PI – Ministérios Públicos promovem audiência sobre conflitos agrários no sul do estado

As discussões centraram-se na regularização de áreas na região com reflexos relacionadas diretamente à grilagem de terras; fraudes de documentos públicos e a especulação mobiliária e de jazidas minerais

Ministério Público Federal no Estado do Piauí

Os conflitos agrários existentes nas localidades piauienses Melancias e Morro D’água, nos municípios de Gilbués e Santa Filomena, foram tema de audiência púbica promovida pelo Ministério Público Federal, por meio do procurador da República Kelston Pinheiro Lages, e pelo Ministério Público do Estado do Piauí, por meio do promotor de Gilbués com representantes da Polícia Civil, do Interpi, da Comissão da Pastoral da Terra (CPT) e membros das comunidades locais, na Procuradoria da República no Município de Corrente.  (mais…)

Ler Mais

Interesse Público mostra como vivem os quilombolas Kalungas, em Goiás

Programa apresenta também entrevista com o vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, sobre defesa de minorias. Veja na TV Justiça às 17h30 deste domingo (18) ou assista pelo canal do MPF no YouTube

Procuradoria-Geral da República

Na terceira reportagem da série especial sobre comunidades tradicionais no Brasil, o Interesse Público mostra como vivem os Kalungas, descendentes de quilombolas que vivem há mais de 200 anos na região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Com o apoio do MPF, eles lutam pela posse definitiva de seu território tradicional. Em entrevista ao IP, o vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, faz um balanço das ações do Ministério Público para defender as minorias.  (mais…)

Ler Mais

Execução de Marielle mata a “sensação de segurança” prometida por Temer, por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

Logo após a intervenção federal ocupar a área de segurança pública no Rio de Janeiro, o escolhido por Michel Temer para a função, general Walter Braga Netto, afirmou que seria tomada uma série de providências para que a população percebesse a ”sensação de segurança”.

O problema é que ele não disse qual parte da população seria destinatária desse benefício. (mais…)

Ler Mais

Em assembleia, atingidos de toda região sul questionam os altos lucros das barragens

No MAB

Na tarde dessa quarta-feira (14/03), Aratiba (RS) recebeu a Assembleia do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e cerca de 300 atingidos e atingidas pelas barragens hidrelétricas de Itá, Foz de Chapecó, Machadinho, Campos Novos, Barra Grande, São Roque e Salto do Santiago, além dos ameaçados pelo projeto da barragem de Itapiranga. O ato marca um dia histórico para o Movimento: desde 1997, 14 de março é celebrado como o Dia Internacional de Luta Contra as Barragens, pelos Rios, pelas Águas e pela Vida. (mais…)

Ler Mais

PMs acusados pela morte de Claudia, arrastada por viatura, se envolveram em oito homicídios desde 2014

Por Rafael Soares, no Extra

Os dois policiais militares acusados do homicídio de Claudia Silva Ferreira, arrastada por uma viatura da PM por 300 metros na Zona Norte do Rio, ainda não foram julgados, seguem trabalhando normalmente e, desde março de 2014, quando o crime aconteceu, já se envolveram, juntos, em outras oito mortes durante operações — todas registradas como homicídios decorrentes de intervenção policial, os autos de resistência. (mais…)

Ler Mais

O dia seguinte dos ativistas do Rio: entre o medo e a indignação ativa

Ativistas e especialistas reagem aos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes e apontam que apenas uma resposta enérgica do Estado garante a segurança dos militantes

Por Gil Alessi e Felipe Betim, no El País Brasil

Um misto de medo e esperança. Assim especialistas em segurança pública, direitos humanos e ativistas vislumbram o futuro da militância nas comunidades pobres do Rio de Janeiro após o assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes. Ambos foram baleados na noite de quarta-feira em uma emboscada no centro da capital fluminense. A parlamentar tinha um histórico de militância contra abusos da polícia nas favelas. A questão que se coloca é: se uma autoridade eleita com mais de 46.000 votos pode ser executada em uma região nobre da cidade, o que o futuro reserva para ativistas nos becos e vielas? (mais…)

Ler Mais

Munição que matou Marielle é do mesmo lote usado em chacina na Grande SP em 2015

Por César Galvão, no G1

As munições calibre 9 mm que mataram a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes são do mesmo lote de parte das balas utilizadas na maior chacina do estado de São Paulo. Os assassinatos de 17 pessoas ocorreram em Barueri e Osasco, na Grande São Paulo, em 13 de agosto de 2015. Três policiais militares e um guarda-civil foram condenados pelas mortes. (mais…)

Ler Mais

9 tiros contra os corpos dissidentes

Em artigo, jornalista Marcelo Hailer escreve sobre a execução de Marielle: “Nove tiros para a calar a boca daqueles que lutam por Direitos Humanos, por socialismo, pelo fim do racismo, do machismo, pelo fim do ódio contra as LGBT… Nove tiros para avisar que ‘aqui não, cara pálida!'”

Por Marcelo Hailer*, Revista Fórum

Foi na quarta-feira, por volta das 21h30, em pleno centro do Rio de Janeiro que um carro emparedou e disparou nove tiros contra Marielle Franco. Tombaram o seu corpo e junto com ele tudo aquilo que representava: mulher, negra, feminista, mãe, lésbica, de esquerda, vereadora eleita pelo PSOL com mais de 46 mil votos em 2016. Mas, o sistema não permite que corpos dissidentes voem longe. É preciso parar. É preciso matar tod@saqueles que ousem confrontar as normas e denunciar o Estado falido. Todos os dias Marielle Franco é assassinada no Brasil. (mais…)

Ler Mais

Sobre greves e luto

“O Brasil está de luto. Porém, como dito em um cartaz, luto é verbo!”

Por Jorge Luiz Souto Maior, no Blog da Boitempo

No Brasil, verificando a experiência histórica, a greve sempre se associa a sofrimento. Aliás, em nossa realidade, não é à toa que se denominam “lutas” as ações voltadas a superar as injustiças sociais e que envolvem também questões de gênero, raça, orientação sexual, crenças e tantas outras. (mais…)

Ler Mais

Suspensa reintegração de posse de escola ocupada por indígenas em Aquidauana

Processo foi enviado para Justiça Federal. Comunidade protesta por não ter sido consultada sobre escolha da diretora da unidade escolar, que fica na Aldeia Bananal.

Procuradoria da República no Mato Grosso do Sul

O juiz estadual Juliano Baungart, da 2ª Vara Cível de Aquidauana (MS), suspendeu a própria ordem de reintegração de posse, expedida em 26 de fevereiro, contra indígenas que ocupam a Escola Municipal Indígena Polo General Cândido Rondon, no distrito de Taunay, Aldeia Bananal, desde 22 de fevereiro, em protesto pela comunidade não ter sido ouvida pela prefeitura municipal no processo de escolha da direção da unidade escolar. Na ordem de reintegração, o juiz autorizava o uso de força policial, caso necessário.  (mais…)

Ler Mais