Indústria da seca aflige a população nordestina e irriga os bolsos dos empreiteiros. Entrevista especial com João Abner Guimarães Júnior

Por: Ricardo Machado – IHU On-Line

Pelo sétimo ano consecutivo a estiagem no Nordeste dá as caras. Apesar de o período de chuvas ter iniciado regionalmente na última semana, durante o carnaval, os volumes de precipitação ainda são insuficientes. De acordo com o professor e pesquisador João Abner Guimarães Júnior, em entrevista por telefone à IHU On-Line, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no Rio Grande do Norte, que tem capacidade para 260 milhões de metros cúbicos de água, recebeu apenas 3 milhões nesta última semana, isto é, 20 vezes menos do que o volume acumulado em fevereiro de 2017. O problema, contudo, não é só de captação, afinal a estação chuvosa está recém no início, mas de gestão da água. “Trabalha-se com gestão de recursos hídricos para abastecimento urbano há mais ou menos 100 anos e com irrigação há mais ou menos 20 anos. Esses dados nos mostram que a primeira coisa de que precisamos é gestão. O problema é que se ficar oferecendo água para irrigação, o nível dos reservatórios vai cair, e isso acontece em um período em que ocorre a maior seca em cem anos”, critica o pesquisador. (mais…)

Ler Mais

MPF recomenda que Ibama não conceda licença de operação ao Projeto da Transposição do Rio São Francisco

Não existem informações do cumprimento das condicionantes da licença de instalação do empreendimento

Procuradoria da República na Paraíba

O Ministério Público Federal (MPF) em Monteiro (PB) enviou recomendação ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para que a presidente do órgão ambiental não emita licença de operação ao Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf). (mais…)

Ler Mais

Carta Política: A morte do Velho Chico ameaça a Convivência com o Semiárido

A Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) soma-se às muitas vozes das lideranças, comunidades ribeirinhas, povos tradicionais, movimentos sociais, comitês de bacias, pastorais sociais e especialistas para denunciar a morte do Rio São Francisco e exigir do Estado brasileiro ações imediatas para reverter tal quadro de penúria, abandono, exploração, descaso e privatização de suas águas. (mais…)

Ler Mais

Linhões de transmissão foram planejados em solo inadequado e não poderão transportar energia. Entrevista especial com André Aroeira Pacheco

Patricia Fachin – IHU On-Line

As críticas feitas ao Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, que previa investimentos em infraestrutura e a priorização das hidrelétricas no planejamento energético, se concretizaram, diz o biólogo André Aroeira Pacheco à IHU On-Line. “A grande maioria dos projetos não tinha viabilidade ambiental, econômica e social, e o governo teve que lançar mão de instrumentos antidemocráticos e repressivos para viabilizá-los. Foi o caso do uso da suspensão de segurança contra as judicializações, da troca de comando dos órgãos licenciadores para assegurar decisões políticas ao invés de técnicas no licenciamento ambiental e do uso da força nacional e do exército em inúmeras situações, para garantir a execução dos trabalhos”, lembra. (mais…)

Ler Mais

Do papel à realidade, existe um “gap” na mitigação (redução de danos) e adaptação aos eventos extremos no Brasil

Por Sucena Shkrada Resk – Cidadãos do Mundo

O que dizer sobre o “Velho Chico” agonizando, e pessoas e animais tendo de dividir a pouca água que resta, entre outras centenas de cenas desoladoras por todo país? Imagens que ficam gravadas para sempre. As manchetes sobre eventos extremos e desastres naturais no Brasil, nos últimos anos, destacam a recorrência de períodos mais extensos de seca, estiagem e chuva em diferentes biomas no país, que não mais se enquadram ao que se tinha como padrão de estações nestas localidades. Muitos cientistas apontam que são situações que podem ser relacionadas aos avanços das Mudanças Climáticas, com intervenções de fenômenos, como o El Niño e La Niña, entre outros. O fato é que as ocorrências são gradativas e mais de 1,1 mil municípios se encontram hoje em situação de emergência ou de estado de calamidade pública no Brasil. (mais…)

Ler Mais

A crise hídrica do Rio São Francisco – Gestão compartilhada dos recursos hídricos é a saída. Entrevista especial com Anivaldo Miranda

Patricia Fachin – IHU On-Line

A crise hídrica que atinge a região do rio São Francisco desde 2013, que perpassa os estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, atingiu seu ponto mais severo neste ano, diz Anivaldo Miranda, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – CBHSF à IHU On-Line. Segundo ele, na atual situação, a administração da crise tem sido muito complexa, “porque quem está a montante da foz da Bacia Hidrográfica do Alto São Francisco quer reservar mais água, ou seja, manter a água ao máximo nos reservatórios, e quem está a jusante quer que se libere mais água para contornar os efeitos da diminuição das vazões que afetam principalmente as capitações de água para o abastecimento humano e para os perímetros irrigados”. (mais…)

Ler Mais

Foz do Rio São Francisco está em estado crítico

Desmatamento e poluição coloca em risco vida das populações ribeirinhas e sobrevivência do rio

Jornal do Brasil

Após 13 dias de fiscalização em 10 cidades do Baixo São Francisco, região onde o rio deságua no mar, os 250 técnicos da Fiscalização Preventiva Integrada do São Francisco (FPI/SE) puderam constatar que a situação do rio, que já era muito grave, chegou a um estado crítico. O manguezal e a mata atlântica que protegem as margens estão sendo devastados, o leito do rio chega a ser usado como viveiro de criação de camarões. (mais…)

Ler Mais

Estudo revela que leito do Rio São Francisco recebe 23 milhões de toneladas de sedimentos por ano

Na prática, é como se a cada ano um milhão de carretas de detritos fossem lançadas na água

Por Luiz Ribeiro e Renan Damasceno, em O Estado de Minas

São Francisco, Pedras de Maria da Cruz, Januária, Bonito de Minas, Manga, Matias Cardoso e Jaíba – Dois mil e novecentos quilômetros de leito em uma bacia hidrográfica que irriga uma área quase igual à da França, abastecendo perto de 13 milhões de pessoas. Os números superlativos do Rio São Francisco combinam com seu passado de fartura. Época em que por suas águas circulavam grandes vapores, apitando enquanto rasgavam a correnteza levando mercadorias e pessoas. Com o tempo, o leito foi minguando, sendo sugado de um lado, aterrado de outro, poluído por todos. Tanto que a história do chamado Rio da Integração Nacional desaguou a um ponto em que, hoje, até a passagem de pequenas canoas é difícil em certos trechos.  (mais…)

Ler Mais