A fuga para dentro do capitalismo e a aceleração da democracia. Entrevista especial com Bruno Cava

por Ricardo Machado, em IHU On-Line

O imperativo existencial do capitalismo é a liberdade, mas não no seu sentido integral, senão aquela capaz de produzir algo que, por sua vez, pode ser vigiada, monitorada, controlada. “O processo do capital precisa de um limiar democrático, precisa do fogo do trabalho vivo que, fora de controle, pode terminar consumindo-o. Esse é o problema da democracia moderna”, pontua Bruno Cava, em entrevista por e-mail à IHU On-Line. De outro lado, o capitalismo contemporâneo experimenta uma forma de tensionamento nova, do processo de ingresso dos marginalizados à revelia do próprio sistema. Tal característica produz uma espécie de aceleração na democracia, “que se manifesta na fuga dos imigrantes, na fuga dos precários, na fuga das ocupações acampadas pelo mundo, numa fuga dos pobres diante da piora das condições de vida. Não exatamente uma fuga para fora do capitalismo, mas uma fuga do Fora do capitalismo, do ingovernável que é uma democracia que não mais se contém”, complementa. (mais…)

Ler Mais

Por que tornou-se possível fugir do capitalismo

Os riscos de horror fascista, bem sabemos, são reais. Mas surgiu pela primeira vez, na história da humanidade, a chance de deixar para trás um sistema que, no fundo, todos detestam

Por Umair Haque | Tradução: Inês Castilho, em Outras Palavras

Há uma pergunta recorrente para mim nesses dias. Se a questão, no capitalismo, é escapar do sistema, então qual a razão do capitalismo? É uma questão circular e, em certa medida, engraçada. Vou tentar explicar. (mais…)

Ler Mais

A construção de outro modelo de finanças depende de uma estratégia socioambiental

A financeirização tem permeado os mais diversos setores da economia, provocando distorções entre a economia real e a economia financeira

Por Amyra El Khalili, no Diálogos do Sul

A financeirização tem permeado os mais diversos setores da economia, provocando distorções entre a economia real (produção) e a economia financeira. A economia real baseia-se em produtividade na indústria, na agropecuária, no comércio e em serviços. Já a economia financeira é a que faz circular o dinheiro nos sistemas informatizados e tecnológicos, alimentando as taxas de juros e a especulação sobre a base produtiva. Há uma diferença substancial entre financiar e financeirizar: (mais…)

Ler Mais

Dia Mundial dos Rios

Por Claudio Dourado de Oliveira*, da CPT Bahia

O último domingo de setembro, de cada ano, se celebra o Dia Mundial dos Rios, uma data criada em 2005. O objetivo deste dia é promover a preservação dos rios de todo o mundo e aumentar o conhecimento das populações sobre a importância das bacias hidrográficas. A situação de milhares de rios mundiais que se encontram em sérias dificuldades, ameaçados pelo desenvolvimento do agronegócio, industrial e, consequentemente pelas mudanças climáticas. Atualmente, mais de 60 países celebram essa data. (mais…)

Ler Mais

Superexplorados, vigiados e… com direito a Yoga

Como o capitalismo contemporâneo captura as ideias de bem-estar e de autocuidado para submeter e disciplinar seus “colaboradores”

Por Josh Hall | Tradução: Inês Castilho, em Outras Palavras

Estamos no portal de um grande edifício de escritórios no oeste de Londres. O grande átrio eleva-se em quatro andares, todos com acabamento branco brilhante e detalhes em carvalho. Cadeiras de espaldar alto cercam as mesas de reunião, negras e reluzentes, uma lâmpada pendurada sobre cada uma delas. De um lado do piso há um grande espaço tipo galpão, destinado a pequenas empresas, onde as startups de tecnologia e moda digitam em silêncio. Do lado oposto, um extenso conjunto de mesas e estúdios para empresas maiores; no andar de cima, um mezanino com salas de reunião. E num lado desse espaço, ocupando pelo menos um quarto da superfície total, há uma tenda. (mais…)

Ler Mais

“Estados Unidos já não têm força para uma invasão militar na Venezuela”, diz Noam Chomsky

Por Vanessa Martina Silva, no Diálogos do Sul

Um dos assuntos que mais tem ocupado a pauta política internacional é a possibilidade de uma iminente invasão militar dos Estados Unidos à Venezuela, com o apoio dos países da região que nos últimos anos têm adotado uma posição de oposição aberta ao governo do presidente Nicolás Maduro.

