Nota Técnica da Abrasco frente à liberação comercial de mosquitos transgênicos pela CTNBio

Por , 18/09/2014 14:42

logo abrascoA Abrasco recebeu com grande preocupação a cópia da transcrição da 171ª Reunião Ordinária da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, CTNBio de 03/05/2014 em que autoriza a liberação comercial de mosquitos transgênicos.

As decisão da CTNBio ocorreu no contexto em que uma fábrica de produção de mosquitos transgênicos já estava instalada na  cidade de Campinas – SP. Os mosquitos transgênicos serão usados para pesquisa e combate ao  vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, no país.

A responsável pela produção é empresa inglesa de biotecnologia Oxitec. A instalação da fábrica de mosquito  começou em 2013. A equipe técnica é formada basicamente por especialistas estrangeiros, que na Europa desenvolvem biotecnologias adotadas pela indústria farmacêutica para a malária e febre amarela.

A unidade produtiva (Technopark) da Oxitec, em Campinas produz em laboratório mosquitos machos de Aedes aegypti geneticamente modificados (linhagem OX513A), mediante a utilização de tetraciclina usada para a modificação das larvas selvagens. Continue lendo… 'Nota Técnica da Abrasco frente à liberação comercial de mosquitos transgênicos pela CTNBio'»

“Colocaram a gente no chão, como se fôssemos bandidos”

Cerca de 200 famílias foram desalojadas do antigo Hotel Aquarius, no centro de São Paulo. Muitas crianças, desempregados, trabalhadores que não chegam a ganhar 800 reais por mês compartilhavam os 168 apartamentos distribuídos em 21 andares do edifício abandonado. Estavam ali havia seis meses, segundo o movimento Frente de Luta pela Moradia (FLM), apesar de alguns entrevistados afirmarem que estavam no local havia mais de um ano

Beatriz Borges – El País

A localização do prédio ocupado era privilegiada e próxima ao trabalho de muitos que ali viviam – ao invés de morar em uma favela na periferia, optaram pelo centro para economizar com o transporte. Muitos vinham de outras ocupações, outros participavam pela primeira vez do FLM, que age invadindo prédios abandonados para pressionar a prefeitura, em um intento de regularizar a ocupação e transformá-la em moradia popular. No entanto, a operação policial tentou desalojar o espaço e houve conflito.

O confronto com a Tropa de Choque começou, segundo informou o coronel deste corpo militar, a partir dos ataques realizados pela população flutuante que vive na zona central, e não necessariamente pelos sem-teto. A polícia recebeu pedras e paus e devolveram bombas de efeito moral. Barricadas foram formadas nas ruas adjacentes, alguns edifícios foram depredados e um ônibus, queimado. Os trabalhadores que não chegaram a bater o cartão na manhã de hoje gravavam o que viam com seus celulares. Já os afetados, dos quais muitos não tinham para onde ir, se amontoavam em esquinas com suas sacolas, desolados. Continue lendo… '“Colocaram a gente no chão, como se fôssemos bandidos”'»

“Os móveis vão para o depósito e as pessoas, para a rua”

São Paulo possui atualmente cerca de cem prédios ou terrenos ocupados em São Paulo, de acordo com estimativas da Secretaria Municipal de Habitação. Metade deles na região central e a maioria pertencente a proprietários privados

Talita Bedinelli e Beatriz Borges – El País

É essa a situação do antigo Hotel Aquárius, na avenida São João, um edifício de 21 andares desocupado há cerca de dez anos, segundo a Frente de Luta pela Moradia (FLM), movimento que coordenou a ocupação. Moravam no local 205 famílias, cada uma em um cômodo, onde possuíam geladeira, fogão, além de móveis como cama e sofás. A maior família era composta por um casal com seis filhos. Moravam no local 40 crianças, entre elas uma cadeirante, que estavam no local quando a Tropa de Choque chegou.

A operação da manhã desta terça-feira foi a segunda tentativa de reintegração de posse do imóvel em 15 dias. A anterior foi suspensa porque não havia caminhões em número suficiente para levar os pertences dos moradores para um depósito. Segundo Silmara Congo, coordenadora do FLM, dessa vez foi acordado que a saída programada para esta manhã aconteceria com a ajuda de 40 caminhões e 120 funcionários para ajudar na retirada dos móveis, mas chegaram apenas 13 veículos e 40 trabalhadores. Os moradores, então, discutiram com os policiais e, segundo ela, um deles jogou uma bomba de efeito moral para dentro do prédio, o que gerou a revolta e uma confusão que se espalhou por todo o centro da cidade. Continue lendo… '“Os móveis vão para o depósito e as pessoas, para a rua”'»

Sem assistência, crianças indígenas seguem morrendo por diarreia no Acre

Criança Huni Kui TI Alto Purus. Foto: Lindomar Padilha

Criança Huni Kui TI Alto Purus. Foto: Lindomar Padilha

Lideranças indígenas do povo Huni Kui (Kaxinawa) da terra Indígena Alto Purus, município de Santa Rosa do Purus, estado do Acre, protocolaram junto ao Ministério Público Federal uma carta denúncia contra a SESAI – Secretaria Especial de Saúde Indígena e SESACRE – Secretaria de Estado de Saúde do Acre, por falta de assistência às comunidades indígenas e que  já levou, só neste último mês, a morte de oito (08) crianças, seis Huni Kui e duas Madjá, somente na terra indígena do Alto Purus.

