‘As pessoas não sabem que votam contra si ao votarem em Bolsonaro’

Para Wellington Leonardo da Silva, presidente do Conselho Federal de Economia, os planos do candidato pioram a já baixa mobilidade social brasileira

por André Barrocal, em CartaCapital

A ascensão social dos mais pobres é cada vez mais difícil no mundo. A distância deles para os ricos aumenta desde a crise financeira global de 2008, conforme uma pesquisa de junho da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Por razões históricas, no Brasil é pior. No quesito ascensão social, o País é o penúltimo em um ranking de 30 nações elaborado pela OCDE. (mais…)

Ler Mais

Cerca de 3 mil entidades repudiam fala de candidato defendendo fim do ativismo no país

Confira carta assinada pelo ISA que defende a ação de movimentos sociais e organizações da sociedade civil em defesa da democracia

ISA

Cerca de 3 mil organizações não-governamentais, coletivos e movimentos sociais nacionais e internacionais manifestaram repúdio à fala do candidato à Presidência Jair Bolsonaro de que, se eleito, vai “botar um ponto final em todos os ativismos no Brasil”. A afirmação foi feita no domingo (7/10), depois da divulgação dos resultados do primeiro turno. (mais…)

Ler Mais

‘É preciso nova bibliografia para escolas’, diz general da equipe do capitão que coordena estudos para o MEC

Contrário à política de cotas, defende a “prevalência do mérito” e diz que, se a ideia for aceita por Bolsonaro, serão estudadas medidas “não traumáticas” para substituir as regras

Do Estadão, no EM

À frente do grupo que elabora propostas para o Ministério de Educação de um eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL), o general Aléssio Ribeiro Souto diz que “é muito forte a ideia” de se fazer ampla revisão dos currículos e das bibliografias usadas nas escolas para evitar que crianças sejam expostas a ideologias e conteúdo “impróprio”. Ele defende que professores exponham a verdade sobre o “regime de 1964”, narrando, por exemplo, mortes “dos dois lados”. (mais…)

Ler Mais

O que aprender de um primeiro turno atípico

Além da vitória da extrema direita, é preciso atentar para a emergência dos think tanks internacionais e a necessidade de reinventar a política. Mas agora, o urgentíssimo é evitar governo de devastação do país

Por Róber Iturriet Avila*, em Outras Palavras

• A extrema-direita teve uma evidente vitória. Deputados, senadores e talvez governadores. Mesmo que leve a virada, Bolsonaro afirma-se como líder e conquista grande espaço. Encampa o desejo de mudança contra o sistema.
• A última semana trouxe uma onda bolsonarista. Aparentemente, as igrejas evangélicas tiveram influência. (mais…)

Ler Mais

Chega de ódio, pela democracia no Brasil e no mundo

Buala

Apelo às pessoas preocupadas com a situação social e política que se vive no Brasil:

No próximo dia 28 de Outubro disputa-se a segunda volta das presidenciais no Brasil entre os candidatos Fernando Haddad e Jair Bolsonaro. Dizer basta ao ódio, ao medo e à violência tem de se fazer valer neste momento. É urgente reafirmar a democracia, a liberdade e os direitos humanos. (mais…)

Ler Mais

Democracia: mudança com Justiça e Paz. Nota Pública das Pastorais e outras entidades

Em Nota Pública, Pastorais Sociais, Pastorais do Campo e outras entidades analisam a conjuntura política dessas eleições de 2018, e ressaltam: “Nosso Brasil pode ter divergências, porém sem ódio. Há necessidade do crescimento da economia com diminuição da desigualdade. Com base nestes valores, temos o dever fraterno de alertar a todos os nossos concidadãos e concidadãs, para que sua escolha no 2º turno contemple os princípios aqui defendidos e o candidato que os representa, integrante de uma ampla frente democrática pluripartidária, para assegurar um futuro de Justiça e de Paz para o Brasil”. Confira: (mais…)

Ler Mais

Nota Pública: Com a foice no pescoço

Na INA

A INA – Indigenistas Associados vem a público manifestar preocupação acerca das declarações e propostas do candidato do PSL à Presidência da República no que diz respeito aos direitos dos povos indígenas e à execução da política indigenista brasileira. O candidato sinaliza alinhamento com interesses particulares, em detrimento aos direitos coletivos dos povos indígenas. Faz, ainda, afirmações no sentido de um desmonte da estrutura do Estado brasileiro, com orientações de implementação do ‘Estado Mínimo’, além de afirmar que não revisará a Emenda Constitucional nº 95 (Emenda do Teto de Gastos Primários). Tais posicionamentos colocam os trabalhadores indigenistas em intensa insegurança jurídica. Hoje, indígenas e indigenistas têm medo das consequências perigosas que tais declarações e propostas possam vir a ter. (mais…)

Ler Mais

A democracia: um bem comum político. Por Cândido Grzybowski

Do Ibase

Estamos em um momento histórico no Brasil que coloca em risco a própria democracia. Um processo eleitoral extremamente polarizado e com o candidato Bolsonaro negando qualquer resultado, que não seja a sua vitória e a imposição de sua agenda, carregam uma ameaça ao estado democrático. Como bem comum, ele não permite ser vivido e ao mesmo tempo negado, com exclusões e até discursos de eliminação de adversários e defensores de direitos. Bolsonaro já anunciou que pretende eliminar toda forma de ativismo cidadão, com a violência das armas se necessário. Aliás, ele não esconde que admira e tem como modelo a ditadura militar que nos foi imposta de 1964 a 1985. Já sabemos pela nossa história e de tantos outros povos a barbárie que praticam tais regimes. (mais…)

Ler Mais

De ator pornô a herdeiro da monarquia, a eclética bancada de Bolsonaro na Câmara

PSL elegeu 52 deputados e espera chegar aos 90, por conta da cláusula de barreira Militares, líderes pró-impeachment de Dilma e outsiders se colaram na figura do presidenciável

por Afonso Benites, em El País

Militares, policiais, outsiders, ator que já gravou filme pornô, descendente da família real brasileira, ex-nadador olímpico, líderes de movimentos pró- impeachment de Dilma Rousseff (PT), jornalista processada por plágio, candidatos à reeleição ou apenas concorrentes fracassados em outras disputas que colaram sua imagem à de Jair Bolsonaro. Assim é formada a eclética bancada que o partido do presidenciável, o PSL, fez na Câmara dos Deputados neste ano. Entre seus 52 eleitos, a segunda com maior representatividade no Legislativo atrás apenas da do PT, há três que se declararam negros, 14 pardos e 35 brancos. Nove são mulheres. A frente da bala é expressiva: ao menos 22 já trabalharam ou atuam em órgãos de segurança privada ou pública, como as Forças Armadas, empresas particulares, polícias Civil, Federal, Militar e Rodoviária Federal. A média de idade é jovem, 45 anos. E quase a metade, 24, nunca havia disputado um mandato eletivo. (mais…)

Ler Mais

Bolsonaro pediu fim da lei que garante atendimento a vítimas de estupro

No projeto de 2013, candidato do PSL e outros 12 deputados argumentaram que lei teria como finalidade preparar terreno para a legalização do aborto no Brasil

por Bela Megale, em Época

O candidato à presidência pelo PSL Jair Bolsonaro é um dos autores do Projeto de Lei que pediu a revogação do atendimento obrigatório às vítimas de estupro. Na proposta, ele e outros 12 deputados, boa parte da bancada evangélica e todos homens, defendem o fim da lei que obriga a rede pública de saúde a prestar socorro a qualquer pessoa que sofreu violência sexual. (mais…)

Ler Mais