Gênero e agroecologia são temas de formação continuada da Rede Mulher Sertão do São Francisco

Formação da Rede Mulher discute sobre patriarcado e suas formas de dominação com cerca de 35 agricultoras, apicultoras, pescadoras dos municípios de Juazeiro, Sento Sé, Pilão Arcado, Remanso, Campo alegre de Lourdes, Casa Nova, Curaçá, na Bahia. 

por Comunicação Irpaa / CPT

Com a proposta de ser uma formação modular, o primeiro encontro aconteceu nos dias 06 e 07 de novembro, no Centro de Formação Dom José Rodrigues, em Juazeiro (BA). A violência contra a mulher e a divisão injusta do trabalho foram as principais evidências reconhecidas pelas mulheres como a maior expressão do patriarcado.

(mais…)

Ler Mais

Nota de Repúdio de Católicas pelo Direito a Decidir

Católicas pelo Direito de Decidir é uma organização que luta pela descriminalização e legalização do aborto para que mulheres não tenham que se submeter ao risco de abortos clandestinos que podem levar à morte dessas mulheres. Somos a favor do respeito à decisão das mulheres em relação ao aborto e, sobretudo, a favor do cumprimento da lei nos casos em que o aborto está legalizado em nosso país. Desta forma, não reconhecemos os grupos contrários à legalização do aborto como “pró-vida”. Para nós, esses grupos são pró-morte.

(mais…)

Ler Mais

Mulheres em tempos de cólera

CPT

Neste artigo da Coluna Vozes das Mulheres, publicado pela CPT Bahia, Camila Mudrek dedica a publicação a todas as “mulheres que correm em nossas veias e morreram e nasceram pela luta dos povos brasileiros”. Confira:

“Quando eu fico sem comêr, Tenho tantos versos que fico qua-

se louca. Com o estomago cheio O serebro, é semi-nórmal.

Eu chorei porque… as ideias poeticas em exesso é horrível.”

Carolina Maria de Jesus, 18 de dezembro de 1959

(mais…)

Ler Mais

A luta das Guarani e Kaiowá na região mais perigosa para mulheres indígenas no país

Reportagem foi a Dourados, município com mais casos de violência sexual contra mulheres indígenas

Por Anna Beatriz Anjos, Bruno Fonseca, Agência Pública

“Eu vou parar a plenária”, diz a voz ao microfone. “Do que adianta nós, mulheres, falarmos da violência sendo que os homens estão circulando?” O recado é dado pela jovem Aradunhá Kaiowá aos homens que foram aos poucos se dispersando. Ela conduz o segundo dia de discussões da sétima Kuñangue Aty Guasu, a grande assembleia das mulheres Guarani e Kaiowá, realizada a cada ano em uma terra indígena habitada por esses povos no Mato Grosso do Sul. Em 2019, o encontro ocorreu em setembro na aldeia Yvy Katu Potrerito, município de Japorã, na fronteira com o Paraguai. O protagonismo é totalmente feminino, mas os homens são convidados a estar ali e ouvir os relatos sobre problemas que os envolvem diretamente.

(mais…)

Ler Mais

Lançado concurso para jovens com o tema “Mulheres rurais: inovando estratégias, transformando realidades”

O concurso, lançado nesta semana pela organização boliviana IPDRS, tem, entre os seus objetivos, estimular a produção de conhecimento, reflexão, debates e propostas sobre diversos temas do desenvolvimento rural. Para isso, a iniciativa aposta na produção de ensaios textuais e curtas-metragens. O encerramento do concurso ocorre no dia 22 de dezembro desse ano, e os/as vencedores/as serão conhecidos/as em janeiro de 2020.

