‘Se a substância é carcinogênica, não existe um limite de exposição que não vá causar câncer’

Portal EPSJV/Fiocruz 

Em decisão inédita, a Justiça americana condenou a Monsanto a indenizar o jardineiro Dewayne Johnson em US$ 289 milhões pelo aparecimento de um câncer, que estaria relacionado ao uso do herbicida Roundup, que tem como princípio ativo o controverso glifosato, um dos agrotóxicos mais usado no Brasil. O processo é um de cinco mil casos similares em andamento nos EUA. Apesar de a Monsanto negar que a substância esteja ligada à doença, a Agência Internacional de Estudo em Câncer (Iarc, na sigla em inglês) já havia classificado em 2015 a substância como “provavelmente carcinogênico para seres humanos”. Em entrevista ao Portal EPSJV, a toxicologista do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e integrante do grupo de trabalho ‘Saúde e Ambiente’ da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Márcia Sarpa, fala como essa decisão impacta nosso país, que em 2009 se tornou o maior consumidor mundial de agrotóxicos, com mais de um milhão de toneladas, o que equivale a um consumo médio de 5,2 kg de veneno agrícola por habitante. A exemplo do estudo da Iarc, o Inca comprova em pesquisa que está para ser publicada até o fim deste ano que pacientes com exposição ocupacional a agrotóxicos têm mais chances de desenvolverem linfomas não-Hodgkin, o mesmo que afetou o jardineiro americano. (mais…)

Ler Mais

Ruralistas pedem suspensão dos processos de demarcação de terras indígenas e quilombolas

Em reunião com o ministro da Justiça, representantes da CNA entregam ofício, assinado também pela FPA, solicitando suspensão de todos os processos demarcatórios iniciados a partir  de 2007, inclusive, de ribeirinhos e outras comunidades rurais, mesmo em terras da União

Por Bruno Stankevicius Bassi, no Der Olho nos Ruralistas

 Na última terça-feira (15), o ministro da Justiça, Torquato Jardim recebeu em seu gabinete representantes da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Além de defender a implementação do parecer 001/2017 da Advocacia-Geral da União que adota a tese do marco temporal para demarcação de terras para povos tradicionais, eles pediram a suspensão de todos os processos embasados na Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT), adotada pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva, a partir de 2007. (mais…)

Ler Mais

“O saneamento deve ser público e encarado como direito”, afirma pesquisador

Alexandre Pessoa Dias, professor e pesquisador, aborda os riscos da Medida Provisória do Saneamento assinada por Temer

Vinícius Sobreira, Brasil de Fato

Em julho, Michel Temer assinou uma Medida Provisória (MP 844/18) que muda as diretrizes do marco legal do saneamento básico no país. Uma das principais medidas da MP, que mexe na Lei de Saneamento Básico (2007), é uma abertura para a privatização do setor no país. Conversamos sobre o assunto com Alexandre Pessoa Dias, engenheiro sanitarista, e professor pesquisador da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz (EPSJV/Fiocruz).  (mais…)

Ler Mais

Relatório sobre o Matopiba aponta impactos ambientais e sociais da financeirização de terras

Por FIAN Brasil

Os impactos da financeirização de terras na região do Matopiba são tema do relatório “Os Custos Ambientais e Humanos do Negócio de Terras”, lançado nessa quarta-feira, 15, durante a Conferência de Abertura do I Seminário sobre Estrangeirização de Terras e Segurança Alimentar e Nutricional, na Biblioteca Central da Universidade Federal de Pernambuco, em Recife. (mais…)

Ler Mais

SE – Vigilância Sanitária investiga suposta intoxicação por agrotóxicos

A Vigilância Sanitária Estadual iniciou nessa segunda-feira, 13, as investigações de um caso de intoxicação em alunos e professores de uma escola municipal de Tomar do Geru, que supostamente foi causada por agrotóxicos.

por Verlane Estácio, no Infonet

No último dia 8, 10 pessoas, entre professores e alunos, foram encaminhados ao posto de saúde do município com enjoos, ânsia de vômito e tontura. A principal hipótese é de que eles tinha sido vítimas de intoxicação por agrotóxicos, já que a unidade escolar é localizada em uma área com plantação de laranja. (mais…)

