Minas Gerais teve 1.531 presos políticos durante ditadura militar

Relatos revivem crueldade da tortura e sequelas deixadas nas vítimas do regime

Bernardo Miranda e Fransciny Alves – O Tempo

De Minas Gerais partiram as primeiras tropas militares para o golpe de 1964. Se o Estado foi protagonista na derrubada de João Goulart, também teve um importante papel na resistência à ditadura e, consequentemente, nos atos de repressão. O relatório final da Comissão da Verdade em Minas Gerais (Covemg), que vai ser lançado nesta quarta-feira (13), somente em seu primeiro volume, detalha mortes e desaparecimentos forçados de 17 militantes no Estado e o assassinato e “sumiço” de 49 mineiros pelo país, além de identificar 1.531 presos políticos em Minas. (mais…)

Ler Mais

Encontrão de povos e comunidades do MA ocorre em comunidade quilombola invadida pela Suzano

Por Ana Mendes, colaboração para o Cimi Regional Maranhão

Dia 7 de dezembro de 2017. Sete ônibus tomados por indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco, sertanejos e pescadores riscam em caravana o mapa do Nordeste do país, rumo ao quilombo Cocalinho, no município de Parnarama (MA), para o VII Encontrão da Teia de Povos e Comunidades Tradicionais do Maranhão. O evento reuniu cerca de 500 pessoas e seguiu até o último dia 10. Cocalinho, já na divisa com o Piauí, não foi escolhido ao acaso. O quilombo, junto com outras 90 comunidades presentes na Teia, está no centro da resistência popular do Maranhão – estado que trouxe consigo o maior índice de pobreza e desigualdade do Brasil durante as últimas décadas. Se por um lado o projeto integracionista pretende colocar estes povos e comunidades em tais índices, no Encontrão da Teia o grito seguiu no caminho contrário com o tema: “Nosso Território Sagrado: Bem Viver, Memória, Luta e Esperança”. (mais…)

Ler Mais

O primeiro memorial a escravos de Lisboa e o racismo em Portugal

Projeto foi aprovado por moradores em orçamento participativo; pesquisas mostram persistência do racismo no país

Luiza Bandeira, no NEXO

Os moradores de Lisboa aprovaram, por meio do orçamento participativo da cidade, a construção de um memorial às vítimas da escravidão. O projeto tem como objetivo “homenagear as vítimas da escravatura e celebrar a abolição da escravatura e do tráfico de pessoas escravizadas”, de acordo com a proposta oficial. O anúncio das propostas vencedoras foi feito no dia 27 de novembro de 2017. (mais…)

Ler Mais

MPF lembra dificuldades dos povos Guarani-Kaiowá, após dez anos de descumprimento do TAC das Demarcações

Pyelito Kue, uma história de resistência dos Guarani-Kaiowá

MPF/MS

A história desta comunidade é o exemplo perfeito de como o ritmo das demarcações de terras determina a vida, a morte e o sofrimento entre os indígenas Guarani de Mato Grosso do Sul. Celebrado em 2007, o Termo de Ajustamento de Conduta (clique aqui para ler) estabelecia dois anos para a demarcação. Já se passaram dez anos e nada foi concluído. A precariedade em que vivem os indígenas, em boa parte, se deve ao fato de que eles não têm endereço, vivem em acampamentos e áreas não reconhecidas pelo Estado. Desta forma, são privados dos serviços públicos como fornecimento de água e energia elétrica. (mais…)

Ler Mais

Juventudes, direitos violados e esperança

Com o crescimento da desigualdade e da crise econômica, em 2017 o desemprego entre os jovens atingiu sua maior taxa em 27 anos. A cada três jovens, um está desempregado. Essa parcela da população é ainda fortemente afetada pela violência, sub-representação na política, racismo e sexismo

Por Nathalie Beghin*, no Inesc

As desigualdades no Brasil são abissais. Conforme atesta relatório recentemente lançado pela Oxfam Brasil[1], os 5% mais ricos possuem renda equivalente à de 95% da população! Dito de outra forma, uma trabalhadora que ganha um salário mínimo mensalmente levará 19 anos para receber o equivalente ao que um super-rico ganha em apenas um mês! Esse é o tamanho das nossas desigualdades. (mais…)