CPT*

Neste ano de 2019, o “Instituto para el Desarrollo Rural de Sudamérica” (IPDRS), organização da Bolívia, lançou o Concurso Anual para Jovens com o propósito de estimular a produção de conhecimento, reflexão, debates e propostas sobre diversos temas do desenvolvimento rural; contribuir com a difusão de conteúdos diversos aos tradicionalmente divulgados e promover e ampliar a participação de mulheres e homens jovens, fomentando suas contribuições na área. O tema deste ano propõe trabalhar “Mulheres rurais: inovando estratégias, transformando realidades”.

(mais…)

Ler Mais

#VozesdasMulheres | O protagonismo da mulher rural

Na Coluna Vozes das Mulheres, Camila de Almeida, a partir da Marcha das Margaridas, aborda a importância política que carrega o ato (ainda mais em tempos de reafirmação de liberdade e democracia). “As agendas de gênero/mulheres nos sindicatos, por exemplo, são, em certa medida, uma herança dos movimentos de mulheres e feministas que emergiram nos anos 1970”. Confira na íntegra:

por Camilla de Almeida Silva –  publicado na Coluna Vozes das Mulheres – CPT Bahia 

Entre os dias 13 e 14 de agosto aconteceu em Brasília (DF) a sexta Marcha das Margaridas, que reuniu milhares de mulheres trabalhadoras rurais (agricultoras, assalariadas, quilombolas, indígenas, pescadoras e extrativistas) de cada canto do Brasil reforçando a luta por direitos, o combate à violência contra a mulher e em defesa da Previdência Social, dentre outras questões.

(mais…)

Ler Mais

No Norte de Minas, mulheres realizam 8º Encontro no Brejo dos Crioulos

Nesta quinta-feira, 29, ocorreu, na Comunidade Araruba, no município mineiro de São João da Ponte, distante 574 quilômetros de Belo Horizonte, o 8º Encontro das Mulheres de Brejo dos Crioulos, que reuniu cerca de 40 participantes.

CPT

Localizada às margens do Rio Arapuim, afluente do Rio Verde Grande, Brejo dos Crioulos é uma comunidade quilombola centenária que sempre precisou lutar pela regularização de seu território e contra os conflitos no campo.  

(mais…)

Ler Mais

Christiane, Aida, Marcia, Maria, Adelia: cinco histórias de Margaridas

Mulheres de todas as idades, do campo e da cidade, levaram para Brasília diferentes pautas para o encontro de camponesas; em comum, a intenção de fortalecer a luta por seus direitos 

Por Priscilla Arroyo, em De Olho nos Ruralistas

Luta, esperança e coragem. As palavras resumem os propósitos das milhares de mulheres que ocuparam as ruas de Brasília com um chapéu na cabeça e um sorriso no rosto durante a Marcha das Margaridas, nos dias 13 e 14, maior evento de luta feminina da América Latina. Apesar dos desafios impostos pela política, estavam felizes por encontrar as companheiras e ter as suas vozes ampliadas. Elas falam, cada uma a seu modo, sobre as mudanças que gostariam de ver no Brasil.

(mais…)

Ler Mais

Marcha das Margaridas deixa recado em meio à retirada de direitos: “Vamos renascer das cinzas”

Protesto contra retrocessos nas políticas públicas do governo Bolsonaro marcaram ato que reuniu recorde de cem mil pessoas em Brasília durante os dias 13 e 14; mudanças nas regras da aposentadoria são a maior preocupação das mulheres do campo

Por Priscilla Arroyo, em De Olho nos Ruralistas

“Vamos renascer das cinzas, plantar de novo um arvoredo. Bom calor nas mãos unidas, na cabeça de um grande enredo”. Em uma nova versão, na voz de uma mulher, os versos de Martinho da Vila permearam a abertura da 6ª Marcha das Margaridas, ato que levou 100 mil mulheres à capital durante os dias 13 e 14. Trata-se de um número recorde de participantes da ação, que, desde 2000, acontece de quatro em quatro anos, com desfecho em Brasília. Esta edição aconteceu sob o lema “Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência”.

(mais…)

Ler Mais