Povo Apinajé realiza na aldeia São José, a 10ª Assembleia Geral da Associação Pempxà

Associação União das Aldeias Apinajé-Pempxà

Nós caciques, conselheiros, jovens, mulheres, estudantes, anciãos e crianças do povo Apinajé, somando mais de 100 lideranças vindos de 46 aldeias, estivemos reunidos na 10ª Assembleia Geral da Associação União das Aldeias Apinajé-Pempxà, realizada na aldeia São José na zona rural do município de Tocantinópolis, no Norte de Tocantins, no período de 17 a 22 de janeiro de 2020.

(mais…)

Ler Mais

Insegurança e adoecimento psicológico atingem servidores públicos federais

Escalada de ofensas e constrangimentos por parte do governo causam fenômeno coletivo no funcionalismo

Nara Lacerda, Brasil de Fato

Servidores públicos federais enfrentam uma onda de adoecimentos psicológicos frente a determinadas declarações e ações do governo federal. Diferentemente do assédio moral, o chamado assédio institucional não está direcionado a indivíduos ou pequenos grupos e já passa a ser alvo de estudo e análise por parte de especialistas em saúde do trabalho, juristas e representantes das categorias.

(mais…)

Ler Mais

Força Nacional Ambiental preocupa povos da floresta: “Integração via militarização”

Movimentos e especialistas temem aumento da criminalização da luta popular e de modelo de atuação predatória na região

Cristiane Sampaio, Brasil de Fato 

Especialistas e movimentos populares reagiram com preocupação à notícia de que o governo Bolsonaro irá criar a chamada Força Nacional Ambiental para atuar na Amazônia. Eles temem um avanço dos conflitos na região, com destaque para a criminalização da luta popular, como assinala a pesquisadora Marcela Vecchione, do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará (Naea/UFPA).   

(mais…)

Ler Mais

Marcha abre Fórum Social das Resistências unida à luta contra intolerância religiosa

Fórum ocorre em Porto Alegre, entre 21 e 25 de janeiro, sob o lema “Democracia e Direitos dos Povos e do Planeta”

Marcelo Ferreira e Fabiana Reinholz, Brasil de Fato

“Unidos seremos fortes”, estampava a faixa à frente da marcha de abertura do 2º Fórum Social das Resistências, sob chuva, na tarde desta terça-feira (21), em Porto Alegre. Realizada junto com a XII Marcha Estadual pela Vida e Liberdade Religiosa, a manifestação percorreu o centro da cidade demonstrando a capacidade de unidade e resistência de variados segmentos sociais contra o avanço das políticas neoliberais e a crescente onda de intolerância e fascismo no Brasil e no mundo.

(mais…)

Ler Mais

‘O feminicídio é uma questão cultural’, afirma Mônica Francisco

‘O feminicídio é uma questão cultural’, afirma Mônica Francisco

Por Alexandre Braz, O Dia

Em novembro do ano passado,o Instituto Igarapé divulgou dados de uma pesquisa sobre a violência contra a mulher. No Rio de Janeiro – segundo o estudo -, entre os anos de 2016 e 2018, houve aumento de 317% nos casos de feminicídio, com 167 vítimas. Das mulheres vitimadas, a maioria, ou seja, 62% eram negras. Na contramão do preconceito, do racismo e da discriminação, a deputada Mônica Francisco, do PSOL, iniciou seu primeiro mandato em 2019 tendo a defesa dos direitos humanos e das mulheres como duas de suas principais plataformas de trabalho. “O feminicídio é uma questão cultural, atravessada pela questão econômica, e também pela questão racial”, afirma a carioca nascida no Morro do Borel, na Tijuca, destacando também que “a sociedade de alguma maneira legitima, consente, a mulher como propriedade do homem”. Confira abaixo outros trechos da entrevista.

(mais…)

Ler Mais

Série de ataques contra os Pataxó da TI Comexatibá motiva reunião com o Programa Nacional de Defensores

A visita foi motivada pelo aumento das ameaças; só no final de 2019 houve cinco ataques às aldeias e aos indígenas

Por Tatiana Scalco, da Ciranda Internacional da Comunicação Compartilhada , no Cimi

O povo Pataxó da Terra Indígena Comexatibá (Cahy-Pequi) em Prado (BA) recebeu na quarta-feira (15) a visita do Programa Nacional de Defensores de Direitos Humanos (PPDDH) e parceiros da rede de proteção. A visita foi motivada pelo aumento das ameaças; só no final de 2019 houve cinco ataques às aldeias e aos indígenas. Seis lideranças locais já estão no PPDDH, sob risco de morte.

(mais…)

Ler Mais

PM arrasta mulheres pelos cabelos em ato do MPL

“Gosto de manifestação para bater nas pessoas”, disse um PM, segundo vítima; polícia deteve 10 manifestantes e também agrediu jornalistas

por Arthur Stabile, em Ponte Jornalismo

A Polícia Militar do Estado de São Paulo, comandada pelo governador João Doria (PSDB), agrediu manifestantes no terceiro ato contra o aumento no valor das tarifas do transporte público, puxado pelo MPL (Movimento Passe Livre) nesta quinta-feira (16/1). Os policiais puxaram uma manifestante pelos cabelos e outra pelo pescoço enquanto as prendiam na Praça da República, centro da cidade de São Paulo. A tropa ainda deteve ao menos 10 manifestantes, que foram liberados às 5h30 desta sexta-feira. Um PM registrou um boletim de ocorrência no 2º DP (Bom Retiro) contra o grupo por desobediência, resistência e lesão corporal, informou o MPL.

(mais…)

Ler Mais

Guajajara: assim se fustiga um povo indígena

Denúncias de exploração ilegal de suas riquezas sem resposta. Quilômetros de estradas clandestinas abertas por madeireiros em seu território. E diante do assassinato do líder Paulinho, polícia nega motivação política — além de incriminar sobrevivente

Por Yndara Vasques, no Brasil de Fato / Outras Palavras

A aldeia Juçaral, na Terra Indígena (TI) Arariboia, no Maranhão, recebeu a visita de deputados e senadores da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas na última sexta-feira (10). Foram quatro horas de depoimentos denunciando casos de perseguição e violência e a falta de políticas públicas de acesso à saúde, ao transporte e à educação. Nesta área, foi assassinado Paulino Guajajara, em novembro do ano passado.

(mais…)

Ler Mais

À espera da Força Nacional, retomada Guarani Kaiowá sofre novo ataque e tem barracos destruídos pelo “caveirão”

Derrubada dos barracos teve como objetivo a plantação de soja no espaço desocupado. Ação criminosa não deixou feridos

Por Cimi

Oito barracos do povo Guarani Kaiowá foram derrubados no final da madrugada desta quinta-feira (16) na retomada Nhu Vera, terra reivindicada como tradicional pelos indígenas e limítrofe à Reserva Indígena de Dourados, no Mato Grosso do Sul. O trator modificado chamado de “caveirão” passou por cima das moradias improvisadas. Não houve feridos porque as famílias conseguiram fugir a tempo.

(mais…)

Ler Mais