Dilemas da educação. Por Bruno Resck*

Do sucateamento ao desafio da extrema direita

em A Terra é Redonda

É inegável a importância histórica da criação dos Institutos Federais de Educação e a expansão das Universidades Federais ao longo dos governos do Partido dos Trabalhadores desde 2003. No entanto, é igualmente inegável que o processo de desmonte da educação federal tenha começado, infelizmente, ainda no governo da presidente Dilma Rousseff, com os ajustes fiscais promovidos pelo então ministro da Fazenda, Joaquim Levy. (mais…)

Ler Mais

Privatização das escolas públicas em São Paulo. Por Ricardo Normanha

À nossa geração cabe fazer o enfrentamento que começa no nível mais basal da realidade, desfascistizando as relações cotidianas e criando todas as barreiras necessárias para o avanço das políticas privatizantes.

No Blog da Boitempo

O governo de São Paulo, sob a gestão do governador de extrema-direita Tarcísio de Freitas (Republicanos), está implementando o projeto “Novas Escolas” através de uma parceria público-privada (PPP) para construir e “modernizar” 33 unidades escolares, atendendo 35 mil estudantes dos ensinos fundamental e médio (São Paulo [2024?]). (mais…)

Ler Mais

“O discurso da culpa dos homens, especialmente dos jovens, mobiliza para a extrema-direita”. Entrevista com Alfredo Ramos

IHU

Perfurar as masculinidades para que possa entrar oxigênio. Não para criar modelos de homens ideais, mas para ampliar o que é ser um homem e mudar significados e hierarquias sociais. Em Perforar las masculinidades (Bellaterra), Alfredo Ramos (Madrid, 1978) reflete sobre um tema recorrente nos últimos tempos, mas com a carência de novas abordagens. Doutor em ciências políticas, Ramos tem participado de diversas experiências de economia social e por vários anos trabalhou no grupo do Podemos, na Comunidade de Madrid, experiência da qual provém um dos capítulos mais afiados do livro. (mais…)

Ler Mais

Bolsonaristas e empresas de tecnologia tentam barrar regulação de inteligência artificial

PL 2.338/23 é criticado por bolsonaristas, com apoio de big techs que dizem que legislação dá “direitos demais”

Por Laura Scofield | Edição: Ed Wanderley, em Agência Pública

De um lado, bolsonaristas tentam derrubar o Projeto de Lei (PL) 2.338/2023, que regula a inteligência artificial (IA) no Brasil; do outro, empresas de tecnologia buscam convencer os senadores de que o projeto garante direitos demais. É nesse contexto que o projeto de lei da IA será analisado pela Comissão Temporária Interna sobre Inteligência Artificial (CTIA), no Senado Federal, nos próximos dias, após audiências públicas sobre o assunto realizadas na casa de 1º a 3 de julho. (mais…)

Ler Mais

Labirinto do conservadorismo. Por Luiz Marques

Existem 109,5 mil centros evangélicos, no país. Somando os terreiros, as igrejas e as sinagogas são 579,7 mil auditórios religiosos; 286 por lote de 100 mil habitantes. A legislação permitiu a abertura das comportas de que se aproveita a linha (neo) pentecostal.

por Luiz Marques, em Fórum 21

Quando os filósofos iluministas abjuram o ancien régime para alçar os servos ao inédito patamar de cidadãos, o absolutismo monárquico, obscurantista e medievalista é defenestrado. Nasce a Idade Moderna – a dúvida, o progresso. Questiona-se o habitus das cidades, a memória das nações, as superstições e os preconceitos aos quais, anteriormente, se atribuía importante papel na coesão da sociedade para perdurar o senso comum nas relações sociais e inibir a ênfase nos fins individuais. (mais…)

Ler Mais

A austeridade fiscal e a gestão do neoliberalismo pela esquerda é o projeto das classes dominantes que entraram em guerra. Parte II. Entrevista especial com David Deccache

Para o economista e assessor no Congresso, é importante que a esquerda dê sustentação aos avanços sociais sem abrir espaços para retrocessos

Por: IHU e Baleia Comunicação

Existe no Brasil, há quase dez anos, pelo menos desde o plano “Ponte para o futuro”, de Michel Temer, um projeto de austeridade que, no fundo, é um eufemismo para a questão real: a luta de classes. Ao assumir o governo, o Partido dos Trabalhadores tem procurado dar sinais às elites financeiras que seu mandato não será um entrave ao seu projeto. “A estratégia política do governo é mostrar ao capital e às classes dominantes que estes estão dominados pelas finanças e pelo modelo agroexportador, é mostrar que é capaz de fazer uma boa gestão do projeto das classes dominantes, que se manifesta na Ponte para o Futuro, que é política monetária conservadora e política fiscal de austeridade”, explica David Deccache em entrevista por telefone ao Instituto Humanitas Unisinos – IHU, nesta segunda parte da conversa (a primeira parte pode ser acessada aqui). (mais…)

Ler Mais

Educação: O “novo” fascismo com velhas táticas

Em SP, está em curso uma escalada contra a educação – da plataformização alienante das aulas ao ensino cívico-militar. Gestão privatizada de escolas é a nova frente. Como desmercantizá-las? Por que o ultraliberalismo tornou-se a grande tática da ofensiva neofascista?

por Ricardo Normanha, em Outras Palavras

O Governo de São Paulo, sob a gestão do governador de extrema direita Tarcísio de Freitas (Republicanos), está implementando o projeto “Novas Escolas” através de uma parceria público-privada (PPP) para construir e “modernizar” 33 unidades escolares, atendendo 35 mil estudantes dos ensinos fundamental e médio (São Paulo [2024?]). O decreto publicado no último dia 11 de junho concretiza a iniciativa que já vinha sendo noticiada há tempos e faz parte do pacote de “desestatização”, um dos pilares da gestão de Tarcísio em São Paulo, junto com a política de segurança pública baseada no aval para a violência política, no punitivismo e no populismo penal. (mais…)

Ler Mais