Movimento indígena bloqueia BR de Curitiba em defesa da saúde

Questionam a ameaça do governo em não renovar o contrato para veículos e motoristas que atendem urgências médicas

Redação Brasil de Fato*

Contra o cancelamento de contratos no âmbito da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai), que inviabiliza o atendimento à saúde indígena, os povos originários bloquearam os dois sentidos da BR-277, na região metropolitana de Curitiba, nesta sexta-feira (12). As lideranças demandam uma reunião com a Secretária dos Povos Indígenas do Governo Bolsonaro, Sílvia Waiãpi, para negociação. A interdição ocorreu às 6h35 e permanece até às 10h com mais quatro pontos de bloqueio no PR, SC e RS.

Reivindicações 

Há duas semanas, cerca de 100 indígenas de todo o Paraná ocupam a sede da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai) em Curitiba, motivados por ameaça do governo federal em não renovar o contrato para veículos e motoristas que atendem urgências médicas. A Sesai, atualmente, terceiriza este tipo de serviço.  Além disso, lutam também pela não extinção da SESAI, noticia que chegou a ser anunciada logo no início do novo governo.

Edição: Laís Melo.

* com informações de Manuel Caleiro.

Imagem: Povos originários bloquearam os dois sentidos da BR-277, na região metropolitana de Curitiba, nesta sexta-feira (12) / Giorgia Prates

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

um + 19 =