‘Setenta por cento dos alimentos no Brasil apresentam resíduos de agrotóxicos’, alerta pesquisador Luiz Cláudio Meirelles

No Informe Ensp

“Setenta por cento dos alimentos no Brasil apresentam resíduos de agrotóxicos”. A afirmação foi exposta pelo pesquisador do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), Luiz Cláudio Meirelles, durante a última sessão do ‘Encontros do Cesteh’, que teve como tema O monitoramento de resíduos de agrotóxico em alimentos no Brasil. Na ocasião, Meirelles alertou para o fato de que o Brasil é um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo, chegando a consumir cerca de um milhão de toneladas por ano, o que causa impactos negativos à saúde humana e ao meio ambiente. Segundo o pesquisador, a exposição aos resíduos de agrotóxicos nos alimentos constitui umas das principais fontes de contaminação da população. (mais…)

Ler Mais

Comunidades Impactadas pelo agronegócio no Piauí criam Coletivo de Resistência e unificam lutas

“Queremos ser respeitados e que ninguém negue esse direito que é nosso, e sagrado” Juvercino Silva

Por CPT Piauí

Comunidades do Piauí, impactadas pelo agronegócio na região do MATOPIBA, se reuniram em Santa Filomena, dia 19 de junho, em busca de mecanismos fortalecedores da resistência aos grandes projetos do agronegócio e na defesa de seus territórios. Segundo o Sr.João da Silva, morador da comunidade Melancias, muitas comunidades vem sofrendo pelas ações desenfreadas dos projeteiros (donos de projetos e fazendas), “eles desmatam, usam veneno, o agrotóxico usados nas lavouras da soja empurra as pragas pra as roças das famílias nos baixões e tem muitas violações dos direitos fundamentais das pessoas”. (mais…)

Ler Mais

Ruralistas interditam debate sobre agrotóxicos na Câmara

Bancada se recusa a ouvir diversas entidades em discussão sobre Projeto de Lei

Por Rafael Tatemoto, em Brasil de Fato / MST

A bancada ruralista da Câmara dos Deputados tem reiteradamente se posicionado contra a participação de órgãos públicos de saúde e meio ambiente na Comissão Especial que debate o Projeto de Lei (PL) 6.299 de 2002, que altera as regras para a liberação de novos agrotóxicos no Brasil, tornando as regras para a concessão de autorização mais brandas. (mais…)

Ler Mais

Novo defensor dos agrotóxicos, Nizan Guanaes tem casa de campo com horta orgânica

Publicitário contratado para melhorar imagem do agronegócio vendeu touros e promoveu o Canal Rural; ele tem imóvel na Fazenda Boa Vista, condomínio rural da aristocracia de SP

Por Alceu Luís Castilho, em De Olho nos Ruralistas

Um dos publicitários mais badalados do país, Nizan Guanaes tem seu pé no agronegócio há pelo menos 15 anos, quando – mesmo sem ter fazenda – entrou no mercado da venda de touros Angus. Pelo sistema Top Class: metade do investidor, metade da empresa agropecuária. Um dos maiores entusiastas desse sistema, e colega de leilões de Guanaes, era o locutor Galvão Bueno, da Globo. (mais…)

Ler Mais

TRF4 mantém liminar que impede ruralistas de seguir explorando área arrendada em Terra Indígena Nonoai

TRF 4

Quatro agricultores que arrendaram área dentro da Terra Indígena Nonoai, localizada na região norte do Rio Grande do Sul, para plantar soja, seguem com bens indisponíveis e sem autorização para as atividades de cultivo. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve liminar, proferida em outubro do ano passado, que os impede de explorar a área. A decisão foi tomada em sessão da 4ª Turma realizada dia 5 de junho. (mais…)

Ler Mais

Regras sobre monitoramento de aviões que pulverizam agrotóxicos serão submetidas à consulta pública

Assunto foi discutido em reunião na Anac com a presença dos membros do Grupo de Trabalho Agrotóxicos, da Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do MPF

Procuradoria-Geral da República

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai submeter à consulta pública, via internet, a regulamentação sobre o sistema de monitoramento eletrônico para aeronaves agrícolas que pulverizam agrotóxicos. A decisão foi um dos resultados de reunião pública realizada nessa segunda-feira (18) na Anac, com a presença de representantes do Ministério Público Federal (MPF). (mais…)

Ler Mais

Luta que emancipa. Por Gilvander Moreira[1]

No Brasil, as classes trabalhadora e camponesa lutam muito. Que tipo de luta pode ser emancipatória? Por luta não nos referimos à luta diária individual e familiar para sobreviver de um/a trabalhador/a que recebe mensalmente apenas um salário mínimo, ou batalhando na economia informal como camelô ou fazendo bicos. É óbvio que esse tipo de luta é necessária e imprescindível para a sobrevivência de grande parte da classe trabalhadora. Não tratamos também de luta individualista na escalada de competição que o sistema capitalista desencadeia e fomenta aos quatro ventos: luta para entrar em uma universidade, luta de uma pessoa para ser aprovada em um concurso público, luta para se tornar um/a empreendedor/a, luta para enriquecer e se tornar uma pessoa opressora, às vezes ou muitas vezes, sem ter intenção deliberada de oprimir. Enfim, não é luta como trabalho no sentido de doulos, trabalho análogo à situação de escravidão. (mais…)

Ler Mais

Investigação indica que dinheiro dos credores da Boi Gordo virou terra em Matopiba

Enquanto 30 mil pessoas lesadas por uma das maiores falências do Brasil lutam por ressarcimento na Justiça, investigação aponta lucros astronômicos obtidos por grupo proprietário da massa falida, com auxílio de fundo de investimento

Por  Ciro Barros, A Pública

O dinheiro que deveria ter sido pago aos mais de 30 mil credores de uma das maiores falências da história do Brasil serviu para engordar o patrimônio do Grupo Golin, grande conglomerado do agronegócio. Segundo investigação realizada por empresa contratada pela massa falida e supervisionada pelo Ministério Público (MP), parte dos R$ 6 bilhões (em valores atualizados) devidos aos investidores lesados virou terra. E das boas: dezenas de milhares de hectares na disputada região do Matopiba (sigla formada pelas iniciais dos estados Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), considerada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) a última fronteira agrícola do país. Segundo a consultoria Informa Economics FNP, o preço médio da terra bruta por hectare na região é de R$ 12.625,00 (dados de fevereiro de 2018). Grilagens e especulação imobiliária no Matopiba são investigadas pela Pública desde o início deste ano. (mais…)

Ler Mais

Agrotóxicos seriam causa de puberdade precoce em bebês, aponta pesquisa

Meninas de um ano que desenvolveram mamas moram em comunidades cercadas de plantações no Ceará. Críticos dizem que projeto de lei dos agrotóxicos aumenta risco de intoxicações

Por Ana Aranha, no Repórter Brasil

A professora Antônia Lucí Silva Oliveira resistiu em reconhecer que o corpo da filha não estava normal. Aos seis meses de idade, ela começou a notar o crescimento das mamas da menina. Com 1 ano e 6 meses, quando o desenvolvimento era “avançado e inegável” aos olhos da mãe, um ultrassom diagnosticou telarca prematura, a primeira fase do desenvolvimento das mamas. “Para me acalmar, o médico disse que estava recebendo muitos casos como o dela da nossa região”, lembra Lucí. (mais…)

Ler Mais