Nota do Movimento Nacional de Mulheres do Ministério Público pela Escola com Partido

O Transforma MP compartilha o Manifesto do MNMMP contra o projeto que ficou conhecido como Escola sem Partido, apontando os retrocessos democráticos que podem ocorrer com o avanço da matéria:

Nós, promotoras e procuradoras integrantes do Movimento Nacional de Mulheres do Ministério Público, somos radicalmente contrárias ao projeto da “escola sem partido”, que a pretexto de uma falsa neutralidade, nega às alunas e aos alunos a consciência do contexto social e histórico em que estão inseridos. Por sermos mulheres, precisamos nos posicionar, tomar partido, demonstrar o nosso lugar de fala, de lutas históricas pela igualdade de direitos, pelo fim das violências, física, psicológica e simbólica que vitimam tantas mulheres. (mais…)

Ler Mais

Carta de  Trancoso: MPF reafirma compromisso com igualdade de gênero e rechaça intolerância, discriminação e ódio

Reunidos em seu XXXV Encontro em Trancoso, Bahia, cerca de 200 procuradores da República divulgaram Carta na qual rechaçam “toda forma de intolerância, violência, discriminação e discurso de ódio, reafirmando seu compromisso com uma sociedade plural e sem preconceito em que sejam respeitados todos os direitos fundamentais de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros e pessoas intersexuais”. E afirma: “É dever do Estado brasileiro defender todas as formas de famílias, segundo uma visão inclusiva e plural, expressão direta da dignidade da pessoa humana.”

A Carta de Trancoso estabelece ainda que “As procuradoras e procuradores devem zelar pela liberdade de expressão, evitando todas as formas de controle pela palavra e de censura prévia, inclusive entre seus pares, observados os limites legais”. (mais…)

Ler Mais

El internacionalismo de las mujeres contra el patriarcado mundial

Por Dilar Dirik y Roar Magazine, en Servindi

La lucha contra el patriarcado, ya sea orgánica y espontánea, o militante y organizada, constituye una de las formas más antiguas de resistencia. Como tal, posee algunos de los conjuntos más diversos de experiencia y conocimiento dentro de ella, encarnando la lucha contra la opresión en sus formas más antiguas y universales.

Desde las primeras rebeliones de la historia hasta las primeras huelgas organizadas, protestas y movimientos, las mujeres que luchan siempre han actuado con la conciencia de que su resistencia está vinculada a problemas más amplios de injusticia y opresión en la sociedad. Ya sea en la lucha contra el colonialismo, el dogma religioso, el militarismo, el industrialismo, la autoridad estatal o la modernidad capitalista, históricamente los movimientos de mujeres han movilizado la experiencia de diferentes aspectos de la opresión y la necesidad de luchar en múltiples frentes. (mais…)

Ler Mais

Economia feminista, uma forma de organização que tem mudado vidas no Vale do Ribeira

Conheça projeto desenvolvido na Barra do Turvo, interior de SP, que fortalece a organização de mulheres nas comunidades

Mayara Paixão, Brasil de Fato

Há quase três anos, um projeto de agroecologia na região da Barra do Turvo, município do Vale do Ribeira, no interior de São Paulo, tem transformado a vida de cerca de 70 mulheres agricultoras. (mais…)

Ler Mais

Candidatos conservadores representam mais retrocessos para as mulheres

Em Pulsar Brasil

Se depender da agenda dos candidatos de perfil conservador, as mulheres deverão fazer do movimento #EleNão um fórum permanente de lutas contra retrocessos. O líder das pesquisas de intenção de voto, Jair Bolsonaro (PSL), alvo das manifestações do último domingo (29), menciona a palavra mulher apenas uma vez. E no título de um gráfico: “Outro exemplo de mudança ideológica – Combater o estupro de mulheres e crianças.” (mais…)

Ler Mais

Vítima de violência doméstica poderá ter indenização por dano moral sem necessidade de prova específica

Projeto incorpora à Lei Maria da Penha jurisprudência do STJ

Por Lara Haje, Agência Câmara Notícia

Proposta em tramitação na Câmara dos Deputados prevê que, em casos de violência doméstica contra a mulher, o juiz poderá decretar indenização mínima por dano moral sem necessidade de prova específica. Para isso, deverá haver pedido expresso da acusação ou da parte ofendida, ainda que não especificada a quantia. (mais…)

Ler Mais

#EleNão. #NósSim. Por Eliane Brum

É com corpos que se recusam a ser determinados pelo ato de ser violentada ou pelo ato de violar que podemos criar um outro jeito de ser e de estar nesse mundo

No El País

Demorei a entender que a violência de ter um corpo sempre em risco não era um dado a mais na trajetória de uma vida. Não era um trauma ou uma história triste. Ou vários traumas ou várias histórias tristes. A violência é tão constituinte do que é ser uma mulher como nossos ossos, órgãos, sangue. A violência é estrutural no nosso ser e estar no mundo. Compreendemos o que somos pela ameaça aos nossos corpos. (mais…)

Ler Mais

#Elenão deixou de ser uma simples hashtag: é um movimento feminista e político que pode mudar o Brasil

Por Rosana Pinheiro-Machado e Joanna Burigo, no The Intercept Brasil

#EleNão entendeu: “É ingênuo pensar que quem já decidiu e declarou voto no Bolsonaro vai mudar de ideia porque viu o vídeo de uma manifestação ou uma hashtag na internet”, escreveu Fabricio Pontin no Intercept Brasil, em resposta a um chamado político de uma das autoras desta tréplica, Rosana Pinheiro-Machado.

Pontin está errado em muitos níveis. Mas a maior fragilidade do seu argumento é construir uma crítica cética a partir de algo que demonstra não ter entendido: o #elenão, movimento que descreve com ambivalência, ora como hashtag, ora como guerra de memes. (mais…)

Ler Mais