Os dados que podem alimentar a resistência negra

Dicionário Marielle Franco descreve uma iniciativa pioneira no Rio: o IDMJRacial, que produz pesquisas sobre letalidade da polícia e militarização das favelas. Objetivo: orientar a atuação política das periferias na defesa da vida e memória

por Giselle Florentino e Fransérgio Goulart, em Outras Palavras

Dez de dezembro celebra-se o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Esta data foi proclamada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), em 1948. Esta Declaração é o primeiro documento de caráter universal de proteção aos direitos humanos, que desde então tem inspirado as constituições de Estados democráticos ao redor do mundo. Sabemos que o Brasil, de tamanho continental, com tamanha diversidade cultural de maioria não-branca, é ainda um país desigual. Esta desigualdade não está apenas na situação socioeconômica, mas no tratamento e no não respeito às populações das áreas mais empobrecidas, assim como no caso das favelas e periferias espalhadas pelos quatro cantos do país: água, energia, internet, habitação, educação, saúde, saneamento, transporte e tantos outros direitos ainda são negados. (mais…)

Ler Mais

Jovens indígenas sofrem racismo institucional em conferência em Manaus

Por Leanderson Lima, Amazônia Real

Um evento que deveria servir de instrumento para construção de políticas públicas voltadas à juventude do Amazonas, acabou se transformando num palco de atos de racismo contra dois jovens indígenas. No final de outubro, Israel Mirewa Sateré-Mawé, representante da Associação de Mulheres Indígenas Sateré-Mawé (Watyamã), e Suzy Dessana, representante da Coordenação de Povos Indígenas de Manaus e Entornos (COPIME) quase foram impedidos de participar da 4ª Conferência Estadual da Juventude do Estado do Amazonas, realizada pela Secretaria de Estado do Desporto e Lazer do Amazonas (SEDEL) na Arena da Amazônia, na capital amazonense. (mais…)

Ler Mais

Ágora Abrasco abordou o Boletim Epidemiológico em Saúde da População Negra

Abrasco

No dia 30 de novembro, o GT Racismo e Saúde da Abrasco promoveu a mesa “A importância do Quesito Raça-Cor e Lançamento do Boletim Epidemiológico em Saúde da População Negra”, transmitida pela TV Abrasco. O Boletim foi lançado pelo Ministério da Saúde em outubro, e apresentou um retrato atual da saúde da população negra no Brasil. (mais…)

Ler Mais

MPF abre inquérito para acompanhar cumprimento de cota mínima de pessoas negras em cargos comissionados

Até 31 de dezembro de 2025, ao menos 30% dos cargos em comissão e funções de confiança da administração federal devem ser ocupados por negros

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito civil para acompanhar as providências adotadas pela administração pública federal para assegurar o cumprimento do percentual mínimo de pessoas negras nos cargos comissionados, previsto no Decreto nº 11.443, de 21 de março de 2023. A norma estabelece que, até 31 de dezembro de 2025, ao menos 30% dos cargos em comissão e funções de confiança de todos os órgãos e entidades federais deverão ser ocupados por negros. (mais…)

Ler Mais

FLIP e a falsa inclusão negra em território colonial

Entre mesas compostas apenas por pessoas brancas e fantasiadas de colonizadores pelas ruas, escritores negros e independentes não têm espaço

PATRICIA SANTOS, em Alma Preta

A Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) acontece desde 2003 e todos os anos homenageia um escritor ou escritora com relevância no cenário da literatura. Há tempos a feira é alvo de manifestações por falta de diversidade, tanto de gênero como de etnia. Em 2023 não foi muito diferente, apesar de Pagu ter sido a homenageada, ainda faltam corpos pretos e vivos nos espaços. (mais…)

Ler Mais

Racismo é máquina de destruir pessoas e sonhos, diz conselheira da OAB

Na Conjur

A 24ª Conferência Nacional da Advocacia Brasileira, em Belo Horizonte, dedicou um painel nesta quarta-feira (29/11) às relações raciais e seus reflexos no desenvolvimento do país, além das políticas de ações afirmativas e sua importância no combate ao racismo e às desigualdades.

Responsável por presidir o painel, a conselheira federal pelo Pará e presidente da Comissão Nacional de Promoção da Igualdade, Suena Mourão, ressaltou o fato de a mesa de debatedores ser 100% formada por mulheres, o que para ela aumentou a importância da discussão. (mais…)

Ler Mais