Carta do Conselho de Gestão Ka’apor em apoio ao povo Munduruku

“Parentes Munduruku, esse governo é genocida. Unidos, não vamos deixar o vírus,
os madeireiros e os garimpeiros invadir nossas terras”

Nesta manhã do dia 25 de março o povo Ka’apor ficou sabendo que nossos parentes
Munduruku estão sendo atacados por parentes envenenados por mercúrio dos garimpos
dos Karaí no grande rio Tapajós. Ficamos sabendo que a sede das associações
Wakoborun, Da’uk, Arikico, Movimento Ipereg Ayu e do CIMAT foi destruída e
incendiada.

Sabemos que o governo está fazendo uma operação contra garimpo, mas a gente não
acredita que vai conseguir, porque esse governo aí é um governo de doença e o garimpo
alimenta a doença. Todo o governo está contaminado.

O governo dos Karaí quer nos destruir e usa o garimpo, os madeireiros, os fazendeiros,
os portos, as barragens e estradas para avançar contra nossos territórios. Quando
envenena nossos parentes com o mercúrio e com o dinheiro, eles se voltam contra seu
próprio povo. Não conseguem ver os olhos de fogo dos Karaí e nem sentir o fedor de
morte que vem das suas almas.

Parentes Munduruku, não fiquem com raiva dos parentes que foram envenenados pelos
garimpeiros. Eles precisam de ajuda, de entender que o demônio é o Karaí. Eles
precisam ser combatido, expulsos de nossos territórios.

Aqui das florestas do Turiaçu, estamos solidários a vocês, dizemos que nossos arcos e
pernas estão prontos para lutar ao lado de vocês.

Façam as denúncias nos órgãos, no MPF, exijam justiça dos Karaí, prisão para os
garimpeiros. Vamos seguir na luta com nossas forças, com nossos ancestrais, com
nossos deuses. Só com nossa luta, a Mundurukania e o Turiaçu vão ter sossego e vamos
garantir o nosso projeto de vida.

Pirantã ha johu katu!
Unidos somos mais forte!

Tuxa ta Pame – Conselho de Gestão Ka’apor

Cocares Ka’apor e Munduruku, simbolizando a união na luta entre os dois povos

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

4 × 3 =