Transnordestina: Justiça suspende atividades e condena empresa por violações a Comunidades Quilombolas

A suspensão é no trecho Elizeu Martins(PI) a Trindade(PE)

Ministério Público Federal no Piauí

A Justiça Federal da Vara Única de São Raimundo Nonato (PI) determinou a suspensão da licença de instalação e das obras da Ferrovia Transnordestina, no trecho localizado entre as cidades de Trindade (PE) e Eliseu Martins (PI), por violação aos direitos das Comunidades Quilombola de Contente e Barro Vermelho, localizadas no município de Paulistana (PI). (mais…)

Ler Mais

“La diversidad cultural aporta riqueza, color y dinamismo a nuestra vida”

Servindi

La diversidad cultural, además de ser una ventana cognitiva e intelectual y un motor de desarrollo social y de crecimiento económico, aporta su riqueza, color y dinamismo a nuestra vida.

Así lo señaló Audrey Azoulay, directora general de la Organización de las Naciones Unidas para la Educación, la Ciencia y la Cultura (UNESCO) en el marco del Día Mundial de la Diversidad Cultural para el Diálogo y el Desarrollo, que se celebra cada 21 de mayo. (mais…)

Ler Mais

Documentário mostra riqueza da música tocada nos terreiros de candomblé

Orin: Música Para os Orixás será lançado em uma série de eventos até o dia 27 de maio

Por Marília Moreira, no Correio 24 horas

A riqueza da música tocada nos terreiros de candomblé de Salvador e sua influência na construção da música popular brasileira são registradas no documentário Orin: Música para os Orixás, que será lançado hoje, a partir das 18h, no Terreiro do Gantois, na Federação. (mais…)

Ler Mais

Cannes: Longa com índios Krahô leva Prêmio Especial do Júri na mostra Um Certo Olhar

Em O Globo

SÃO PAULO – A mostra Um Certo Olhar, que faz parte da seleção oficial do 71º Festival de Cannes, anunciou nesta sexta-feira a sua lista de premiados. O prêmio principal foi para “Border”, de Ali Basi, coprodução entre Suécia e Dinamarca que flerta com a ficção científica. O longa luso-brasileiro “Chuva é cantoria na aldeia dos mortos”, do português João Salaviza e da brasileira Renée Nader Messora, ganhou o Prêmio Especial do Júri. (mais…)

Ler Mais

Museus de Contranarrativas e Resistência, Parte 3: Museu da Maré #SemanaDeMuseus

Claro que têm pessoas que são coitados, que são violentos, mas essas pessoas não representam este lugar.” – Diretora do Museu da Maré Cláudia Rose Ribeiro

por Gitanjali Patel*, em RioOnWatch

O Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, é composto por 16 favelas. Com mais de 130.000 habitantes, segundo o Censo de 2010 (embora estimativas recentes calculem aproximadamente 140.000 habitantes), a Maré é o maior complexo de favelas do Rio. Antes dos primeiros colonos chegarem ao que hoje é conhecido como Morro do Timbau, essa parte da Baía da Guanabara era formada por um arquipélago de nove ilhas onde pequenas comunidades pesqueiras indígenas residiram por mais de 8.000 anos. (mais…)

Ler Mais

Museus de Contranarrativas e Resistência, Parte 2: Um Novo Tipo de Museu #SemanaDeMuseus

“O museu é o tipo de intervenção que podia provar a legitimidade das comunidades e lutar contra a criminalização e discriminação que elas sofrem.” – Museólogo Mario Chagas

por Gitanjali Patel, em RioOnWatch

O primeiro museu em favela foi o Museu da Limpeza Urbana construído no Caju, na Zona Norte do Rio de Janeiro, em 1996. Desde então pelo menos dez outros museus foram criados em favelas em toda a cidade. Em cada caso, houve um reconhecimento da necessidade de preservar a história local e as memórias da comunidade para abordar a sua falta de representação nacionalmente. (mais…)

Ler Mais

Os Krahô em Cannes: “Sabíamos que tínhamos de fazer um filme com a paciência do mundo”

Era uma vez o cinema… inventado junto dos krahô, povo indígena do Brasil. João Salaviza e Renée Nader Messora foram à procura de algo que só podia nascer sobre os restos de uma maneira de produzir e de filmar de que Montanha, que ele realizou e em que ela foi assistente, foi para eles o estertor. Fugiram. Encontraram.

Por Vasco Câmara, no Público

Talvez se entre para Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos com medo do que se vai encontrar. Como se uma parte de nós estivesse em perda com a ruptura que João Salaviza – “sequestrado” por Renée Nader Messora – fez com o cinema e a vida que antes quis e conheceu. (mais…)

Ler Mais

Professora indígena formada na USP funda a própria aldeia para recuperar tradições

Itamirim se dedica a trazer de volta hábitos culturais perdidos por tribo tupi-guarani em Peruíbe, no litoral paulista.

Por Isabela Madeira, Leticia Gomes e Yasmin Vilar*, no G1

Educadora indígena formada pela Universidade de São Paulo (USP), Miriam Lima dos Santos Oliveira, de 39 anos, se viu em uma situação incomum na aldeia Piaçaguera, onde vivia, em Peruíbe, no litoral paulista. Ela foi proibida pelo cacique, dentro da escola onde trabalhava, de dar aulas de cultura. Diante disso, resolveu fundar a própria aldeia, para recuperar os hábitos perdidos de sua etnia.

(mais…)

Ler Mais

Por “uma Igreja com rosto amazônico e com rosto indígena”. O Sínodo Pan-Amazônico e a busca de um novo paradigma de evangelização. Entrevista especial com Paulo Suess

por Patricia Fachin, em IHU On-Line

A busca de novos caminhos para a evangelização, especialmente das comunidades indígenas que vivem na Amazônia, mote que orienta o Sínodo Pan-Amazônico a ser realizado em outubro de 2019, significa a “busca de um novo paradigma para a evangelização”, “porque, mesmo depois de 500 anos, nos caminhos da primeira evangelização ainda há entulho teológico-pastoral da época do império e da colonização impedindo que se forje uma Igreja autóctone”, diz Paulo Suess à IHU On-Line, ao comentar o sentido da convocatória feita pelo papa Francisco. (mais…)

Ler Mais