Para o linguista, filósofo e analista político estadunidense Noam Chomsky, no entanto, essa possibilidade está fora de cogitação. Ele conversou com a imprensa alternativa na noite desta segunda-feira (17) na sede Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, no centro de São Paulo.

(mais…)

Ler Mais

‘Crescimento da extrema-direita é consequência do neoliberalismo’, diz Noam Chomsky

Em seminário realizado em SP, filosófo estadunidense alerta: a democracia declina diante do poder corporativo

Por Leonardo Fernandes e Pedro Ribeiro Nogueira, no Brasil de Fato

Na Suécia, país-estandarte da social democracia europeia, a extrema-direita xenófoba conquistou 17,5% dos votos em eleições realizadas nesta semana. Associando sua raiva aos imigrantes, como acontece em diversas partes da Europa, dos EUA e até no Brasil, a razão do crescimento da direita radical pode não estar tão associada ao ódio irracional contra populações vulneráveis, mas ao sentimento de abandono diante da aplicação de políticas neoliberais, como aconteceram nos últimos anos na Suécia. (mais…)

Ler Mais

Um bilhão de famintos no mundo. Por Elaine Tavares

No Palavras Insurgentes

Na última terça-feira, dia 11, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) divulgou os números da fome no mundo. Quase um bilhão de famintos (821 milhões). E isso considerando os países que dispõem de dados, o que significa que o número pode ser maior. Só no continente africano estão 256 milhões de pessoas passando fome.  Na América Latina, aonde os números haviam diminuído, a fome voltou a crescer, afetando 32 milhões de pessoas.  (mais…)

Ler Mais

Brasil atende a interesses do latifúndio e do capital internacional, diz pesquisadora

Para Larissa Mies Bombardi, em vez de seguir o caminho da segurança e soberania alimentar, país “se vira do avesso” para transformar o território nacional em base para o capitalismo internacional

por Redação RBA

Autora do Atlas de Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia, a professora do Programa de Pós Graduação em Geografia Humana da Universidade de São Paulo (USP) Larissa Mies Bombardi acredita que, para entender a configuração da agricultura no Brasil, é preciso antes compreender a existência de uma questão agrária mal resolvida. “Nós não fizemos a lição de casa, que era promover o acesso à terra. Temos uma classe social, o campesinato, que foi e é permanentemente excluída da terra. E se temos as experiências agroecológicas trazidas pelos camponeses, por outro lado, temos a força enorme do latifúndio”, afirmou, em entrevista nesta quinta-feira (13), aos jornalistas Marilu Cabañas e Glauco Faria, na Rádio Brasil Atual(mais…)

Ler Mais

‘O suicídio está associado, inclusive, à crise social-econômica que o mundo vive’. Entrevista com Carlos Estellita-Lins

Portal EPSJV/Fiocruz

O mês de setembro ganha a cor amarela como parte da campanha de prevenção ao suicídio. Por conta disso, o Portal EPSJV/Fiocruz foi ouvir o pesquisador do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz) Carlos Estellita-Lins, com atuação clínica em psicanálise e psiquiatria e estudioso do tema, para entender o recrudescimento do suicídio em algunas grupos populacionais e a relação entre suicídio e as transformações ambientais. Trata-se de um problema de saúde pública mundial: a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 800 mil pessoas morram desta forma anualmente, uma a cada 40 segundos, o que equivale a 1,4% dos óbitos totais. A média global de mortes voluntárias é de 10,7 por cem mil habitantes, sendo 15 por cem mil entre homens e oito entre as mulheres. (mais…)

Ler Mais