítica da biografia de Jesus Cristo, um cristo que defende a diversidade religiosa, a liberdade de pensamento e os direitos das camadas populares.O samba-enredo escolhido pela escola este ano foi composto por Manu da Cuíca e Luiz Carlos Máximo, que também venceram a disputa em 2019, com o enredo “História pra ninar gente grande”, uma homenagem a vereadora Marielle Franco e muitos heróis e heroínas pouco mencionados na história do Brasil. No ano passado, a Mangueira conquistou seu vigésimo título do Grupo Especial do Rio de Janeiro, chamando o povo para dialogar e, além de tudo, contestar a chegada de Jair Bolsonaro a presidência. No carnaval deste ano, a história se repete: ao menos dez, das treze escolas de samba da Grupo Especial, levarão para a Sapucaí um enredo crítico ao contexto político brasileiro.No primeiro ensaio de rua da #Mangueira para o desfile na Sapucaí, em 2020, Manu da Cuíca recebeu o Brasil de Fato para uma entrevista na quadra da escola. Ela contou sobre a importância do #carnaval como instrumento de manifestação política, a relação da maior festa popular com o Rio de Janeiro, e a participação das mulheres no universo do #samba.

Publicado por Brasil de Fato em Sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

2 × três =