Ler Mais

Deputado federal boicota programa de acesso à água para indígenas

Geraldo Resende (PSDB) atuou contra construção de cisternas em comunidades do Mato Grosso do Sul onde indígenas bebem água suja e são contaminados por agrotóxicos – em alguns casos, pulverizados sobre as suas casas

Por João Cesar Diaz, em Repórter Brasil

Acampados entre as fazendas de soja, milho e cana-de-açúcar do Mato Grosso do Sul, indígenas Guarani e Kaiowá adoecem e são intoxicados por agrotóxicos devido à falta de acesso à água tratada. Há denúncias de crianças internadas e adultos com diarreias, febres e manchas pelo corpo. O problema poderia ser amenizado por um programa do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) que instalaria 910 cisternas nesses locais. Ao coletar a água da chuva, as caixas reduziriam a dependência dos poços e córregos contaminados. Os benefícios do programa, porém, nunca chegaram a esses indígenas devido à interferência do deputado federal Geraldo Resende (PSDB/MS), que atuou para mudar o destino dos recursos. (mais…)

Ler Mais

Uma alternativa ao Projeto do Veneno

Em paralelo ao PL 6299, que libera agrotóxicos, tramita um programa completo de substituição destes produtos. Em outro cenário, poderá ser parte de vasta mudança no modelo agrícola

Por Nilto Tatto*, em Outras Palavras

Dois Projetos de Lei, duas visões diametralmente opostas acerca da produção agrícola brasileira. De um lado o famigerado PL do Veneno (6299/02), de autoria do então deputado Blairo Maggi, um dos líderes da bancada ruralista, que retornou à pauta de debates na Câmara. De outro, o PL 6670/16 que também começou a tramitar na casa, que institui o Programa Nacional de Redução de Agrotóxicos. Desengavetado depois de quase duas décadas, o projeto de Maggi autoriza ampliação do uso de agrotóxicos em nossa agricultura, inclusive com produtos químicos já condenados e banidos em outros países. (mais…)

Ler Mais

Vilão do desmatamento ilegal, correntão é vendido na internet com dicas para evitar fiscalização

Sites especializados em comércio on-line oferecem o produto, que mata animais e destrói rapidamente a floresta; Câmara discute proibição do acessório em todo o país

Por Igor Carvalho, em De Olho nos Ruralistas

– Para fazer esse tipo de serviço, cobramos R$ 350 a hora. Já vou com dois tratores e dois ajudantes e a gente derruba tudo. (mais…)

Ler Mais

Glifosato já é proibido em espaços públicos em Portugal

A condenação da Monsanto/Bayer nos EUA voltou a colocar o glifosato na mira das autoridades. Em Portugal, a proposta do Bloco para proibir o seu uso em espaços públicos foi chumbada em 2016 pela direita e o PCP, mas o governo retomou-a meses depois.

Em Esquerda.net

A sentença histórica de um tribunal norte-americano, que condenou a Bayer/Monsanto a indemnizar o jardineiro Dewayne Johnson em 289 milhões de dólares, veio relembrar os perigos do glifosato para a saúde pública. O tribunal de São Francisco deu como provado que a exposição continuada ao herbicida Roundup e a falta de informação ao público sobre a perigosidade do seu uso estiveram na origem do linfoma de não-Hodgkin de que o jardineiro padece, agora em fase terminal. (mais…)

Ler Mais

França anuncia “guerra” contra agrotóxico da Monsanto

O ministro da Transição Ecológica, Nicolas Hulot, lidera os protestos contra o glifosato. O presidente Macron promete erradicar o produto até 2021

por Radio France Internationale, na Carta Capital

A condenação da Monsanto a pagar uma multa milionária a um americano que desenvolveu um câncer devido ao glifosato reacendeu o debate na França contra esse agrotóxico. O ministro da Transição Ecológica, Nicolas Hulot, evocou “o começo de uma guerra” contra a substância, que poderá ser utilizada até 2021 nas plantações francesas, segundo anúncio pelo atual governo. (mais…)

Ler Mais