Enquanto Temer tira dinheiro do esporte e cultura, mais um jovem é assassinado. Não é coincidência

Eliana Alves Cruz, The Intercept Brasil

Diz a lenda que, em plena Segunda Guerra, quando foi aventada a possibilidade de redução dos investimentos em cultura para que fossem reforçadas as finanças militares, o estadista inglês Winston Churchill deu uma resposta mítica: “Evidentemente que não! Então para que serve estarmos nesta guerra?” (mais…)

Ler Mais

O Texas é aqui: meninos mortos na prisão de Goiás

Por Haroldo Caetano, no Justificando

Há poucas semanas dez meninos morreram queimados em um presídio de Goiânia. Foram carbonizados dentro de um estabelecimento que sequer poderia existir, em face da vedação constitucional à imposição de sanções penais a menores de 18 anos. Daniel, que chegou a sobreviver ao incêndio, sofreu lentamente uma morte ainda mais dolorosa, depois da amputação de um braço e dias de internação. (mais…)

Ler Mais

Em Brasília, encontro discute direitos humanos dos povos do campo, das águas e das florestas

Na abertura do evento, Ayala Ferreira, da direção nacional do MST, falou sobre os atuais desafios enfrentados pela classe trabalhadora

Por Webert da Cruz, da Página do MST*

Compreender os desafios do atual contexto político e criar estratégias de fortalecimento da base da classe trabalhadora para enfrentamento de retrocessos de direitos são alguns dos objetivos do Encontro Nacional dos Direitos Humanos dos Povos do Campo, das Águas e das Florestas que acontece de 20 a 22 de junho, em Brasília. Reunidos na Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), o evento integra também o II Encontro dos Estudantes, Professores(as), Advogados(as) e Dirigentes da Via Campesina e Movimento Sindical da Agricultura Familiar.  (mais…)

Ler Mais

Luta que emancipa. Por Gilvander Moreira[1]

No Brasil, as classes trabalhadora e camponesa lutam muito. Que tipo de luta pode ser emancipatória? Por luta não nos referimos à luta diária individual e familiar para sobreviver de um/a trabalhador/a que recebe mensalmente apenas um salário mínimo, ou batalhando na economia informal como camelô ou fazendo bicos. É óbvio que esse tipo de luta é necessária e imprescindível para a sobrevivência de grande parte da classe trabalhadora. Não tratamos também de luta individualista na escalada de competição que o sistema capitalista desencadeia e fomenta aos quatro ventos: luta para entrar em uma universidade, luta de uma pessoa para ser aprovada em um concurso público, luta para se tornar um/a empreendedor/a, luta para enriquecer e se tornar uma pessoa opressora, às vezes ou muitas vezes, sem ter intenção deliberada de oprimir. Enfim, não é luta como trabalho no sentido de doulos, trabalho análogo à situação de escravidão. (mais…)

Ler Mais

Júlio Lancellotti: ‘Há uma ação de extermínio dos moradores de rua’

Em entrevista em vídeo a CartaCapital, o padre da Pastoral do Povo da Rua denuncia ações violentas da GCM e a política higienista

por Tatiana Merlino, Carta Capital

As ações contra a população de rua estão cada vez mais truculentas, afirma o padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua, que há mais de 30 anos trabalha com pessoas em situação de rua. Embora acredite que a política de higienização esteja presente em todas as gestões da prefeitura de São Paulo, ele afirma que a situação só piora. “Não há continuidade das ações, o que um começa o outro termina”, critica. (mais…)

Ler Mais

Relatório sobre a situação das/os defensoras/es de direitos humanos em Anapu e Altamira

por Glaucia Marinho, em Justiça Global

Já está disponível para download o relatório da missão realizada pela REPAM (Rede Eclesial Pan-Amazônica) e Front Line Defenders, com apoio da Justiça Global, para investigar a situação das defensoras e defensores de direitos humanos nos municípios de Anapu e Altamira, no Pará. A missão se debruçou, especialmente, no caso de criminalização do Padre José Amaro Lopes. A região é marcada por conflitos violentos que opõem, de um lado, aqueles que defendem os direitos humanos e as formas tradicionais de uso da terra e dos recursos naturais e, de outro, os que procuram impor outras formas de apropriação e de exploração do território, que vão desde a monocultura, a pecuária extensiva, a exploração ilegal de madeira a grandes projetos de geração de energia e de mineração em larga escala. Não por acaso, o Pará lidera o ranking de assassinatos no campo, em 2017 foram registrados 21 casos, segundo dados do Centro de Documentação Dom Tomás Balduíno/Comissão Pastoral da Terra. (mais…)

Ler Mais

Sangue no campo, mas a resistência segue, por Gilvander Moreira[1]

No Brasil, a expropriação da terra dos camponeses pelo capitalismo e pelos capitalistas que se apossam da terra para obter renda e fortalecer a acumulação de capital tem historicamente gerado assassinatos e massacres, mas também resistência. Na contramão do discurso naturalizador do latifúndio e do agronegócio, inspirando-se também na experiência da Diocese de Goiás, de compromisso com o campesinato, desde 26 de novembro de 1967 – data em que Dom Tomás Balduíno se tornou bispo -, atuando a partir de pesquisa participante e divulgando Boletins periódicos que revelavam a situação dramática dos camponeses da região, lideranças da igreja de Goiás, sob a coordenação do bispo Dom Tomás Balduíno – de saudosa memória -, por 31 anos (de 1967 a 2014), propunham ações concretas de luta em defesa dos direitos dos camponeses. A partir de centenas de agentes de pastorais que estão espalhados em quase todo o território nacional, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) publica anualmente, desde 1985, o livro Conflitos no Campo Brasil, que é um diagnóstico refinado da violência perpetrada contra o campesinato no País. (mais…)

Ler Mais

Governo Temer suspende pedido de desculpas às vítimas da ditadura

Comissão de Anistia, ligada ao Ministério da Justiça e que julga casos de perseguições políticas daquele período, decidiu acabar com o ritual do perdão. Decisão final é do ministro da Justiça

Na Gazeta do Povo

A atual composição da Comissão de Anistia, vinculada ao Ministério da Justiça e que julga desde 2002 casos de perseguições aos opositores do regime militar, decidiu suspender um dos atos mais aguardados nesse tipo de julgamento: o pedido de desculpas do Estado brasileiro às vítimas da ditadura. (mais…)

Ler Mais

Comissão realiza reunião com familiares de desaparecidos políticos na Guerrilha do Araguaia

Ministério dos Direitos Humanos realizou neste mês a 77ª reunião ordinária do grupo que conduz os trabalhos da Comissão Especial sobre Mortos e Desparecidos Políticos (CEMDP). Na pauta, o andamento dos trabalhos de buscas e identificação de corpos desaparecidos na Guerrilha do Araguaia, incluindo a recente expedição realizada no Parque Nacional do Iguaçu e os preparativos para as próximas missões – a primeira, prevista para julho de 2018.  (mais…)

Ler Mais

Guatemala: Se agudiza la violencia contra líderes indígenas

En Guatemala han sido asesinados seis líderes comunitarios en menos de un mes. La nación convulsiona en medio de tragedias como la erupción del volcán de Fuego

Por Miguel Salay, en Servindi

HispanTV, 9 de junio, 2018.- Guatemala convulsiona en medio de problemas de extrema violencia como el asesinato de seis líderes comunitarios en menos de un mes, las dos organizaciones a las que pertenecían los campesinos son: El Comité de desarrollo Campesino (Codeca) y el Comité Campesino del Altiplano (CCDA) quienes responsabilizan al presidente Jimmy Morales. (mais…)

Ler Mais