Fórum de Políticas Públicas Indigenistas: uma ação unificada em defesa da Vida

Por Lígia Apel, do Cimi

A defesa da democracia sem criminalização das pessoas, com defesa das liberdades individuais e coletivas, do direito à participação popular nas decisões políticas e do direito à livre manifestação política garantida aos povos pan-amazônicos, indígenas e não-indígenas. Esse foi o preceito estabelecido no Fórum Regional de Políticas Indigenistas, realizado no Centro de Treinamento Irmão Falco, em Tefé, nos dias 12 e 13 de novembro. (mais…)

Ler Mais

A agro-política de Tereza Cristina

Deputada Federal indicada para o Ministério da Agricultura de Bolsonaro possui histórico na articulação de políticas anti-indígenas, contra quilombolas e prejudiciais ao meio ambiente 

Por Fábio Zuker e Andreza Davidian, especial para a Amazônia Real 

Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias é engenheira agrônoma formada pela Universidade Federal de Viçosa (MG). Neta e bisneta de ex-governadores do Mato Grosso (quando o estado ainda era uno), Tereza Cristina se dedicou à administração dos negócios da família na criação de gado antes de ingressar na política. Tendo participado da direção de uma série de associações representativas do setor agropecuário, em 2007 Tereza Cristina é nomeada secretária de Desenvolvimento Agrário da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo no Mato Grosso de Sul, no governo de André Puccinelli do PMDB (atualmente preso por ter comandado um esquema de propinas), cargo que irá exercer até 2014, quando se elege deputada federal pelo PSB. Após votar a favor da reforma trabalhista, Tereza Cristina deixa o partido em outubro de 2017, antecipando sua expulsão que culminaria de um processo disciplinar por votar pela rejeição das denúncias criminais contra Michel Temer, contrariando a orientação da legenda. A deputada se filia então ao DEM, mais alinhado ao governo, e logo assume a liderança da bancada do partido, pelo qual se reelege na última eleição de 2018. (mais…)

Ler Mais

Indígenas que sofreram impacto com atividades da Mineração Onça Puma serão indenizados pela Vale

Procuradoria Regional da República da 1ª Região

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) decidiu, na última terça-feira (13), que as comunidades indígenas Xikrin e Kayapó devem ser indenizadas pelos danos ambientais e à saúde sofridos com a Mineração Onça Puma, subsidiária da Vale que atua na extração de ferro-níquel no sul do Pará. Também foi determinada a a paralisação das atividades de exploração mineral, até que a empresa cumpra obrigações socioambientais, apresentando programas mitigatórios e compensatórios em favor das etnias atingidas. (mais…)

Ler Mais

Após nove meses, moradores de Barcarena cobram indenizações da Hydro Alunorte

Desde 2000, foram registrados 22 desastres ambientais em Barcarena

Maíra Heinen, da Radioagência, no Brasil de Fato

Doenças de pele, problemas neurológicos e até câncer. Dona Ângela Vieira, da Associação Quilombola de Barcarena, explica que essas são algumas das consequências para moradores atingidos por vazamentos de rejeitos da mineradora Hydro, há nove meses, no município de Barcarena, no Pará. (mais…)

Ler Mais

Dossiê-denúncia: ameaças e violações ao direito humano à água em Minas Gerais

Após três anos do rompimento da Barragem de Fundão, em 05/11/2018, o Movimento pelas Serras e Águas de Minas (MovSAM), disponibiliza para download gratuito, em formato e-book, o Dossiê-denúncia: ameaças e violações ao direito humano à água no Quadrilátero Ferrífero Aquífero de Minas Gerais, documento que foi entregue ao Relator do Direito Humano à Água Segura e Esgotamento Sanitário da ONU, Prof. Léo Heller, em 04/11/2016. (mais…)

Ler Mais

Fundação Renova tenta subornar prefeitos de cidades atingidas a desistirem de ações judiciais contra Samarco/Vale/BHP

por Maurício Angelo, em Miniver

Prevendo a derrota certa e a condenação na ação movida na corte inglesa pelo escritório SPG Law, a Renova tenta intimidar e subornar prefeitos das 39 cidades atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, que segue impune no Brasil três anos após o crime. Ciente da conivência e da lentidão da justiça brasileira e ciente também de que na Inglaterra as coisas tendem a ser diferentes, documentos revelados pelo Estado de Minas e pela Agência Brasil mostram que a Renova emitiu um termo de transação, quitação e exoneração de responsabilidade, que condiciona a liberação de R$ 53.3 milhões à extinção e abandono de ações na Justiça nacional e internacional contra a própria Renova, a Samarco e suas operadoras, as mineradoras Vale e BHP Billiton, com efeito sobretudo sobre processos movidos no exterior. (mais…)

Ler Mais

Escolha de Ernesto Araújo para chanceler põe em risco liderança ambiental brasileira

Nota da coordenação do Observatório do Clima sobre a nomeação no Itamaraty

por Observatório do Clima

É estarrecedora a escolha do embaixador Ernesto Araújo como ministro de Relações Exteriores. Sua nomeação contraria uma longa tradição da política externa brasileira e traz o risco de tornar o Brasil um anão diplomático e um pária global. O radicalismo ideológico manifesto nos escritos do futuro ministro cria, ainda, uma ameaça para o planeta, ao negar a mudança do clima e, presumivelmente, os esforços internacionais para combatê-la. (mais…)

Ler Mais

Concentração de renda, desmatamento e esgotamento dos recursos naturais: o retrato do agronegócio no Cerrado

Relatório do Greenpeace mostra que 58% dos municípios do Matopiba, tida como região modelo do agronegócio, continuam pobres e são ainda mais desiguais do que a média de seus estados

por Rosane Villar, em Greenpeace / Amazônia

A agricultura é uma das especializações mais antigas do mundo e, como tal, é repleta de cultura e saberes que a tornam possível. Na Amazônia, as populações sabem que na época de vazante dos rios, as várzeas cheias de terra nutritiva garantirão a safra anual de mandioca ou abóbora. No Cerrado, a cooperação com os elementos da natureza é fundamental para evitar o descontrole do fogo e garantir uma fonte próxima de água. (mais…)

Ler Mais

Pesquisa aponta contaminação humana e ambiental em Campos Elíseos

No Portal ENSP

A contaminação humana e ambiental em Campos Elíseos, no município de Duque de Caxias – Rio de Janeiro, foi o tema discutido no último ‘Encontros do Cesteh’. Na atividade foram apresentados os resultados do estudo que analisou a contaminação na região. Coordenado pelo pesquisador do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) e coordenador do Laboratório de Ecotoxicologia, Josino Costa Moreira, o objetivo do estudo foi avaliar os níveis ambientais e a contaminação humana na área de influência do Polo Industrial de Campos Elíseos, além de entender seus potencias impactos sobre a saúde da população residente. Os resultados da pesquisam apontam para a situação de precariedade dos indivíduos residentes da região, com indicação de alterações hematológicas, relacionadas à ocorrência de exposição ao benzeno. (mais…)

Ler Mais

Bispo da diocese capixaba tornou pública quarta edição de manifesto “Pela Vida do Rio Doce”

No MAB

Um dos posicionamentos públicos mais fortes entre as diversas lideranças comunitárias, sociais e políticas que tem se manifestado ao longo da bacia do Rio Doce, neste período em que se demarca a passagem dos três anos do rompimento da barragem de Fundão e o despejo de milhões de metros cúbicos de lama contaminada por metais pesados e resíduos tóxicos da mineração, veio da Diocese de Colatina, através do Bispo Dom Wladimir Lopes Dias. (mais…)

Ler Mais