A volência contra a Mulher no contexto das remoções no Rio de Janeiro. Parte 1: Introdução

Esta é a primeira parte de uma série de quatro matérias que traz à luz uma pesquisa que evidencia o padrão territorial desigual no qual a violência contra a mulher se materializa na cidade do Rio de Janeiro.

Por Poliana Monteiro, no Rio On Watch

A violência contra a mulher é sistêmica e estrutura brutalmente a realidade e sua materialização no espaço, que se dá sempre de forma seletiva. Assim, é fundamental compreender como esse fenômeno se fixa em alguns espaços e se distribui de forma desigual na cidade, para conceber políticas públicas de habitação de interesse social, mobilidade, educação e saúde que incorporem a dimensão da segurança pública, especialmente da segurança da mulher. A pesquisa territorializada dos dados sobre violência contra a mulher é, portanto, urgente.

(mais…)

Ler Mais

O homem mediano assume o poder. Por Eliane Brum

O que significa transformar o ordinário em “mito” e dar a ele o Governo do país?

No El País

Desde 1 de janeiro de 2019, o Brasil tem como presidente um personagem que jamais havia ocupado o poder pelo voto. Jair Bolsonaro é o homem que nem pertence às elites nem fez nada de excepcional. Esse homem mediano representa uma ampla camada de brasileiros. É necessário aceitar o desafio de entender o que ele faz ali. E com que segmentos da sociedade brasileira se aliou para desenhar um Governo que une forças distintas que vão disputar a hegemonia. Embora existam várias propostas e símbolos do passado na eleição do novo presidente, a configuração encarnada por Bolsonaro é inédita. Neste sentido, ele é uma novidade. Mesmo que seja uma difícil de engolir para a maioria dos brasileiros que não votou nele, escolhendo o candidato oposto ou votando branco, nulo ou simplesmente não comparecendo às urnas. Bolsonaro encarna também o primeiro presidente de extrema direita da democracia brasileira. O “coiso” está no poder. O que significa?

(mais…)

Ler Mais

#16DiasdeAtivismo: integrantes do MPF e visitantes aderiram à Campanha do Laço Branco contra violência à mulher

Banner recebeu dezenas de assinaturas de homens nesta quinta (29) e amanhã segue para o TRT

Nesta quinta-feira (29), o Ministério Público Federal (MPF) em João Pessoa recebeu o símbolo da “Campanha do Laço Branco” em referência aos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Durante todo o dia, integrantes do órgão e visitantes assinaram o banner da campanha e ganharam o broche do Laço Branco, comprometendo-se a lutar pela causa.

(mais…)

Ler Mais

Igualdad de género: un Objetivo de Desarrollo Sostenible

Objetivo 5: Lograr la igualdad entre los géneros y empoderar a todas las mujeres y las niñas

Por Servindi

Si bien entre 2000 y 2015 se produjeron avances a nivel mundial con relación a la igualdad entre los géneros gracias a los Objetivos de Desarrollo del Milenio (incluida la igualdad de acceso a la enseñanza primaria), las mujeres y las niñas siguen sufriendo la discriminación y la violencia en todos los lugares del mundo. (mais…)

Ler Mais

A escritora best-seller do século 19 que foi excluída da Academia Brasileira de Letras

Júlia Lopes de Almeida, uma das primeiras romancistas do Brasil, ajudou a criar a ABL, mas não assumiu uma cadeira por ser mulher

Por Fabíola Hauch, no Diálogos do Sul

No Brasil da segunda metade do século 19, Júlia Lopes de Almeida era um caso raro: uma escritora que vivia com o dinheiro da própria escrita. Mãe de família, casada com o poeta português Filinto de Almeida, foi uma das primeiras romancistas do Brasil. No papel de intelectual, que defendia o abolicionismo, assumia posições feminista e era sucesso de vendas junto ao público, ajudou a criar a Academia Brasileira de Letras (ABL). Tudo para ver seu nome rejeitado à uma cadeira dentro da instituição por ser mulher. (mais…)

Ler Mais

‘Vi mulheres brigando com homens que fazem de Bolsonaro sua arma de fogo’. Por Rosana Pinheiro-Machado

No The Intercept Brasil

Vedetes era o apelido das meninas que seguiam os integrantes “bondes” nos rolezinhos no shopping ou no baile funk. Alguns meninos nos relataram, por volta de 2011, que quanto mais roupas de marcas e dinheiro eles ostentassem, mais vedetes “corriam atrás”. Na vanguarda dos “rolês” estavam os homens, cabendo a elas um papel secundário, quase alegórico.

Só que as vedetes viraram o jogo. (mais…)

Ler Mais

Estudantes de Medicina finalmente têm código de ética

Trotes responsáveis, respeito ao sigilo, uso ético de cadáveres e prevenção ao assédio moral e ao abuso nas escolas são contemplados no primeiro código de ética lançado pelo Conselho Federal de Medicina

Na RBA

São Paulo – Uma foto de sete estudantes de Medicina trajando jalecos brancos, as calças arriadas e as mãos em um gesto que remete à genitália feminina – uma apologia ao estupro – causou indignação em abril do ano passado. O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) chegou a afirmar que cobraria punição por parte da Universidade Vila Velha sobre um flagrante desrespeito à ética profissional, por meio de uma punição “compatível com o ocorrido”. O sindicato dos médicos do Espírito Santo e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) reprovaram a atitude. (mais…)

Ler Mais

‘Feche as pernas’: o que pregam os participantes do 1º Congresso Antifeminista do Brasil

Evento de 4 de agosto foi concebido com o objetivo de reunir a maior quantidade de pessoas contrárias ao que classificam como a “desconstrução moral da mulher”

Por Victor Calcagno, na Época

“Boa noite, meu povo!”, disse ao microfone Alexandre Varela, dono do blog de orientação católica O Catequista, para 150 pessoas reunidas no auditório da Igreja de Sant’Ana, no centro do Rio de Janeiro, no começo da noite do sábado 4 de agosto. A resposta protocolar do público, que se espremia nas cadeiras havia quatro horas e já se preparava para a última palestra, permitiu a réplica do blogueiro: “Eu disse ‘boa noite’, meu povo antifeminista!”, gritou, dessa vez recebendo uma ovação que envolveu palmas, gritos e assobios que atravessaram a nave central da igreja, contígua ao salão onde ocorria o 1º Congresso Antifeminista do Brasil. (mais…)

Ler Mais

Por assédio, Rússia abre inquérito contra brasileiros que constrangeram mulher

A decisão do governo foi uma reação à denúncia apresentada pela advogada e ativista russa, Alyona Popova

Por Agência Estado, no Diário de Pernambuco

O Ministério do Interior da Rússia abriu um inquérito formal contra os brasileiros que, nos primeiros dias da Copa do Mundo, constrangeram uma mulher em Moscou, num vídeo que difundiram pela internet. A decisão do governo foi uma reação à denúncia apresentada pela advogada e ativista russa, Alyona Popova. Numa carta endereçada a ela, a polícia de Moscou confirmou que iniciou investigações. (mais…)

Ler Mais