Casa de Oswaldo Cruz promove evento “Desafios da desinformação e possibilidades para a divulgação científica”

Por COC/Fiocruz

O uso massivo da internet e o intenso compartilhamento de informações via redes sociais digitais desencadearam transformações profundas nas formas de se comunicar, colocando-nos diante de novos e complexos desafios que marcam a era da pós-verdade. Entre eles, destaca-se a circulação desenfreada de desinformação, com graves consequências para a sociedade, em diferentes temas. Para abordar essa questão que atinge fortemente a ciência e a divulgação científica, o evento “Desafios da desinformação e possibilidades para a divulgação científica”, promovido na Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), debaterá o tema sobre distintos aspectos e com pesquisadores de diferentes áreas.

O evento começa em 11 de março, no auditório do Museu da Vida Fiocruz, no campus Manguinhos da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro. As palestras serão abertas ao público. Na parte da tarde dos dias 12 e 13 de março, acontecerão as oficinas “O desafio da desinformação: compreendendo a recepção” e “O Desafio da Desinformação: Em Busca de uma melhor Divulgação Científica”, para os alunos da especialização e do mestrado.

O professor Luis Felipe Miguel, da Universidade de Brasília (UnB), falará na palestra com título “Política e ciência política nas redes: desinformação e divulgação científica”, na tarde de 11 de março. Na manhã do dia seguinte, será a vez do pesquisador Marcelo Alves, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro  (PUC-Rio), abordar a governança, economia política e aspectos sociomateriais da desinformação. Já a pesquisadora da Fiocruz e coordenadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Comunicação Pública da Ciência, Luisa Massarani, trará um panorama da pesquisa em desinformação no Brasil e América Latina.

O último dia de evento contará com a palestra do pesquisador do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fiocruz (Icict/Fiocruz), Igor Sacramento, com o tema “A Evidência como Experiência: A Cisma e a Desinformação sobre Vacinas como uma Concorrência Discursiva”. O pesquisador e diretor de Ciência na Sociedade do Instituto Gulbenkian de Ciência, de Portugal, Antonio Gomes da Costa, abordará o abuso do modelo de déficit, a pouca ênfase dada ao processo de validação em ciência e o negligenciamento do público adulto.

Além de abrir o ano letivo da especialização e do mestrado em divulgação da ciência, o evento é parte do projeto “O desafio da desinformação em saúde: compreendendo a recepção para uma melhor divulgação científica”, capitaneado pelo Núcleo de Estudos da Divulgação Científica, do Museu da Vida Fiocruz e apoiado pelo Edital PROEP-COC 2021 – CNPq, além do auspício da RedPOP.

Os programas de pós-graduação em divulgação científica da COC contam com a parceria do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), da Fundação Cecierj e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Serviço

Título: “Desafios da Desinformação e Possibilidades para a Divulgação Científica”

Datas e Horários:

11/3: 14h-17h – evento aberto ao público em geral

12 e 13/3: 9h-12h – evento aberto ao público geral

12 e 13/3: 14h-17h – evento apenas para os alunos dos cursos de mestrado e especialização

Local: Auditório do Museu da Vida Fiocruz – Av. Brasil, 4365 – Manguinhos, Rio de Janeiro – RJ.

O evento não requer inscrição prévia

Foto: Rede Brasil Atual

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

17 − dezesseis =