Das o6 crianças Huni Kui, 04 morreram nas aldeias 01 no hospital em Santa Rosa e 01 no hospital em Rio Branco. Morreram ainda mais duas crianças, uma Madjá e outra também Huni Kui. Ambas em Manoel Urbano.

Continue lendo… 'Sem assistência, crianças indígenas seguem morrendo por diarreia no Acre'»

Chile: Mapuches preocupados por anunciadas reformas a “Ley Antiterrorista”

mapuche indigenas sur chile gobierno concertacion conflicto manejo choque policia terrorismo terroristas atentados

Servindi – Preocupación y suspicacia han despertado en indígenas mapuches las modificaciones a la “Ley Antiterrorista” y  la Agencia Nacional de Inteligencia (ANI) propuestas por el Gobierno chileno con motivo de los actos terroristas registrados en los últimos meses.

Dichos actos han causado gran conmoción y preocupación en el país. El más reciente se reportó el 8 de setiembre en Sanatiago y dejó como saldo más de una docena de heridos.

Ante esta situación, el Gobierno anunció la modificación de la polémica Ley N° 18.314, conocida también como “Ley Antiterrorista”, que data de 1984, año en el que tenía lugar la dictadura militar. Continue lendo… 'Chile: Mapuches preocupados por anunciadas reformas a “Ley Antiterrorista”'»

77,16% das mulheres em situação de violência sofrem agressões todos os dias ou semanalmente

2014_09_violencia_mulheres_reproducaoNatasha Pitts – Adital

Um balanço dos atendimentos realizados no primeiro semestre de 2014 pelo Ligue 180 – que, desde março deste ano, funciona como Disque-Denúncia – mostra o quão ainda é persistente e covarde a violência contra a mulher no Brasil. Em apenas seis meses, foram recebidas mais de 15 mil denúncias, encaminhadas, diretamente, para serviços de segurança e para o Ministério Público dos estados.

De janeiro a junho, o Ligue 180 realizou 265.351 atendimentos. Destes, 30.625 foram denúncias de violência, sendo a mais recorrente a física, com 15.541 casos; seguida pela violência psicológica (9.849 relatos); moral (3.055 relatos); sexual (886 relatos) e pela violência patrimonial (634 relatos), entendida como qualquer conduta que configure retenção, destruição parcial ou total de objetos, de instrumentos de trabalho, documentos, bens, valores ou recursos econômicos destinados às necessidades da mulher (artigo 7º da Lei nº 11.340/2006). Continue lendo… '77,16% das mulheres em situação de violência sofrem agressões todos os dias ou semanalmente'»

Anistia Internacional alerta: tortura é rotina na Nigéria

nigeria_boko_haram

Moradores de Maiduguri aclamam soldados nigerianos depois de uma vitória contra insurgentes do grupo Boko Haram na cidadeAgência Lusa/EPA/Tony Nwosu

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil

A Anistia Internacional divulgou hoje (18) um relatório de 60 páginas sobre casos de tortura na Nigéria. De acordo com a entidade de direitos humanos, é rotina no país africano a tortura de mulheres, homens e até crianças por policias e militares, que utilizam métodos como espancamento, tiros e estupro.

O relatório é o segundo de uma série de cinco que a entidade prepara dentro da campanha global contra a tortura. No começo do mês foi divulgado relatório sobre o México e ao longo deste ano e de 2015 também serão divulgadas as análises da entidade sobre o Marrocos, as Filipinas e o Uzbequistão. Continue lendo… 'Anistia Internacional alerta: tortura é rotina na Nigéria'»

VI Seminário Índio Caboclo Marcelino – Território Indígena Tupinambá Olivença (Ilhéus/Bahia)

“Sou Índio Guerreiro
E venho pra mata caçar
Quando chego neste pé-de-serra
Vejo a arara voar
Olha o canto desta arara
É um canto de muita de muita beleza
Não posso destruir
As coisas da nossa natureza”
(Canção cantada durante o Porancy Tupinambá de Olivença)

Território Tupinambá de Olivença, 12 de Setembro de 2014

A Comissão Organizadora da VI Seminário Índio Caboclo Marcelino, formada por Indígenas moradores do Território Tupinambá de Olivença (Ilhéus/Bahia), Discentes/Docentes da Colégio Estadual Indígena Tupinambá de Olivença, pela Associação Beneficente de Cultura Sustentável e Promotora da Pesca e do Artesanato dos Índios Tupinambá de Olivença-APAITO e por Discentes/Docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC, tem a satisfação de convidar para participar deste evento que procura fortalecer, divulgar e consolidar apoios à luta do Povo Tupinambá pela demarcação do Território Tradicional. Por esta razão principal o Seminário Índio Caboclo Marcelino acontece às vésperas da Caminhada Tupinambá em Memória aos Mártires do Massacre do Rio Cururupe e à Caboclo Marcelino, buscando também a troca de saberes e conhecimentos entre os Tupinambá, indígenas de diferentes Povos e não indígenas. Continue lendo… 'VI Seminário Índio Caboclo Marcelino – Território Indígena Tupinambá Olivença (Ilhéus/Bahia)'»

Programação feita por Ricardo Álvares, utilizando uma versão modificada do tema Panorama, criado por Themocracy.