SOS Solar do Cabaceiro: desmatamento para construção de condomínio em área histórica gera protesto na Ribeira, Ilha do Governador, RJ

Do Ilha Notícias

A construção de um condomínio no terreno onde era a Fazenda do Cabaceiro, localizada na Ribeira, foi alvo de uma manifestação realizada no sábado (9), na rua em frente ao empreendimento imobiliário e contou com a presença de um grupo de moradores da região. Os manifestantes condenaram a derrubada de 74 árvores na área da fazenda e consideram ilegal a construção de um condomínio com dois prédios num total de 48 apartamentos.

A Fazenda da Ribeira, como também é conhecido o local, teria sido a primeira feitoria construída no Brasil no Século XIX e na época serviria de ponto de negociação e venda de diversos produtos que chegavam pela Baía de Guanabara. Na área, como em grande parte da Ilha, viviam tribos indígenas.

Durante o protesto o ambientalista Sérgio Ricardo manifestou a importância da preservação do espaço e disse que a obra seria irregular. “Não podemos permitir um crime contra o patrimônio histórico e cultural, além de um crime contra o meio ambiente. Por isso a importância da mobilização”.

Os vereadores Fátima Vasconcelos (PSC), Jimmy Pereira (PRTB) e Tânia Bastos (PRB), encaminharam pedido de explicações à Secretaria de Meio Ambiente sobre a obra. A Vereadora Tânia Bastos conversou com os responsáveis da obra na sexta-feira dia 8.

Segundo os advogados dos empreendedores, a tramitação do processo para liberação da obra ocorreu dentro da lei resultando em medidas compensatórias para replantio de 714 árvores no entorno do empreendimento. O antigo casarão existente no local, que já é patrimônio tombado será preservado.

Os advogados também garantem que as 74 árvores indicadas para serem retiradas são exóticas, ou seja, não são nativas da região, e apenas 24 delas serão removidas do local.

A Casa do Índio, localizada em frente ao futuro condomínio, cujo prédio precisa de reparos, receberá obras de reforma que serão realizadas pelos empreendedores, sem custos. A notícia foi dada pelo construtores do condomínio à Eunice Cariri, que há 50 anos coordena a Casa do Índio.

***


Segundo Sérgio Ricardo, esta semana,foram apresentados três Projetos de Lei na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro que objetivam proteger em definitivo o Solar do Cabaceiro e o Bosque: propostos por César Maria, Fátima e um outro em co-autoria dos vereadores do PSOL Tarcísio Motta e Renato Cinco: “Vamos lutar para aprovar os 3 PLs e impedir de vez a especulação imobiliária e desmatamento do Cabaceiro!”

“Ao invés de mais especulação imobiliária, defendemos o Tombamento do imóvel do “SOLAR DO CABACEIRO” para fins de criação e implantação do “Museu Vivo da Ilha do Governador”, que seria um espaço cultural com um Centro de Referência da História e da Memória do bairro que é um dos mais antigos do Rio de Janeiro; assim como é necessário a restauração do imóvel e a preservação de todo o arvoredo (Bosque) do seu entorno.”

# SOS SOLAR DO CABACEIRO # MUSEU VIVO DA ILHA
# NÃO À ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

Grupo protestou no dia 9 em frente ao local onde será construído o condomínio na Ribeira

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

13 + 8 =