Argentina: Corpo é encontrado onde desapareceu ativista Maldonado

Jovem não foi mais visto após protesto com repressão; polícia é suspeita em sumiço forçado

AFP/O Globo

BUENOS AIRES — O corpo de uma pessoa foi achado nesta terça-feira submerso num rio do sul da Argentina, no mesmo lugar onde foi visto pela última vez o ativista Santiago Maldonado. O jovem de 27 anos desapareceu em agosto deste ano, após ter participado de um protesto com grande repressão policial, que ocorreu a 300 metros do ponto onde o corpo foi encontrado. O caso provocou um terremoto político na Argentina, em que a gendarmeria, a polícia militarizada argentina, foi alvo de suspeitas de envolvimento no sumiço. (mais…)

Ler Mais

Manifestantes bloqueiam a BA-093 para exigir explicações sobre a morte de ‘Binho do Quilombo’

A Tarde

Um protesto de moradores e familiares de Flávio Gabriel Pacifico dos Santos, 36 anos, conhecido como “Binho do Quilombo”, bloqueou os dois sentidos da BA-093, no início da manhã desta quarta-feira, 18. Os manifestantes atearam fogo em objetos no km 12 da rodovia, na localidade quilombola de Pitanga de Palmares, em Simões Filho, que fica na Região Metropolitana de Salvador (RMS). (mais…)

Ler Mais

Dossiê entregue à ONU denuncia desmonte de políticas para mulheres no RS

Marco Weissheimer, no Sul21

Uma comitiva de lideranças do movimento de mulheres do Rio Grande do Sul entregou um dossiê, nesta segunda feira (16), em Brasília, para a representante do Escritório da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, denunciando o sucateamento das políticas públicas destinadas às mulheres vítimas de violência no Estado. O dossiê manifesta preocupação com as altas taxas de feminicídios e violência no Rio Grande do Sul e traz informações sobre a extinção dos serviços públicos para mulheres no Estado. Organizado pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa gaúcha, o encontro também apresentou dois exemplos de boas práticas nesta área: a Ocupação das Mulheres Mirabal e o Centro de Referência para Mulheres Vítimas de Violência Patrícia Esber, do Coletivo Feminino Plural, de Canoas. Nadine Gasman foi convidada a vir ao Rio Grande do Sul para conhecer de perto essas duas experiências. (mais…)

Ler Mais

No Sul baiano, trabalhador é assassinado no Assentamento Cruz do Ouro

Um inquérito policial está sendo aberto para averiguar os motivos da execução, desconhecidos pelos familiares, amigos e pela Direção do MST na região.  

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia, na CPT

Na noite do último sábado (14), um homem encapuzado, ainda não identificado, invadiu a casa do trabalhador Sem Terra João Ferreira dos Santos (56), mais conhecido como João do Ouro, no Assentamento Cruz do Ouro, localizado em Itamaraju, Extremo Sul baiano, e efetuou disparos com uma arma de fogo contra o trabalhador e seu filho de 16 anos. (mais…)

Ler Mais

“Mataram meu filho. Mas não quero polícia mais armada, eu quero políticas públicas”, por Eliane Brum

Com Belo Monte, Altamira mergulha num ciclo de violência e uma mãe se alia à comunidade para um levante pela paz

No El País Brasil

Em apenas quatro dias, de 29 de setembro a 2 de outubro, Altamira foi manchada pelo sangue de nove assassinatos. Estes são os assumidos pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará. Pode ser mais. E pelo menos mais uma pessoa foi morta, desta vez pela Polícia Militar, em 11 de outubro. Málaque Mauad Soberay, 47 anos, foi uma das mães que hoje chora pelo seu filho morto. Magid, de 22 anos, era estudante do sexto semestre de Geografia no campus da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Altamira. Málaque, que ganha a vida fazendo salgados para vender, destacou-se na manifestação contra a violência que percorreu as ruas da cidade. Ela puxou um coro que não era de vingança, como é tão comum em momentos de dor extrema. Málaque não pediu mais sangue. Málaque não pediu linchamento. Málaque pediu amor. Amor até mesmo pelos assassinos do seu filho. E especialmente por suas mães. (mais…)

