MST apoia a luta do povo Tupi e Guarani pela demarcação da TI Ywyty Guaçu (Renascer) em Ubatuba/SP

Essas comunidades que ocupam seus territórios há gerações, estão ameaçadas pelo agronegócio, pela mineração e pela especulação imobiliária

Da Página do MST 

A aldeia indígena Renascer, da etnia Guarani, localizada em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, está ameaçada de reintegração. O povoado existe há 20 anos e abriga 18 famílias, no totalizando 106 pessoas. (mais…)

Ler Mais

Manifestação ​dos participantes do III Encontro do Bem Viver​ em solidariedade ao Povo Guarani

Nós, povos indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, pescadores e pescadoras, integrantes de movimentos sociais e das organizações reunidas no III Encontro do Bem Viver, realizado em São Luís do Maranhão de 20 a 24 de agosto, manifestamos solidariedade ao povo Guarani, em especial aos moradores da Terra Indígena Jaraguá. Diante da revogação da Portaria nº 581, que garantia o direito claro e indiscutível dos moradores ao território, só cabe indignação e repúdio. (mais…)

Ler Mais

MST e CPT: Nota de Solidariedade à Comunidade Cana Brava

Nós do MST e CPT expressamos nossa solidariedade à Comunidade Tradicional Pesqueira/Vazanteira de Cana Brava. As famílias vivem há mais de 12 anos nesta Comunidade, na beira do Rio São Francisco, no Município de Buritizeiro. Construíram suas casas, suas pequenas roças e quintais. Reivindicam seu território tradicional. Defendem o direito de ter um pedaço de chão como morada e manter seus modos de vida. (mais…)

Ler Mais

Carta do I Encontro da Panha das Sempre-vivas: “Apanhar nosso direito, cultivar nossa liberdade”

Nós, povos e comunidades tradicionais apanhadoras e apanhadores de flores sempre-vivas, quilombolas, Xakriabá, Tuxá, Geraizeiros e Vazanteiros, organizados na Articulação Rosalino de Povos e Comunidades Tradicionais, estivemos reunidos nos dias 17 e 18 de junho de 2017, no I Encontro da Panha das Flores Sempre-Vivas, ocorrido na comunidade Macacos, em Diamantina – Minas Gerais. O encontro contou também com a presença da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal e de técnicas/os, pesquisadoras/es, professoras/es e estudantes que se somam a nossa luta. Cerca de 200 pessoas estiveram reunidas para celebrar um importante período da coleta de flores sempre-vivas que se encerrou no mês de maio e para conversar sobre os direitos dos povos tradicionais, especialmente aqueles dos apanhadores de flores sempre-vivas. (mais…)

Ler Mais

Via Campesina da América Latina divulga nota em solidariedade aos povos indígenas, quilombolas e camponeses no Brasil

No Cimi

Delegados de mais de 80 organizações de 22 países latino-americanos, reunidos na Assembleia Continental do Cloc-Via Campesina, na Colômbia, divulgaram no encontro uma carta em solidariedade aos povos indígenas, quilombolas e camponeses que vivem no Brasil. No texto, organização afirma ser responsabilidade do governo aumento da violência no campo, contra povos indígenas, quilombolas e campesinos. (mais…)

Ler Mais

“A solidariedade antirracista é o maior medo da supremacia branca”

Gabriela Shimabuko, militante do movimento asiático, fala sobre como o mito da minoria modelo colabora para o racismo anti-negro

por Ingrid Matuoka — CartaCapital

Dentre os diversos mitos que existem no ocidente, um deles envolve os japoneses e nipo-brasileiros, a chamada “minoria modelo”, que migrou principalmente para o Brasil e para os Estados Unidos em navios, geralmente fugindo da guerra, e que prosperou.  (mais…)

Ler Mais

MST se solidariza com família de agricultor assassinado no Pará

O MST cobra que as investigações esclareçam o caso e alega que o clima de “recorrente impunidade” com casos de assassinatos de trabalhadores no Pará é um impulsionador de violências deste tipo

Da Página do MST

O MST no estado do Pará emitiu na tarde desta segunda-feira (20) uma nota para se solidarizar com a família do militante Waldomiro Costa Pereira, que foi assassinado esta madrugada no Hospiotal Geral de Parauapebas, no interior do estado. (mais…)

Ler Mais

Policiais se solidarizam com PMs que abandonaram repressão contra manifestantes

Punição administrativa de agentes “aprofunda o abismo existente entre policiais e o restante da população”, dizem policiais sobre PM’s que deixaram seus postos em protesto de trabalhadores no Rio no dia 16/11

por Luiza Sansão, Ponte Jornalismo

A possibilidade de serem punidos administrativamente os dois policiais militares do Batalhão de Choque da PMERJ (Polícia Militar do Rio de Janeiro) que deixaram o cerco a manifestantes em protesto em frente à ALERJ (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), na última quarta-feira (16/11), intensificou o debate sobre os direitos trabalhistas dos policiais e sua relação com outras categorias de trabalhadores. (mais…)

Ler Mais

Nota do Conselho Indígena de Roraima em apoio à luta dos povos indígenas do Brasil “Resistir sempre, desistir jamais – Vivo até o último índio”

No CIR

O Conselho Indígena de Roraima – CIR, organização indígena criada há mais de quatro décadas com a missão de defender os direitos e interesses dos povos indígenas, tendo como membro 235 comunidades indígenas, localizadas em oito etnoregiões do estado de Roraima e pertencente a nove distintos povos indígenas vem publicamente manifestar apoio à luta dos povos indígenas do Brasil, conforme notas publicadas nessa semana, onde outros povos e organizações indígenas se manifestaram contra a relação de descaso do governo federal com as nossas questões indígenas, bem como reforçar o nosso repúdio a indicação de miliares à Presidência do único órgão indigenista destinado a promoção e proteção dos direitos indígenas. (mais…)

Ler Mais

Somos todos Guarani – Kaiowás

A FOIRN e os povos indígenas do Rio Negro enviam seus sentimentos e forças ao povo Guarani que resiste ao genocídio.

Até quando as comunidades indígenas serão atacadas por fazendeiros armados e assegurados por políticas públicas que não punem os mandatários destes crimes e retardam a demarcação das terras indígenas?

Mato Grosso do Sul está em guerra e o nosso lado é o dos Guarani.

A FOIRN solidariza-se com os Guarani-Kaiowá, especialmente com os familiares da liderança assassinada e dos feridos, e exigimos que o Ministério da Justiça tome providências imediatas e efetivas.

São Gabriel da Cachoeira , 15 de junho de 2016
Diretoria Executiva-FOIRN

Ler Mais