Do antipetismo ao falso moralismo: Como manter a influência pelo medo, por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

A queda de Dilma Rousseff e a retirada de seu partido do poder levaram a determinados grupos e movimentos que construíram sua identidade no antipetismo a procurarem outro ”inimigo” para poderem manter sua influência sobre uma parte do público que os segue desde o processo de impeachment. Ao que tudo indica, esse novo fator agregador tem sido uma visão distorcida da sexualidade, o que pode se verificar pelas acusações infundadas de crimes sexuais envolvendo artistas nas últimas semanas. Isso pode se transformar em uma espécie de ”macarthismo tupiniquim”: que, ao invés de acusar inimigos de comunistas, como ocorreu nos Estados Unidos da década de 50, encontram pedofilia em todos os lugares. (mais…)

Ler Mais

12 fantásticos artistas que seriam condenados pelo moralismo do MBL

Tudo o que você precisa saber sobre a polêmica do Queermuseu mais uma galeria de obras “degeneradas” de grandes artistas que provocaria escândalo entre os reacionários brasileiros.

Iniciada no dia 16 agosto, em Porto Alegre (RS), e promovida pelo Santander Cultural, a “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira” era para ser mais uma exposição de temática LGBTT, como tantas outras que ocorrem em diversas partes do mundo, como a “Queer British Art 1861–1967” no Tate, o museu nacional de arte moderna do Reino Unido em Londres, ou as que ocorrem no Leslie-Lohman, museu LGBTT em Nova Iorque. (mais…)

Ler Mais

Moralismo e autoritarismo

Não bastasse andarmos assolados pela corrupção, pela violência urbana e pela mediocridade do ensino, vamos sendo asfixiados pelo fundamentalismo

Por Luis Ruffato, El País Brasil

Uma série de decisões absurdas tomadas nos últimos dias pela Justiça vem, infelizmente, corroborar a ideia de que a sociedade brasileira está padecendo de uma gravíssima enfermidade. Não bastasse andarmos assolados pela corrupção, pela violência urbana, pelo caos do sistema de saúde, pela mediocridade do ensino, vamos sendo asfixiados por um moralismo fundamentalista inimaginável até alguns anos atrás, que pouco a pouco pavimenta a estrada para a entronização do autoritarismo político. Pois, senão, vejamos. (mais…)

Ler Mais

Poder, religião e preconceito. A ascensão política dos evangélicos

Entrevista aborda o crescimento dos evangélicos no mundo político e discute seus significados

por Agência Pública

Criou polêmica nas redes sociais no final de semana uma denúncia do colunista do Jornal O Dia, Cid Benjamin, de que o Bispo Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, teria pedido a demissão do colega de jornal, Caio Barbosa, por conta de uma reportagem sobre a situação de postos de saúde em meio ao medo da febre amarela. Crivella negou. “É falsa a informação divulgada”, disse em nota. (mais…)

Ler Mais

A Síria e suas complexidades, por Elaine Tavares

No Palavras Insurgentes

O povo sírio, que hoje vimos fugindo da guerra já é um velho conhecido do mundo judaico/cristão, a partir da leitura do livro sagrado, a bíblia. A região é terra originária de povos como os canaanitas, hebreus, assírios, babilônios, persas, gregos, bizantinos e fenícios. E sempre foi motivo de cobiça dos que alçavam o poder, por ser uma espécie de portal unindo dois mundos, o europeu e o árabe.  (mais…)

Ler Mais

Projeto de lei sobre infanticídio indígena gera polêmica no Senado

Apontada como de interesse de grupos evangélicos, proposta é criticada por entidades da causa indígena e especialistas

Por Cristiane Sampaio, Brasil de Fato

O Projeto de Lei (PL) nº 119/2015, que altera o Estatuto do Índio para determinar aos órgãos responsáveis pela política indigenista a notificação dos casos de infanticídio indígena, esteve em discussão na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado nesta segunda-feira (14). O assunto levanta mais uma vez a polêmica existente entre grupos religiosos – aos quais é atribuída a proposta – e especialistas e entidades da causa indígena, para os quais a medida seria uma tentativa de criminalizar a cultura das comunidades tradicionais. (mais…)

Ler Mais

Capitalismo e democracia não se casam

A pastora Romi Benke, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), apresentou ao Conselho Nacional da CPT, reunido de 27 a 29 de outubro, em Luziânia (GO), uma análise de conjuntura a partir de escritos do professor alemão Wolfgang Streck, e destacou o papel que a religião desempenha no mundo dominado pelo neoliberalismo. 

Por Antônio Canuto – CPT Nacional

Sua análise parte de que a crise das democracias capitalistas se manifesta de forma surpreendentemente nova… Ninguém sabe o que vai acontecer a seguir. Os temas mudam todos os meses, por vezes, todas as semanas, mas quase todos voltam em algum momento. O campo da ação politica está minado com um número interminável de efeitos secundários imprevisíveis. Se há casos em que se pode falar em complexidade, este é um deles. Faça o que fizer, a política para resolver um problema, cria outro problema. O que põe fim a uma crise agrava a outra. “Por cada cabeça de Hidra que se corta crescem duas novas”, destacou. (mais…)

Ler Mais

A PEC 241 é a contra-face da “defesa da família”

Todos os deputados que estão envolvidos nas proposições em tramitação que pretendem retirar o direito à união homoafetiva, retroceder décadas restaurando o “direito das famílias como entidades” e proibir o debate sobre igualdade de gênero nas escolas votaram a favor da PEC 241, isto é, votaram contra o direito à educação, à saúde e à assistência de brasileiras e brasileiros.

Por Flávia Biroli, no Blog da Boitempo

Fim de um ciclo democrático

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, aprovada em primeira votação na Câmara dos Deputados no dia 10 de outubro, concentra duas investidas fatais contra a democracia brasileira. A primeira é a retirada do orçamento do escopo das decisões democráticas, uma vez que a PEC, se aprovada, determinará a restrição do investimento em saúde, educação e assistência social por uma a duas décadas. Isso significa que as disputas eleitorais serão travadas ao largo de uma questão política central, que é a alocação de recursos. A segunda é o encerramento do patamar em que as disputas têm transcorrido desde 1988, que teve como referência os direitos sociais definidos na Constituição. (mais…)

Ler Mais

Existe “ideologia de gênero”?

Em entrevista à Pública, a doutora em Educação Jimena Furlani, que desenvolveu extensa pesquisa sobre o assunto, explica os equívocos do conceito

por , A Pública

O debate sobre a inclusão dos temas de gênero e sexualidade nos planos de educação (nacional, estaduais e municipais) foi um dos principais fatores de ascensão do Escola Sem Partido, como admite seu fundador Miguel Nagib: “A tentativa do MEC e de grupos ativistas de introduzir a chamada ‘ideologia de gênero’ nos planos nacional, estaduais e municipais de educação ‒ o que ocorreu, principalmente, no primeiro semestre de 2014 e ao longo de 2015 ‒ acabou despertando a atenção e a preocupação de muitos pais para aquilo que está sendo ensinado nas escolas em matéria de valores morais, sobretudo no campo da sexualidade”, disse o procurador em entrevista a Pública (a reportagem pode ser lida aqui). (mais…)

Ler Mais