MST realiza 1º Encontro de Gênero e Diversidade Sexual na região de Campinas (SP)

“Que nada nos defina, que nos sujeite. Que a liberdade seja nossa própria substância, já que viver é ser livre!”, já escreveu Simone de Beauvoir

Por Coletivo de Comunicação MST/SP
Da Página do MST

Em tempos de termos como “ideologia de gênero” e “cura gay”, urgem ações de reafirmação que coloquem a pauta da diversidade sexual e da igualdade de gênero no centro do debate. Com esse desafio, aconteceu, no último domingo (7), o 1° Encontro de Gênero e Diversidade Sexual da região de Campinas. Participaram da atividade mulheres e sujeitos LGBT oriundos de acampamentos e assentamentos do MST na região. Patricardo, combate ao machismo, LGBTfobia e racismo foram alguns dos temas discutidos.

De acordo com Kelvin Nicolas, do coletivo LGBT Sem Terra, a realização desses espaços é importante para fortalecer as lutas e o combate às violências cotidianas que acontecem, principalmente contra as mulheres e LGBT.

“Nesse encontro discutimos o patriarcado e fizemos um lindo e doloroso momento de socialização das nossas vidas. Ali pudemos ver e ouvir de perto quais as opressões e violências vividas e enxergamos nossos desafios como mulheres e LGBT Sem Terra”, afirmou.

Para Tassi Barreto, da direção estadual do MST, o encontro contribui também para fortalecer a organização das mulheres e sujeitos LGBT, criar autoestima e construir solidariedade e ações para desconstruir o patriarcado e combater as violências que ceifam vidas dia após dia.

“Todo dia sofremos com o machismo e com preconceitos de classe. Hoje aprendemos que não é uma coisa individual; isso é estrutural do capitalismo, portanto, teremos que fazer a transformação de forma coletiva, inclusive com os homens.”

O 1° Encontro de Gênero e Diversidade Sexual da região de Campinas é parte das atividades organizativas preparatórias para o Encontro Estadual de Gênero e Diversidade Sexual de São Paulo, previsto para acontecer em setembro e reunirá mulheres e LGBTs Sem Terra de todo o estado.

“Esse é mais um espaço construído fortalecendo as LGBT do campo. A auto-organização desses sujeitos fortalece uma esperança coletiva. O encontro estadual será um espaço com muita cor, ousadia, rebeldia e também de conspiração. Não vamos voltar para o armário e não iremos permitir que nosso lar seja um caixão. Enfrentaremos, construindo uma nova sociedade baseada no respeito mútuo”, finalizou Kelvin Nicolas.

Encontro aconteceu no último domingo, em Campinas (SP). Fotos MST/SP

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

nove + nove =