Nota pública sobre a retomada de terras na região do Açu, São João da Barra-RJ

Desde a manhã do dia 19 de abril de 2017, cerca de 100 agricultores e agricultoras da região do Açu, município de São João da Barra-RJ seguem com a luta pela retomada de suas terras, expropriadas pelo governo Sergio Cabral e pelo Grupo EBX, de Eike Batista. Sob a responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Rio de Janeiro (CODIN), as terras foram tomadas dos/as agricultores/as por ato desapropriatório e entregues a empresa LLX, que tinha por interesse a implantação de um distrito industrial na área do entorno do Porto do Açu. Através de um termo precário e de pagamentos irrisórios, a CODIN autorizou a empresa de Eike a entrar e tomar a posse destas terras. (mais…)

Ler Mais

A Harmonia Coercisa da Anglo American em clima de terror

Anglo American procura harmonia coerciva em meio a clima de terror no entorno das suas minas em Minas Gerais, Brasil

Logo na semana em que a Rede de Articulação e Justiça Ambiental dos Atingidos pelo Projeto Minas Rio (REAJA) e a Rede de Mineração de Londres (London Mining Network, uma rede em que participam 30 organizações) denunciam os graves impactos socioambientais e as ameaças a integridade física dos moradores atingidos em torno da mineração em Conceição de Mato Dentro, MG, a empresa inicia a distribuição de convites para uma reunião com representantes da Anglo American. Tal reunião teria como finalidade o aprimoramento do diálogo com a empresa e o objetivo de “conhecer o EIA/RIMA preparado para a Etapa 3 do Minas-Rio”, procurando, segundo ofício, “…construir soluções que permitam o convívio harmônico”. (mais…)

Ler Mais

Agricultura familiar próspera e sustentável pode reduzir o desmatamento

Por Vandré Fonseca – O Eco

A prosperidade de assentamentos rurais é uma estratégia para reduzir o desmatamento que funciona. Resultados do Projeto Assentamentos Sustentáveis na Amazônia (PAS) apresentados nesta quarta-feira em Brasília mostram que ações para aumentar a produtividade, melhorar acesso ao mercado e valorizar a floresta conseguiram reduzir em 79% a derrubada de árvores em lotes da Reforma Agrária na Amazônia. (mais…)

Ler Mais

Presidenta do STF promete aos Xikrin retomar em maio ação contra a Vale por contaminação do rio Cateté

STF

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, reuniu-se hoje com índios da etnia Xikrin, do Pará, para tratar de processos envolvendo impactos ambientais do projeto de mineração Onça Puma, da mineradora Vale, no rio Catete, que cruza as terras da reserva Xikrin, no Pará. Caciques e outros representantes de três aldeias relataram problemas de saúde resultantes da contaminação do rio e seu impacto sobre a pesca, solicitando urgência na solução do caso. (mais…)

Ler Mais

Entre Ríos é primeira província Argentina a banir o fracking

Projeto aprovado também destaca a importância da preservação da água e os cuidados com o Aquífero Guarani, a maior reserva de água doce do mundo

Por Nathália Clark, Não fracking Brasil

Um feito histórico para os argentinos. Depois de uma luta de muitos anos, a Câmara de Deputados da província de Entre Ríos, na Argentina, aprovou por unanimidade, na noite desta terça-feira (25), a lei que proíbe a técnica do fraturamento hidráulico, mais conhecida como fracking, em toda sua extensão. Com a iniciativa, a província é a primeira do país a se tornar definitivamente território livre do fracking. (mais…)

Ler Mais

Carta final da V Jornada de Agroecologia da Bahia

Está decretado o fim da invasão!

Foi num espaço à beira das praias de Porto Seguro – onde, exatos 517 anos atrás, aportaram na Bahia os invasores portugueses –, que nós, ativistas das Teias dos Povos, realizamos nossa V Jornada de Agroecologia, com o intuito de, em primeiro lugar, denunciar que essa chegada dos europeus, foi, acima de tudo, o início oficial da ocupação de nosso território pela colonização europeia e a hegemonia do Capital, a qual persiste até os dias atuais. (mais…)

Ler Mais

V Jornada de Agroecologia: Terra e Território – Natureza, Educação e Bem Viver

Caravana de solidariedade das teias dos povos ao povo pataxó

Dentro das perspectivas da Teia do Povos da Cabruca e da Mata Atlântica para a 2017, tínhamos em primeiro lugar: buscar e construir a grande aliança dos povos, e em segundo: conquistar e garantir a terra e o território dos povos indígenas, dos quilombolas e todos os trabalhadores do campo e em terceiro: contribuir para a recuperação dos biomas Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. Em quarto: produzir sua autoexistência nas suas terras, no território e desenvolver a soberania alimentar. Pelo menos estas 04 prioridades foram de certo modo contemplada na visita realizada no dia 22 de abril de 2017, quando uma caravana de solidariedade formada por representantes das Teias dos Povos da Bahia e Maranhão a comunidade Pataxó que retomaram parte do território Cahy/Pequi – Comexatibá no município do Prado. (mais…)

Ler Mais

O retrocesso no controle dos agrotóxicos no Brasil – artigo de Fernando Carneiro

Abrasco

O Brasil continua sendo o maior consumidor de agrotóxicos do planeta. Entre os anos de 2009 e 2012, as análises de resíduos de agrotóxicos em alimentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) detectaram contaminação de 60 a 70% dos alimentos e pelo menos 30% de amostras impróprias para consumo humano, como analisado no ‘Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde’. Mas, de repente, em 2017, o Brasil virou o país dos “alimentos seguros”. (mais…)

Ler Mais

O alerta vermelho foi ligado: Serra da Moeda na lista

Por Alenice Baeta* para Combate Racismo Ambiental

A organização não-governamental internacional ‘World Monuments Fund’-WMF (Fundo Mundial para Monumentos) fundada em 1965 nos Estados Unidos, realiza o inventário de patrimônios da humanidade com sua conservação ou integridade em perigo espalhados em todo o mundo. Divulga listagem periodicamente de monumentos isolados ou em conjunto, além de lugares ameaçados por ações diversas, dentre elas, guerras, fanatismo religioso, atividades econômicas predatórias, descaso, abandono, gestão negligente e degradações em geral. (mais…)

Ler Mais

“Acionistas críticas” rejeitam contas da Vale e criticam sua gestão em assembleia

Após 20 anos da privatização da Vale, a governança da empresa foi criticada por diversos acionistas. A Articulação Internacional das Atingidas e dos Atingidos pela Vale cobrou a recuperação integral da bacia do Rio Doce, dentre outras reivindicações

Por Gilka Resende e Mikaell Carvalho*, em Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale

Há quase 20 anos, um leiloeiro batia o martelo e vendia a Companhia Vale do Rio Doce na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Nesta semana, na mesma cidade, o episódio voltou a ser lembrado pela Articulação Internacional das Atingidas e dos Atingidos pela Vale, que levou integrantes à assembleia anual de acionistas da mineradora. Usando uma estratégia de intervenção conhecida como “acionistas críticas”, cinco mulheres, de diferentes organizações e movimentos sociais que integram a Articulação, adquirem ações da empresa para poder denunciar, no interior do espaço corporativo, os prejuízos provocados pela Vale S.A. à sociedade. Elas votaram pela reprovação do relatório administrativo e reprovaram as demonstrações financeiras da empresa. Também defenderam que a totalidade do lucro da Vale, no último ano, seja destinada à recuperação da bacia do Rio Doce, curso d’água que, ironicamente, batizava a empresa no momento de sua privatização. (mais…)

Ler Mais