Para denunciar morosidade da Justiça, famílias sem-terra bloqueiam rodovia no Mato Grosso

Na manhã desta quinta-feira, 16, cerca de 200 trabalhadores e trabalhadoras sem-terra da região Norte do estado de Mato Grosso fecharam a BR-163, entre o trecho dos municípios de Nova Santa Helena e Itaúba, a 600 quilômetros de Cuiabá

CPT Mato Grosso

Esta ação faz parte da Jornada de Lutas dos Acampamentos União Recanto Cinco Estrelas, Irmã Dorothy, Boa Esperança e Renascer. Os mesmos denunciam a morosidade da Justiça Federal e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) sobre os processos de retomada de áreas públicas e desapropriação de terras improdutivas para fins de reforma agrária. (mais…)

Ler Mais

O agro MATA!

Por Josiene da Costa e Bruno Pilon, do MPA, no Mídia Ninja

Durante a passagem que narra o julgamento de Jesus Cristo, talvez uma das expressões que marcaram esse fato é o momento onde Pôncio Pilatos decide não se envolver com o problema da condenação de Jesus, e lava suas mãos o entregando a Herodes. Dois mil anos se passaram e seguimos vendo os verdadeiros responsáveis seguidamente “lavando as mãos” aos problemas que eles mesmo causaram e deveriam ao menos reparar os seus danos. (mais…)

Ler Mais

O que leva 10 mil pessoas às ruas de Correntina (BA)?

Por André Monteiro, da Fiocruz/Recife

Insurgência é um filme que proporciona um mergulho de 5 minutos na manifestação do dia 11 de novembro de 2017 contra a omissão do poder público diante da exploração de água pelo agronegócio no oeste baiano.

Em meio às palavras de ordem e cartazes em defesa do Rio e das águas, um grito transborda: “não somos terroristas”. Uma reação à forma como a grande mídia repercutiu o ato da semana anterior que destruiu equipamentos de captação de água e irrigação de 2 fazendas na região. Para os manifestantes não há mais tempo para esperar o Estado agir. (mais…)

Ler Mais

BA – Trabalhadores e gestores discutem sobre a Bacia do Rio Paraguaçu

Por Tiago Aragão, CPT Bahia

Na última terça-feira (07), trabalhadores rurais se reuniram com Jõao Lúcio, Prefeito de Andaraí e presidente do Consórcio Chapada Forte, representantes dos municípios baianos de Wagner, Lajedinho e Lençóis, e da Secretaria de Relações Institucionais do Estado da Bahia – SERIN, assim como alguns vereadores, para discutir a crise hídrica do Rio Utinga que faz parte da Bacia do Rio Paraguaçu. A reunião aconteceu no Assentamento São José, em Lençóis, na Chapada Diamantina. (mais…)

Ler Mais

Estrutura fundiária iníqua e luta pela terra, por frei Gilvander Moreira[1]

“A população do território hoje conhecido como Brasil em 1500 era, calcula-se, de mais de cinco milhões[2] de pessoas distribuídas por centenas de povos, com línguas, religiões, organizações sociais e jurídicas diferentes” (MARÉS, 2003, p. 49). Há mais de cinco séculos o latifúndio continua sendo a estrutura básica fundiária no Brasil e, ultimamente, sob a hegemonia do agronegócio, a luta pela terra necessita de crítica permanente, isso para diminuir, no mínimo, os riscos de perdurar e repetir ad infinitum a estrutura latifundiária, um dos fundamentos da sociedade do capital, “estruturalmente incapaz de dar solução às suas contradições” (MÉSZÁROS, 2007, p. 116). (mais…)

Ler Mais

Outdoor com propaganda de agrotóxico leva MPF a propor Ação Civil Pública contra Anvisa e mais quatro empresas

Em Mato Grosso do Sul foram fixados nove outdoors referentes ao fungicida “Unizeb Gold” em seis municípios

MPF/MS

O Ministério Público Federal (MPF) em Dourados (MS) propôs junto à Justiça Federal Ação Civil Pública (ACP) contra a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e as empresas UPL do Brasil, MS Door, Agromídia e Duas Propaganda e Promoção. A medida judicial visa a condenação das quatro empresas pela exposição ilícita de propagandas de agrotóxicos e a condenação da Anvisa à obrigação de fazer, que consiste na edição de restrições legais à publicidade de agrotóxicos, mediante regulamentação da legislação vigente. (mais…)

Ler Mais

Milhares de pessoas protestam em Correntina (BA) em defesa das águas e do Cerrado

Cerca de dez mil pessoas foram às ruas de Correntina, no oeste baiano, na manhã do último sábado (11), para denunciar o baixo nível do rio Arrojado em consequência do intenso desmatamento, e do uso abusivo das águas, sobretudo pelas empresas do agronegócio, e das mudanças climáticas

CPT Bahia

A manifestação também foi em apoio ao protesto realizado por aproximadamente 600 pessoas, no dia 02 de novembro, contra os abusos do uso da água em duas fazendas no distrito de Rosário. No oeste da Bahia, os conflitos por água são antigos e, só entre 2010 e o ano passado, mais de sete mil famílias já foram atingidas. (mais…)

Ler Mais

‘Cana é o 28° estado da federação. O mais rico, que manda no Brasil’

Segundo Ângelo Cavalcante, professor de Economia na Universidade Estadual de Goiás, o Brasil é governado por um “oligopólio de canavieiros isento de impostos, que despeja agrotóxicos 24 horas por dia”

por Redação RBA

São Paulo – A cultura da cana, que se espalha por regiões fronteiriças dos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Minas Gerais, isenta de impostos, destruindo ecossistemas, sugando as águas do Aquífero Guarani, ganha contornos e já se configura como o 28º estado da federação. (mais…)

Ler Mais

Eles não são santos. São os exterminadores do futuro. (O caso do oeste da Bahia)

Por Prof. Dr. Altair Sales Barbosa, nCaminhos do Cerrado

Vocês adultos que tiveram uma infância compartilhada com muitas plantas, que conheceram animais silvestres em liberdade, que saciaram muitas vezes suas sedes tomando com as próprias mãos as águas límpidas de um ribeirão ou mesmo refrescando nestes seus corpos saudáveis. Vocês que eram felizes e inventavam brincadeiras inspiradas nos rios, nas plantas, nos bichos e nos arco-íris, por que querem tirar de seus filhos e netos esta possibilidade? Por que querem deixar para as futuras gerações, uma terra estéril, envenenada e assolada por pestes incontroláveis? (mais…)

Ler Mais

TRF3 rejeita tentativa de intimidação da atuação do MPF em defesa dos povos indígenas no MS

Tribunal nega recurso do Sindicato Rural de Ponta Porã (MS) e extingue ação de perdas e danos. Para defesa, “objetivo é calar a boca do MPF”

MPF MS

A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) negou, em 30 de outubro, recurso ajuizado pelo Sindicato Rural de Ponta Porã (MS), em ação de indenização contra o procurador da República Marco Antonio Delfino de Almeida, membro do Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS). Os desembargadores federais mantiveram a extinção da ação sem julgamento do mérito, entendendo que a pessoa física do procurador da República é parte ilegítima para responder por ação de perdas e danos. A sentença de primeiro grau contra a qual o sindicato recorreu estabeleceu a extinção do processo sem resolução do mérito, além de condenar a parte autora ao pagamento dos honorários.  (mais…)

Ler Mais