CPT-MA divulga nota sobre assassinato de trabalhador rural em Codó

No último final de semana, mais um trabalhador rural foi assassinado no Maranhão. Esta já é a quarta morte em decorrência de conflito no campo registrada no estado, apenas neste ano de 2021. A CPT Regional Maranhão divulga nota de pesar pela morte do trabalhador e cobra do Estado uma resposta ante a escalada de violência no campo maranhense.

CPT

Leia a nota na íntegra:

A morte de trabalhadores rurais no Maranhão são crimes anunciados

A Comissão Pastoral da Terra – Regional Maranhão presta solidariedade à família do trabalhador rural José Francisco de Sousa Araújo, o Vanu, assassinado no domingo (11), na Comunidade Palmeiral do Norte, município de Codó-MA.

(mais…)

Ler Mais

Em caráter excepcional, Corte Interamericana de Direitos Humanos determina que Brasil proteja monumento em memória à luta pela Reforma Agrária

Obra projetada por Oscar Niemeyer em 2000 marca o local onde o trabalhador rural e integrante do MST, Antônio Tavares Pereira, foi assassinado pela Polícia Militar do Paraná.

Por Justiça Global

A Corte Interamericana de Direitos Humanos determinou, em caráter excepcional, que o Estado brasileiro proteja o monumento em memória à luta pela reforma agrária e ao trabalhador rural Antônio Tavares Pereira, assassinado em 2000 pela Polícia Militar do Paraná. A decisão da Corte Interamericana, proferida no último dia 24 de junho, reconhece o risco iminente de dano ao monumento projetado por Oscar Niemeyer e fixado às margens da rodovia BR-227, no km 108, em Campo Largo (PR), com a manifestação pela empresa Postepar, proprietária do terreno onde a obra foi instalada, de interesse em removê-lo do local.  

(mais…)

Ler Mais

Violência no campo: Assassinato e tentativas de assassinato no Maranhão marcam fim de semana

O trabalhador rural Antônio Gonçalves Diniz foi assassinado na última sexta-feira (2), no município de Arari (MA). Em menos de um mês, é a terceira execução de agricultores e agricultoras familiares no estado, de acordo com informações da FETAEMA. Lutador pelos direitos dos agricultores e agricultoras familiares da Baixada Maranhense, defensor da reforma agrária e contra os cercamentos dos campos naturais, Antônio foi baleado por dois pistoleiros. Outra liderança camponesa sofreu, no dia 3, tentativa de assassinato. Juscelino Galvão escapou com vida. Denúncias ainda falam sobre um indígena ka’apor, da aldeia Ximborendá (MA), que teria levado um tiro na madrugada do dia 5 de julho. 

CPT (com informações da FETAEMA e agência Tambor)

No dia 3 de julho, em Alto Alegre (MA), o ex-dirigente do Sindicato de Trabalhadores Rurais do município e liderança do Projeto de Assentamento Boa Hora/ Campestre, Juscelino Galvão, sofreu um atentado a tiros, mas escapou com vida. “Nossa luta é justa. Somos trabalhadores rurais e seguiremos lutando com firmeza. Essa terra é nossa”, afirmou Juscelino.

(mais…)

Ler Mais

Ex-presidente da UDR é condenado a 14 anos de prisão por morte de sem-terra

Marcos Prochet foi condenado pela terceira vez, em júri popular que terminou nesta quinta (24); crime ocorreu em 1998

Ana Carolina Caldas, Brasil de Fato

O ex-presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Marcos Prochet, foi condenado pela 2ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba a 14 anos e 3 meses de detenção, em regime fechado, pela morte do trabalhador rural Sebastião Camargo. O julgamento começou nesta quarta (23) e se estendeu até esta quinta (24).

(mais…)

Ler Mais

Pela 3ª vez, ex-presidente da UDR vai a júri popular acusado de matar sem terra no PR

Mais de 23 anos após o assassinato de Sebastião Camargo, o ruralista Marcos Prochet irá a júri popular nesta quarta (23)

Redação Brasil de Fato

Está marcado para esta quarta-feira (23) o júri popular de Marcos Prochet, ex-presidente da União Democrática Ruralista (UDR) acusado de executar o trabalhador sem terra Sebastião Camargo, em 1998.

