Documento Final da Assembleia dos Povos Indígenas de Tocantins

Nós lideranças indígenas, representantes dos povos Apinajé, Krahô, Xerente, Krahô Takaywrá, Javaé, Krahô-Kanela, Awá Canoeiro estivemos reunidos na Assembleia dos Povos Indígenas de Tocantins realizada no período de 07 a 09/12/2018 na aldeia Brejinho, Terra Indígena Apinajé, no município de Tocantinópolis -TO. Durante três dias, mais de 200 lideranças dialogamos, debatemos e analisamos a situação política do país; com especial atenção sobre a política indigenista ameaçada e desprezada pelo presidente eleito em 2018. 

(mais…)

Ler Mais

“O único ministério com condições de gerir a Funai é o ministério da Justiça”, afirmam lideranças da Apib

Durante ato para entrega de reivindicações à equipe de transição do governo Bolsonaro, indígenas defenderam manutenção do órgão indigenista vinculado ao ministério da Justiça

Tiago Miotto, Cimi

Na última quinta-feira (6), lideranças indígenas entregaram uma carta da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) com reivindicações do movimento indígena ao futuro governo de Jair Bolsonaro. A entrega foi feita com um ato na sede da equipe de transição do governo federal, instalada no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), em Brasília.

(mais…)

Ler Mais

Advento, palavra de Deus no “deserto” e não nos palácios. Por Gilvander Moreira*

Advento. Ventos natalinos soprando. De onde e para onde? Que tipo de vento? Para não sermos enleados no turbilhão e no redemoinho do consumo exacerbado que, em uma sociedade capitalista, a idolatria do mercado provoca no final de cada ano, faz bem recordarmos na Bíblia, o Evangelho de Lucas (Lc), especialmente Lc 3,1-6. Os dois primeiros capítulos do Evangelho de Lucas referem-se ao nascimento e às infâncias de João Batista e de Jesus de Nazaré. Provavelmente, em uma primeira versão, o Evangelho de Lucas iniciou no capítulo 3 mostrando inicialmente o contexto no qual a Palavra de Deus é dirigida a João, que se tornará o Batista, o precursor de Jesus de Nazaré. Eloquente é que o evangelista Lucas faz questão de abrir o Evangelho mostrando quem estava nos poderes político e religioso na época em que “a palavra de Deus foi dirigida a João, no deserto” (Lc 3,2b). Lucas informa: “Fazia quinze anos que Tibério era imperador de Roma. Pôncio Pilatos era governador da Judeia. Herodes governava a Galileia. O Tetrarca Filipe reinava sobre a Itureia e a Traconítide. E o tetrarca Lisânias reinava sobre a Abilene” (Lc 3,1).

(mais…)

Ler Mais

Estudo denuncia epidemia de garimpos na Amazônia brasileira

Levantamento em seis países amazônicos identifica mais de 2.500 locais de mineração não regulamentada, 453 deles no BrasilMercúrio usado no garimpo do ouro contamina fauna e populações locais

por Deutsche Welle / IHU On-Line

Apesar de décadas de combate à mineração não regulamentada, a Amazônia ainda abriga mais de 2.500 garimpos ilegais, e quase um quinto deles está localizado no Brasil, aponta um mapa divulgado nesta segunda-feira (10/12) pela Rede Amazônica de Informação Socioambiental (Raisg).

(mais…)

Ler Mais

Lideranças Xukuru do Ororubá fortalecem luta por respeito e garantia de direitos fundamentais em Brasília

As reivindicações incluíram pauta no Ministério dos Direitos Humanos, na Sesai e encerramento das atividades com ato na sede da equipe do governo de transição

por Michelle Calazans, em Cimi

Cerca de 45 lideranças do povo Xukuru do Ororubá fortaleceram nessa semana – de 03 a 06 de dezembro –, em Brasília/DF, a luta por direitos fundamentais da nação Xukuru. Entre as reivindicações apresentadas, as lideranças conquistaram, em caráter inédito no Ministério dos Direitos Humanos (MDH), a definição do cumprimento da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), que condenou o Estado brasileiro no caso envolvendo as violações sofridas pelo povo. A pauta de trabalho incluiu, também, questionamentos sobre a situação da saúde indígena e distribuição de água potável na Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), bem como ato em frente à sede da equipe do governo de transição para cobrar respeito e garantia de direitos.

(mais…)

Ler Mais

Brasil tem 4.536 áreas com risco de conflito socioambiental, indica estudo

José Lázaro Jr., Alexsandro Ribeiro e Rosiane Correia de Freitas, da Agência Livre.jor, para o UOL

Neste momento, em 4.536 pontos do território brasileiro, conflitos humanitários e choques ambientais podem estar ocorrendo sem que ninguém, a não ser os atingidos, tenha conhecimento. Nesses locais, indígenas, quilombolas, trabalhadores rurais e áreas verdes protegidas são vizinhos de atividades legalizadas de mineração.

(mais…)

Ler Mais

Novo Ministério do Meio Ambiente: o que podemos esperar?

Por Juliano Bueno de Araújo, 350.org Brasil

Ontem (9), foi anunciado o último integrante da Esplanada dos Ministérios: Ricardo de Aquino Salles (Novo), que ficará à frente do Ministério do Meio Ambiente (MMA). Natural de São Paulo, Salles é advogado e administrador e foi secretário estadual do Meio Ambiente durante o governo de Geraldo Alckmin (PSDB), no estado de São Paulo, entre julho de 2016 e agosto de 2017. Além disso, o futuro ministro também foi secretário particular de Alckmin.

(mais…)

Ler Mais

Nota do Cimi Regional Sul sobre ameaças aos Guarani Mbya de Ponta do Arado

Os Guarani Mbya da Retomada Ponta do Arado, no Bairro Belém Novo, em Porto Alegre – RS, continuam a viver sob ameaça dos empresários e seus seguranças privados.  Desde os dias 06, 07 e 08 de dezembro os Guarani, que vivem acampados nas margens do Rio Guaíba, próxima a terra que reivindicam como sendo de ocupação ancestral (ocupam parte da praia considerada área de marinha, portanto espaço de terra que não compõe propriedade privada de ninguém) estão sendo submetidos a várias formas de constrangimentos, ameaças e em situação de cárcere privado.

(mais…)

Ler Mais

Arrendamento ilegal de terras indígenas compromete 3,1 mi de hectares

Segundo dados da Funai, atualmente, 22 terras indígenas do País possuem áreas arrendadas para produtores

No Notícias ao Minuto

A proibição legal de se explorar terras indígenas demarcadas não tem impedido que produtores fechem acordos com aldeias espalhadas por todo o País, avançando com o plantio de grãos e criação de gado sobre essas terras.

(mais…)

Ler Mais