Rabino Jayme Fucs e representantes da comunidade judaica visitam Lula em Curitiba

Representantes do povo judeu escolheram a data do yom kippur, feriado religioso que celebra o perdão, para o encontro

Por Camila Vida, no Brasil de Fato

Nesta segunda-feira (17) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu a visita religiosa do rabino Jayme Fucs, representante da corrente Secular Humanista, que reúne progressistas e intelectuais no mundo todo. Ele veio em nome do povo judeu visitar o líder petista, acompanhado de outros vinte ativistas judeus, por não se conformar com o desrespeito à resolução do Comitê de Direitos Humanos da ONU e ele lembrou dos setenta anos da criação da Declaração de Direitos Humanos, elaborada depois de presenciado o holocausto promovido pela Alemanha nazista. (mais…)

Ler Mais

General diz que “grande parte” de homens de comunidades pobres são bandidos. Por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

Após as críticas que recebeu por ter declarado, nesta segunda (17), que ”a partir do momento que a família é dissociada”, por ”agendas particulares que tentam impor ao conjunto da sociedade”, ”áreas carentes”, ”onde não há pai e avô”, apenas ”mãe e avó” transformam-se em ”uma fábrica de elementos desajustados” que tendem a ingressar em ”narcoquadrilhas”, o general da reserva Hamilton Mourão afirmou que fez apenas uma ”constatação”. E trouxe mais um preconceito. (mais…)

Ler Mais

Liberação de porte de armas no campo é carta branca para matar, afirma liderança indígena Inaldo Serejo Gamela

Proposta é destaque em candidaturas presidenciais e em projetos de lei na Câmara dos Deputados

Cristiane Sampaio, Brasil de Fato

Era abril de 2017 quando Inaldo Serejo Gamela, liderança indígena do Maranhão, foi vítima de um ataque arquitetado por fazendeiros atuantes no estado. A ação ocorreu durante a tentativa de retomada de uma terra originalmente indígena que foi grilada nos anos 1970 e hoje é alvo de um intenso conflito entre povos tradicionais e latifundiários. (mais…)

Ler Mais

“Eleger Bolsonaro é a situação política mais perigosa do país desde 64”, diz jurista

A avaliação é de Pedro Serrano, jurista constitucional, que alerta para as novas formas de autoritarismo na sociedade

No Brasil de Fato

“Isso é extremamente perigoso. Eleger Bolsonaro é a situação política mais perigosa do país desde 1964. Não tenho a menor dúvida. Esse sujeito pode usar da mediação com a democracia, do fato de ter sido eleito, para impor um autoritarismo muito mais intenso. Isso significa a morte de pessoas, o sacrifício do pedaço de uma geração e do seu livre pensamento, um atraso para o país”. (mais…)

Ler Mais

Civilização ou barbárie. Por Marcio Sotelo Felippe

Na Cult

A advogada propõe a demanda e é impedida de ler a contestação do réu. O vídeo a mostra de pé na sala de audiências, digna e altiva, exigindo o representante da OAB. É expulsa, presa e algemada no chão. A advogada é negra. Jamais seria um advogado branco engravatado, membro da aristocracia social brasileira.

O candidato a presidente, em ato de campanha, descreve uma visita a um quilombo: “Fui em um quilombola [sic] em Eldorado Paulista. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais”. Uma arroba equivale a cerca de 15 kg e se usa para gado; “procriador”, para animais. O uso da linguagem escancara a visão de superioridade do branco e a desumanização do negro. (mais…)

Ler Mais

As virtudes da democracia como método. Por Cândido Grzybowski

Do Ibase

Que conjuntura eleitoral complicada a que estamos vivendo! Parece que nada acontece, mas muita coisa está vindo à tona. Todos os fantasmas, racismos, machismos, intolerâncias e ódios estão se expondo de forma aberta, sem vergonha. Ao mesmo tempo, quanto bom senso emerge dos debates que isto tudo provoca no meio popular. Confuso? Sim, confuso mas vivo, apaixonado até. É a democracia em ação, ao seu modo. Muito melhor que qualquer forma de autoritarismo, apesar dos que se aproveitam do clima de total abertura de corações e mentes para pregá-lo. (mais…)

Ler Mais

Por que o TSE, que rejeitou Lula, permitiria fraude de urna pró-PT? Por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

A legitimidade das eleições, um dos pilares de nossa democracia, tem sido questionada com uma facilidade bizarra.

Neste domingo (16), foi Jair Bolsonaro, mantendo uma cruzada contra seus moinho de vento, as urnas eletrônicas afirmou: ”a grande preocupação não é perder no voto, é perder na fraude. Então, essa possibilidade de fraude no segundo turno, talvez até no primeiro, é concreta”. Já, em 9 de setembro, foi Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, que afirmou que o atentado contra Jair Bolsonaro pode levar o futuro governo a ter dificuldade em garantir estabilidade e governabilidade, ”podendo até mesmo ter sua legitimidade questionada”, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo. Extrapolou, dessa forma, as funções constitucionais das próprias Forças Armadas, que não incluem opinar sobre a validade de eleições, mas atender a demandas dos Três Poderes. (mais…)

Ler Mais

Por que há mulheres que votam em Bolsonaro?

Pela família, pelos valores cristãos, pelos cidadãos de bem: o discurso simples e conservador do candidato convence até quem sofre com o machismo

por Carol Castro, em CartaCapital

“Empoderamento feminino se dá com arma na mão de cidadão de bem”. “Só um candidato preocupado de verdade com a violência contra a mulher propõe castração química para estupradores”. “Sou contra a ideologia de gênero – vai ensinar filho meu a ser gay na escola?” (mais…)

Ler Mais

“Grupo contra Bolsonaro incomoda por causa de seu potencial”, diz Rosana Pinheiro-Machado

Para a antropóloga da Universidade Federal de Santa Maria, grupo que reune mais de 1 milhão de mulheres é um fenômeno político extraordinário

por Gabriel Bonis, em CartaCapital

Após sofrer ataques neste fim de semana, o grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” foi retirado temporariamente do ar pelo Facebook. O grupo ganhou repercussão por reunir em poucos dias mais de 1 milhão de mulheres (além de milhares de outras solicitações aguardando aprovação) se opondo à candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência. (mais…)

Ler Mais

Fremdschämen, a constrangedora ‘aula’ sobre nazismo dos brasileiros aos alemães

O termo alemão para “vergonha alheia” resume o que foi a enxurrada de críticas de internautas brasileiros a um vídeo da Embaixada alemã afirmando que nazismo é de direita

Por Marina Rossi e Regiane Oliveira, no El País

Uma palavra sintetiza a aula sobre nazismo que um grupo de brasileiros tentou dar aos próprios alemães na Internet: fremdschämen (vergonha alheia). O que era para ser um vídeo (abaixo) sobre como se ensina a história do nazismo, publicado no Facebook pela Embaixada da Alemanha em Brasília e pelo Consulado Geral no Recife, se tornou um campo de guerra nas redes sociais. (mais…)

Ler Mais