Ler Mais

Em Pinhão, no Paraná, 14 mil pessoas podem ser despejadas em benefício de uma empresa

Há meio século, família Zattar era conhecida por enganar moradores e fazê-los assinar venda de terras sem consentimento

Daniel Giovanaz, Brasil de Fato

Uma semana de angústia. A imagem da demolição de uma igreja, que provocou o repúdio de autoridades religiosas na última sexta-feira (1º), foi gravada durante o cumprimento de uma reintegração de posse em Pinhão, no Centro-Sul do Paraná. Cerca de 20 famílias assistiram à destruição de suas casas naquela manhã, em uma localidade conhecida como Alecrim. As mesmas máquinas que arruinaram a igreja também puseram abaixo o posto de saúde, uma padaria comunitária e os espaços de lazer da comunidade. Era o início de um pesadelo coletivo, compartilhado por um a cada dois habitantes do município. (mais…)

Ler Mais

Pistoleiros tentam expulsar famílias de acampados antes da Justiça, no Pará

Justiça marcou reintegração de posse para esta quarta-feira, 13. Entretanto, faltando menos de 48 horas para o despejo, pistoleiros fortemente armados atacaram as famílias do Acampamento Hugo Chávez, que já deixavam a área. Agora, diante dos últimos acontecimentos, os sem-terra decidiram permanecer no acampamento, e convocam manifestação para amanhã.

CPT Nacional

Era por volta de 20 horas desta segunda-feira, 11, quando começaram a circular áudios no aplicativo de mensagens WhatsApp de acampados do Hugo Chávez denunciando o ataque de pistoleiros contra o acampamento. Alvo de inúmeras investidas nos últimos anos, o Acampamento Hugo Chávez está situado a cerca de 45 quilômetros de Marabá, no Pará. (mais…)

Ler Mais

Judith Butler: corpos que resistem ao ódio e ao poder

IHU On-Line

Judith Butler guarda muitas imagens em sua memória, sua obra reúne grande parte. O atentado ao World Trade Center, as fotografias que retratam os corpos torturados de Guantánamo e Abu Ghraib, os gritos que em 2011 incomodaram a perfeição sepulcral de Wall Street… Todas constituem peças de seu quebra-cabeças teórico que pensa e interpela a realidade. Mas, quando é questionada por uma, Butler cita a imagem da Praça Taksim, aquele círculo perfeito no coração de Istambul, onde há quatro anos uma reivindicação ambientalista acabou se tornando uma mobilização tão massiva que alguns até se iludiram com uma nova primavera árabe. Butler a descreve com completude substantiva, como uma imagem com “pessoas e objetivos unidos contra o poder da polícia”. (mais…)

Ler Mais

Da Cidade Segregada à Cidade Insurgente

São Paulo vive conflito prestes a explodir. Prefeito insiste na privatização total. Nos coletivos das quebradas e da classe média, gesta-se uma cultura de participação que não cumpre protocolos nem formalidades institucionais

Um ensaio de Ermínia Maricato e Paolo Colosso – Outras Palavras

A desigualdade histórica e estrutural – os mapas abaixo mostram, respectivamente, 1) o local de moradia do que o IBGE denomina “população preta e parda”, 2) o preço do metro quadrado de terrenos e imóveis no município de São Paulo e 3) a concentração de empregos (de toda a metrópole) no município de São Paulo. Poderíamos anexar a essa relação os mapas que reproduzem a localização das faixas de renda no espaço, a taxa de escolaridade, a expectativa de vida, a mortalidade infantil, entre outros. (mais…)

Ler Mais

Mestiçagem, harmonia e branqueamento: quem tem medo do homem negro?

Henrique Restier da Costa Souza, no Justificando

Apesar das nuances e interconexões entre ambas, existem basicamente duas interpretações sobre o modelo de relações raciais no Brasil: a primeira está relacionada com a dimensão harmoniosa desse modelo, seus defensores alegam que apesar da escravidão negra no Brasil, de profundas desigualdades raciais fruto desse processo e das constantes práticas discriminatórias, o modelo brasileiro seria superior àqueles implantados em países como EUA e África do Sul, paradigmáticos para estas comparações. (mais…)

Ler Mais