racismo cartazes criancas

Professoras usam contos de fadas para falar sobre racismo e abuso

Na história, um coelho muito branco admira uma menina negra que usa um laço de fita. Em função desta admiração, o coelho faz de tudo para ficar parecido com a menina. Ao terminar a narrativa, uma de suas alunas disse que “o coelho era louco, porque ser preto é feio”.

G1/Circuito MT

Em várias partes do Brasil, professoras de educação infantil e ensino fundamental têm usado a criatividade para abordar com os seus alunos questões como direitos das mulheres, racismo e exploração infantil. Para tratar dos temas, crianças de entre 5 e 14 anos foram estimuladas a, por exemplo, se expressar durante rodas de conversa e comparar histórias de contos de fadas com a vida real. (mais…)

Ler Mais

fogo_chamas_fogueira

Brumas e Incertezas no futuro do país, por Cândido Grzybowski

Por Cândido Grzybowski, no Canal Ibase

O momento é difícil e há muita confusão no ar. Os sinais de crise não vê quem não quer ou porque as crises do “povão” não lhe dizem respeito, [ou porque] ocupa outro lugar onde as mazelas do cotidiano não chegam. Não adianta negar, os preços do dia a dia, aqueles do viver enfim, estão loucos. Os produtos e serviços, mesmo os mais fundamentais como alimentação, energia, escola, pequenos consertos de água e luz, descarrilaram. Nem falo daqueles ligados à imagem e à autoestima – cabelo, massagem, academia, roupas gostosas, etc – que podem ser adiados, mas afetam identidade e satisfação pessoal – que estão disparando sem controle. E o fantasma do desemprego e da perda da renda mensal? Até parece que resolveu encarnar e está aí pegando gente na esquina, muita gente. Já fazia tempo que o país não estava em tal enrascada. O que fazer? (mais…)

Ler Mais

Papa com movimentos sociais - 2014

O papa e o estrume do diabo

Por Mauro Santayana, na Adital

O Papa Francisco está sendo amplamente atacado na internet, por ter dito, em cerimônia, em Roma, que “o dinheiro é o estrume do diabo” e que quando se torna um ídolo “ele comanda as escolhas do homem”. Acima e abaixo da cintura, houve de tudo.

De adjetivos como comunista, “argentino”, hipócrita, demagogo e outros aqui impublicáveis, a sugestões de que ele se mude para uma favela, e – a campeã de todas – que distribua para os pobres o dinheiro do Vaticano. (mais…)

Ler Mais

maximanoestasola

La prepotencia de Yanacocha es injustificable. Respuesta a Ricardo Uceda

A propósito del artículo fallido del periodista Ricardo Uceda El pantanoso casi Chaupe

Servindi – ¿Cómo deben resolverse los litigios de propiedad? ¿mediante el abuso y la prepotencia o mediante los canales institucionales democráticamente constituidos? Esta son algunas preguntas de fondo que propone la asociación CooperAcción frente al litigio que enfrenta la poderosa empresa minera Yanacocha y la familia Acuña-Chaupe. (mais…)

Ler Mais

16721439201_a761e7abea_b

Camponesas ocupam Suzano contra liberação de eucalipto transgênico

A liberação de eucalipto transgênico está para ser votada na manhã desta quinta pela CTNBio. A ocupação se deu no município de Itapetininga, em São Paulo

Da Página do MST

Cerca de 1.000 mulheres do MST e militantes de movimentos sociais do campo e da cidade dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais ocuparam, na manhã desta quinta-feira (5), a empresa FuturaGene Brasil Tecnologia Ltda., da Suzano Papel e Celulose, no município de Itapetininga, em São Paulo. (mais…)

Ler Mais

camponeses silhueta

Direitos ainda são violados 52 anos após estatuto do trabalhador rural

“Cresce a consciência coletiva de que o Brasil não pode continuar a ser tratado como se fosse uma colônia das transnacionais”, escreve o jurista Jacques Alfonsin

Por Jacques Távora Alfonsin – MST

Nesta segunda-feira, 2 de março de 2015, o primeiro estatuto do/a trabalhador/a rural brasileiro/a (lei 4214 de 1963) estaria completando 52 anos se ainda estivesse em vigor. Foi promulgado no governo Jango, quando as chamadas “reformas de base”, particularmente a agrária, eram apaixonadamente discutidas em todo o país, dividindo opiniões ideológicas e partidárias com acentuada virulência. (mais…)

Ler Mais

Delatores não são heróis, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)*

EcoDebate

Delatores não são heróis e nem profetas. Delator é parte do grupo e do esquema que ele mesmo denuncia.

Assim também são os 15 delatores do caso PETROBRAS. Eles eram corruptos ou corruptores do esquema. Alguns, inclusive, vem desde o governo FHC, passando pelo governo Lula e entrando no governo Dilma. Então, para salvar o próprio pescoço, entregam seus antigos comparsas para as malhas da polícia ou da justiça. (mais…)

Ler Mais

10 anos acampamento Belo Monte - CPT Alagoas 2

PM pode despejar famílias alagoanas que há quase uma década vivem em fazenda abandonada

Há quase 10 anos, camponeses e camponesas da cidade de Belo Monte, em Alagoas, ocuparam a fazenda Lagoa da Jurema, no mesmo município. Em negociação à época com seu proprietário, a fazenda foi disponibilizada ao INCRA para fins de Reforma Agrária. Entretanto, por um bloqueio judicial dos bens do então proprietário, as terras não foram adquiridas pelo Estado e repassadas às famílias

Ésio Melo – CPT Alagoas

Nesse período, uma vida se construiu lá. 23 famílias pobres passaram a ter uma casa, uma terra para plantar e uma fonte de renda a partir da produção de alimentos. O pequeno imóvel rural, que antes estava abandonado e sem cumprir sua função social, hoje é a única forma de sobrevivência de quase 100 pessoas. (mais…)

Ler Mais

mpl

Novo olhar sobre as jornadas que sacudiram o Brasil

“Junho: Potência das Ruas e Redes” traz relatos dos protestos e uma visão otimista sobre seus desdobramentos. Leia a introdução

Outras Palavras

Em uma era na qual a morte de quase tudo – de deus até a filosofia, dos heróis às  celebridades do momento – é decretada, antecipada ou mesmo inventada, a História dificilmente passaria incólume: ela teria encontrado o seu desfecho com a queda do muro. Fim de papo, agora nos restava carregar o seu pesado caixão, em um caminho único, até uma cova bem rasa. Com a História, morriam juntos, no mesmo incidente, a utopia, o porvir e o horizonte. Mas tal como ocorreu com Mark Twain, os boatos sobre sua morte se mostraram um exagero. (mais…)

Ler Mais