Em reunião com governador, MAB destaca urgência no atendimento aos atingidos de Pedro Alexandre (BA)

No MAB

O Movimento dos Atingidos por Barragens participou, neste domingo (14), de uma reunião em Pedro Alexandre, município no interior da Bahia, onde recentemente houve rompimentos de barragens em decorrência das chuvas intensas.

Após ter sobrevoado locais afetados pelas inundações, o governador Rui Costa (PT) participou de um encontro para debater questões humanitárias nos primeiros atendimentos aos atingidos. A reunião contou com a presença do comando do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Movimento dos Atingidos por Barragens, Assistência Social do município, Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento da Bahia (Cerb), o prefeito de Pedro Alexandre, Pedro Gomes Filho (PSD), e a Deputada Estadual Fátima Nunes (PT).

Além de trazer a importância de averiguar a segurança de outras barragens da região para evitar novas tragédias, a Comissão de atingidos da comunidade – formada pela Pastoral Social, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e MAB – listou a necessidade de distribuição de cestas básicas, manutenção das estradas (para deslocamentos e garantia da logística dos atendimentos) e o cadastro de todos os atingidos pelas barragens.

Segundo membros da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens que estão no local prestando solidariedade à população afetada, a reunião também foi um passo importante para a abertura de um canal para tratar com o governo do estado políticas públicas que monitorem as barragens da Bahia e tragam garantia de direitos aos atingidos.

“O clima é de preocupação, há risco de rompimentos de outras barragens, ainda há famílias que estão ilhadas nas proximidades da barragem do Quati, as doações estão chegando somente por helicópteros, as estradas foram prejudicadas, a situação ainda é delicada.”, afirma Moisés Borges, da coordenação do MAB, que está na região.  

Diante da tragédia, o MAB destaca a urgência no atendimento da questão humanitária, e pondera a necessidade de qualificar o cadastramento dos atingidos. “O cadastro precisa identificar também o perfil das famílias atingidas e dimensionar as perdas econômicas”, explica Borges.  

O Movimento dos Atingidos por Barragens reforça ainda que o governador Rui Costa aceite a solicitação de reunião do movimento com o governo, protocolada na sexta-feira (12) para tratar da temática dos atingidos da região afetada e do restante estado. O MAB continua na região junto com os atingidos de Pedro Alexandre e Coronel João Sá.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

dezesseis + sete =