(mais…)

Ler Mais

Justiça Global requer imediata apreensão e custódia das armas de policiais envolvidos na ação que motivou morte de jovem grávida no Rio de Janeiro

A organização de direitos humanos Justiça Global requereu, na noite desta terça-feira (08), a imediata apreensão e custódia das armas dos policiais em serviço na Unidade Pacificadora do Lins de Vasconcelos. Agentes desta UPP teriam participado de confronto que resultou na morte da jovem Kathlen de Oliveira Romeu, grávida de quatro meses. Os ofícios foram enviados ao Secretário de Estado da Polícia Militar do Rio de Janeiro, à Secretaria de Polícia Civil, e ao Ministério Público do Estado.

(mais…)

Ler Mais

Justiça reafirma condenação da Syngenta por assassinato de trabalhador sem terra

Desembargadores mantêm obrigação de empresa indenizar as vítimas sobreviventes e familiares de Valmir Mota de Oliveira

Redação Brasil de Fato

O Tribunal de Justiça do Paraná reafirmou, em julgamento de embargos de declaração, a responsabilidade da transnacional Syngenta Seeds pelo assassinato do agricultor Sem Terra Valmir Mota de Oliveira, conhecido como Keno, e pela tentativa de assassinato da agricultora Isabel Nascimento de Souza. O julgamento aconteceu no último dia 28.

(mais…)

Ler Mais

‘Polícia ocultou provas que inocentam advogado dos sobreviventes da chacina de Pau D’Arco’, diz OAB

Organizações internacionais também condenam a prisão de José Vargas, que diz ter sido preso por conta de uma armação para prejudicar a investigação sobre os mandantes do massacre. Em janeiro, a principal testemunha da chacina foi executada, após ter revelado que recebia ameaças de policiais

por Daniel Camargos, da Repórter Brasil

“Fui preso para prejudicar a investigação dos mandantes da chacina de Pau D’Arco”. A denúncia é de José Vargas Júnior, advogado dos sobreviventes do massacre que afirma estar sendo vítima de uma armação da Polícia Civil e do Ministério Público. Sua prisão vem sendo questionada por órgãos internacionais e nacionais, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que acusou a polícia de ter ocultado provas que o inocentariam.

(mais…)

Ler Mais

Comparam a vida de meu marido a de um cachorro, diz viúva de homem negro morto no Carrefour

Caso de João Alberto Freitas, assassinado por dois seguranças do mercado, completa seis meses; empresa afirma que esposa pede indenização “não razoável”

Por Rute Pina, em Agência Pública

A cuidadora de idosos Milena Borges Alves, de 43 anos, teve que mudar de bairro em Porto Alegre (RS) para nunca mais passar na frente daquele supermercado Carrefour. Foi ali que, no ano passado, às vésperas do Dia da Consciência Negra do ano passado, seu marido, João Alberto de Freitas, 40 anos, foi espancado e morto por dois seguranças da rede multinacional de varejo.  O caso completa seis meses na próxima quarta-feira, 19 de maio.

(mais…)

Ler Mais

A morte anunciada de Josimo Tavares

Após 35 anos de sua morte a mando do latifúndio, o padre da CPT, mártir da luta em defesa dos trabalhadores rurais, continua presente nos movimentos e conquistas da luta pela terra

Por Pedro Tierra, da Xapuri Socioambiental / MST

“... Estou empenhado na luta pela causa dos pobres lavradores indefesos, povo oprimido nas garras dos latifúndios. Se eu me calar, quem os defenderá? Quem lutará a seu favor?(…) Nem o medo me detém. É hora de assumir. (…) A minha vida nada vale em vista da morte de tantos pais lavradores assassinados, violentados e despejados de suas terras, deixando mulheres e filhos abandonados, sem carinho, sem pão e sem lar. É hora de se levantar e fazer a diferença. Morro por uma causa justa!
Josimo Tavares

(mais…)

Ler Mais