Ler Mais

‘O que acontece em Brasília dá aval para essa ofensiva no campo’, diz jornalista sobre violência

Por Fernanda Canofre, no Sul 21

O governo de Michel Temer (PMDB) não autorizou a demarcação de nenhuma terra indígena, desde que assumiu a Presidência da República, em maio do ano passado. Só em 2017, o Brasil já registrou 17 assassinatos de quilombolas. A bancada ruralista garantiu a rejeição à denúncia contra o peemedebista, em agosto, em troca ganhou perdão de dívidas na escala de bilhões de reais e garantia de aprovação para os projetos discutidos nos almoços de todas as terças-feiras, em uma mansão no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, que define a agenda da bancada mais poderosa do Congresso Nacional. (mais…)

Ler Mais

Da Comissão Nacional da Verdade ao Golpe de 2016: a negação da Justiça de Transição

Por Marcelo Zelic*, no Cimi

Uma janela contra o esquecimento abriu-se aos povos indígenas quando, em maio de 2012, os membros da Comissão Nacional da Verdade (CNV) reuniram-se no escritório da Presidência da República, em São Paulo, com entidades de direitos humanos para discutir a inclusão da violência praticada pelo Estado contra os povos indígenas nos estudos da CNV. (mais…)

Ler Mais

General Etchegoyen diz que quilombolas de Alcântara são “cooptados por antropólogos estrangeiros”

Áudio divulgado pelo The Intercept Brasil mostra ministro minimizando luta dos maranhenses pelo território: “Ah, não quero sair porque aqui morreu minha vó”

De Olho nos Ruralistas

A luta das comunidades quilombolas pelo território foi minimizada pelo general Sérgio Westphalen Etchegoyen. Em fala de quase duas horas no Instituto Rio Branco, no dia 23 de agosto, ele disse – conforme áudio divulgado pelo The Intercept Brasil – que entre os atuais entraves ao “progresso” estão os quilombolas. Em particular os de Alcântara (MA), município brasileiro com 152 comunidades descendentes de quilombos, o maior número do país. E onde está a base brasileira de lançamento de foguetes. (mais…)

Ler Mais

Chacina de Unaí: MPF é contra recursos de Norberto Mânica e José Alberto de Castro

Parecer enviado ao TRF também opina pelo não conhecimento do recurso de Hugo Alves Pimenta, tendo em vista que ele firmou acordo de delação premiada

Procuradoria Regional da República da 1ª Região

O Ministério Público Federal apresentou parecer pelo desprovimento dos recursos de Norberto Mânica e José Alberto de Castro no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em um dos processos do caso que ficou conhecido como Chacina de Unaí, no qual quatro servidores do Ministério do Trabalho foram mortos a tiros quando se dirigiam para fiscalização em uma fazenda da região. O documento enviado em julho também ratifica parecer enviado anteriormente pelo não conhecimento do recurso de Hugo Alves Pimenta, tendo em vista que ele firmou acordo de delação premiada e não tem interesse em recorrer sobre nulidades do julgamento.  (mais…)

Ler Mais

Centenas de vozes ecoam homenagem póstuma à pescadora Nicinha

Por Sucena Shkrada Resk, no Rio de Janeiro – Cidadãos do Mundo

A pescadora Nilce de Souza Magalhães, mais conhecida por Nicinha, liderança feminina do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), no estado de Rondônia, defendia os direitos das populações afetadas pelo Complexo Hidrelétrico, no rio Madeira e seus afluentes, em especial pela implementação da Usina Hidrelétricas de Jirau. No dia 7 de janeiro de 2016, aos 50 anos, ela teve sua voz calada ao ser assassinada, entretanto, sua mensagem continua a ecoar fortemente até hoje em mobilizações voltadas aos direitos humanos de populações vulnerabilizadas por grandes empreendimentos. (mais…)

Ler Mais