Sobre o brincar…

Por Ângelo Oliveira*

No dia 28 de maio é comemorado o dia internacional do brincar. Nesse tempo, em que a infância tem cada vez mais oprimido a criança, é importante ressaltar que brincar é coisa séria. É por meio da brincadeira que a criança experimenta o mundo, constrói conceitos e organiza seu lugar de existência enquanto ser social. Temos vivido numa realidade em que as telas são apresentadas às crianças cada vez mais cedo, pois para o adulto parece cômodo quando os filhos ficam entretidos e quietinhos talvez porque, na sua visão, demanda menos cuidado.

Porém, os limites impostos pelas telas, apesar de entreter, acabam por empobrecer a experiência do brincar. Nesse caso, 0 ato motor gerado pelo desejo fica restrito aos “dedos nervosos” e aos “olhares adormecidos”. Portanto, é mister destacar que brincadeira é diferente de entretenimento! O brincar favorece o desenvolvimento de fatores psicomotores tais como: tonicidade, equilibração, noção espaço-temporal, lateralidade e noção de corpo. E todas essas aquisições são necessárias para as demais aprendizagens, inclusive as escolares.

As brincadeiras podem ser livres ou dirigidas. O brincar livre, que nasce de forma espontânea favorece o desenvolvimento da criatividade e autonomia entre outras aquisições. Já o brincar dirigido favorece a apropriação de regras, o respeito ao espaço do outro e muito mais. O brincar é fundante para a aprendizagem e o desenvolvimento da pessoa. Brincar é, portanto, um recurso humano que tem um fim em si mesmo. A criança é, na máxima expressão do ser, e por isso não podemos compreendê-la como um projeto de adulto, um devir ou vir-a-ser. Eis a razão pela qual precisamos garantir mais espaços para o brincar com qualidade e não deixar que as crianças fiquem aprisionadas às telas. Lembremos que as telas são produções humanas e não o contrário. Que nessa semana do brincar possamos pensar sobre a infância que temos submetido às nossas crianças.

*Prof. Dr. Ângelo Oliveira-IFCE/Campus Quixadá
Área: Currículo e estudos aplicados ao ensino e aprendizagem

Foto: Adriano Gambarini

Comments (2)

  1. Pouco se fala do quanto o brincar é necessário, para o amadurecimento das idéias, criatividade, e desenvolvimento de uma criança, em contrapartida a um oloforte imenso em relação ao atraso das crianças referente a aprendizagem, que só é percebida no ensino fundamental, e os culpam, por não corresponder ao que o sistema sugere, o ritmo correto de aprender, e insistem em querer resolver o problema na fase da adolescência, quando na verdade devemos buscar ter uma atenção maior na primeira infância, no entender que a brincadeira é fundamental, o limite em relação as telas deve ser mantido, e para além disso buscar entender a subjetividade dessa nova geração e juntos construir novos caminhos, então de fato esse tema deve ser discutido cada vez mais para que soluções sejam concedidas.

  2. Tema de grande relevância, levanando o foco do brincar para o desenvolvimento da criança com ser. O brincar de fato é importante para a criança também se reconhecer em uma sociedade pois é através das brincadeiras que ela (criança) se torna ser pensante.

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

20 − 19 =