Siã Huni Kuin: Um grande líder indígena condenado sem justa causa na Amazônia

Por Zezé Weiss, em  Xapuri Socioambiental

Bem perto do Palácio Rio Branco, no centro da capital da acreana, em faixa lateral da Praça Povos da Floresta, fica uma estátua esculpida em argila e bronze, em escala natural, de Chico Mendes segurando uma criança pela mão. Foi lá que encontrei um dia, em papo constrito, Siã Huni Kuin trocando prosa com o grande líder seringueiro. (mais…)

Ler Mais

Amazônia Protege: MPF identifica 625 responsáveis por todos os desmatamentos com mais de 60 hectares no Pará entre 2016 e 2017

No total, o projeto Amazônia Protege registrou 47 mil hectares desmatados no estado nesse período

Procuradoria-Geral da República

O Ministério Público Federal (MPF) identificou 625 pessoas ou empresas no Pará associadas a todos os desmatamentos ilegais com área igual ou superior a 60 hectares realizados no estado entre agosto de 2016 e julho de 2017. Entre os estados da Amazônia Legal, o Pará é o campeão de áreas desmatadas, com 416 polígonos, totalizando 47 mil hectares. Em seguida, estão Mato Grosso, com 411 áreas, e Rondônia, com 346. (mais…)

Ler Mais

MPF recomenda que Ibama bloqueie planos de manejo em áreas federais

Em caso de descumprimento da recomendação, o Ibama pode ser processado pelo MPF

Ministério Público Federal em Rondônia

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Ibama que faça o levantamento dos planos de manejo autorizados, indevidamente, pela Secretaria de Estado e Desenvolvimento Ambiental (Sedam) em áreas de domínio da União, em Rondônia, no prazo de 45 dias. Após o levantamento, que bloqueie, imediatamente, a emissão de créditos, no prazo de dez dias, de todos os planos de manejo autorizados pela Sedam. (mais…)

Ler Mais

Como torturar dados sobre homicídios para limpar a barra do racismo, por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

Foi bizarra a reação de determinados homens e mulheres brancos nas redes sociais, clamando para si o lugar de principal vítima da violência brasileira, indignados com as matérias que mostraram dados apontando que esse triste papel cabe a jovens negros e negras. Bradavam que divulgar que homicídios acometem, na média nacional, 2,5 vezes mais negros (que incluem pretos e pardos, segundo o IBGE) do que não-negros era praticar ”racismo reverso”. (mais…)

Ler Mais

E-book “Esse Cabelo” de Djaimilia Pereira de Almeida disponível para baixar

No LeLivros

Um romance surpreendente que mistura memória, imaginação e crítica social com humor e leveza na medida certa, mas que também discute temas atuais e fundamentais como racismo, feminismo, identidade e pertencimento. Esta é a história de uma menina que chegou em Lisboa, aos três anos de idade, saída de Luanda, na África, e das suas memórias ao longo do tempo – porque não somos sempre iguais aos nossos retratos de infância –, mas é também a história das origens do seu cabelo crespo. (mais…)

Ler Mais

Atingidos pelo rompimento da barragem em Mariana exigem direitos em manifestação em Periquito, no Vale do Aço

No MAB

Na manhã de ontem, 05 de junho, 150 atingidos pelo rompimento barragem em Mariana da cidade de Periquito, no Vale do Aço, se manifestaram diante da sede da Copasa com agitação e palavras de ordem.

O grupo se coloca em defesa de todos os munícipes de Periquito, exigindo que sejam reconhecidos como atingidos pelo rompimento da Barragem de Fundão pela questão da água, uma vez que o abastecimento de toda a cidade foi interrompido por mais de um mês após o crime cometido pela Samarco/Vale, gerando prejuízos diversos. (mais…)

Ler Mais

Série M: Lula, o Papa e a grande mídia brasileira

Por Juliana Gagliardi  e João Feres Júnior, no Manchetômetro

No dia 17 de maio dois eventos potencialmente significativos ocorreram. O maior jornal francês – Le Monde – publicou, na íntegra e com grande chamada de capa, uma carta de Lula em que reafirmava e explicava sua candidatura à presidência, mesmo estando preso. No mesmo dia, em homilia durante missa no Vaticano, o papa Francisco criticou o papel da mídia na difamação e, consequentemente, na ocorrência de golpes de estado. (mais…)

Ler Mais

Injustiça ambiental e racismo ambiental: faces de uma mesma moeda

Por Elissandro Santana, para Desacato.info.

Na hipermodernidade, certos conceitos se confundem e se perdem no tempo, mas alguns são tão importantes que precisam ser retomados para que toda a sociedade desperte e organize gavetas de memorialidades, para que, desta forma, em tempos de opressão naturalizada, o armário da história se abra e amplos debates aconteçam nas arenas discursivo-sociais da política da existência. Dois desses conceitos que precisam ser sempre revisitados são injustiça ambiental e racismo ambiental, pois ambos são faces da mesma moeda, efeitos insustentáveis de práxis obsoletas de biopolíticas, bioeconomias, bioculturas e redomas biofundamentalistas teístas cartesiano-positivistas que dão os últimos gritos (assim quero pensar!) no século XXI. (mais…)

Ler Mais

MPF recomenda estudo de impacto da expansão da Marina sobre quilombo em Búzios (RJ)

Construção de lagos e ilhas artificiais pode afetar a água da comunidade de Baía Formosa

Procuradoria da República no Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal (MPF) em São Pedro da Aldeia (RJ) recomendou ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), ao Grupo Modiano Empreendimentos e Participações e ao Opportunity Fundo de Investimentos Imobiliários que realizem estudos de impacto das obras do empreendimento Búzios Golf Resort I e II, em Búzios (RJ), sobre a comunidade quilombola Baía Formosa. (mais…)

Ler Mais

Deformações perspectivas entre Índia e Brasil

“Brasil e Índia têm pouco em comum do ponto de vista da suas formações históricas e culturais. Não temos castas, não fomos colonizados por ingleses, não temos um passado ancestral de invasões muçulmanas e mongóis, nem nos formamos em uma cultura da sabedoria politeísta com 33 milhões de divindades. Mas há uma espécie importante de homologia que podemos propor para esses dois países: lá e cá notamos a ausência seletiva do Estado, a tolerância seletiva do assassinato de minorias e da corrupção, compreendida como forma de gestão política.”

Christian Ingo Lenz Dunker, no Blog da Boitempo

Brasil e Índia têm pouco em comum do ponto de vista da suas formações históricas e culturais. Para além da narrativa de que fomos descobertos como um desvio da rota portuguesa para as Índias, há uma espécie importante de homologia que podemos propor para esses dois países. Lembremos que a analogia requer uma função ou origem semelhante, ao passo que a homologia nos mostra soluções diferentes para problemas semelhantes. Não temos castas, não fomos colonizados por ingleses, não temos um passado ancestral de invasões muçulmanas e mongóis, nem nos formamos em uma cultura da sabedoria politeísta com 33 milhões de divindades. Mas lá e cá notamos a ausência seletiva do Estado, a tolerância seletiva do assassinato de minorias e da corrupção, compreendida como forma de gestão política. (mais…)

Ler Mais