“Quem manda sou eu”: Interferência de Bolsonaro na PF pode gerar demissão coletiva de delegados

De acordo com a jornalista Mônica Bergamo, o clima é de insatisfação entre delegados da Polícia Federal após a interferência de Bolsonaro para trocar o comando do órgão no RJ; presidente tenta barrar as investigações do caso Queiroz

Na Fórum

Delegados da Polícia Federal em todo o país já estariam, como reação à interferência de Jair Bolsonaro no órgão, cogitando um pedido de demissão coletivo. As informações são da jornalista Mônica Bergamo.

(mais…)

Ler Mais

EXCLUSIVO – Envolvido no “Itaipu Gate” abriu offshore no Panamá às vésperas da eleição. Suplente do PSL retirou participação em empresa de energia 10 dias depois da filiação e deixou filho no lugar

por Lúcio de Castro, em Agência Sportlight

Duas ações dos protagonistas do “Itaipu Gate” são decisivas para a montagem do quebra-cabeças no escândalo que envolve os governos do Brasil e Paraguai.

Sempre juntos nas rodadas de negociações com o país vizinho, Alexandre Giordano, (suplente do senador Major Olímpio-PSL-SP), e os sócios do Grupo Léros, realizaram movimentações societárias em épocas próximas. E sempre próximas ao calendário das eleições de 2018.

(mais…)

Ler Mais

Seis meses de Governo Witzel nas favelas, Parte 1: Segurança Pública e Governança

Esta é a primeira parte de uma matéria de duas partes focada no monitoramento das realizações do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, até o momento, com foco em suas políticas e ações de segurança pública, governança, desenvolvimento social e desenvolvimento econômico. Witzel foi eleito em outubro passado com base em uma campanha focada na promoção da segurança pública. Ao mesmo tempo, ele prometia o “resguardo do policial de uma eventual condenação jurídica“, provocando o questionamento de quem seria o beneficiário dessa segurança. Nesta matéria analisamos suas realizações até hoje, e esta e outras discrepâncias na sua retórica.

por Luisa Fenizola, em RioOnWatch

Ao assumir o mandato em janeiro, Witzel distribuiu aos seus secretários um “Plano de Diretrizes e Iniciativas Prioritárias do Governo do Estado do Rio de Janeiro” com 104 metas para serem alcançadas nos 100 primeiros dias de governo e outras 99 até o fim dos seis primeiros meses. Esse plano foi disponibilizado no site do governo do Estado, mas posteriormente retirado do ar. Em abril, na marca dos 100 dias, o governador divulgou o documento “Um Começo de Um Novo Futuro: 100 Dias, Resultados do Governo”. Nele, declarou ter cumprido 95 de 121 metas, e não das 104 originais. No intervalo, Witzel havia feito inúmeras mudanças nas metas originais, inclusive na redação, dividindo metas, criando novas, sumindo com outras, deixando uma inconsistência que torna difícil o monitoramento.

(mais…)

Ler Mais

MPF obtém condenação de cacique e liderança da TI Nonoai por arrendamento de terra indígena

Além de ilegal, prática beneficiava somente parcela de índios ligados à liderança

Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul

O Ministério Público Federal (MPF) em Passo Fundo (RS) obteve a condenação, em obrigações de fazer, de não fazer e de pagar, do cacique da Terra Indígena (TI) Nonoai, José Orestes do Nascimento, do seu filho e do ex-prefeito do Município de Gramado dos Loureiros, Erpone Nascimento, e do indígena José Carlos Gabriel, ex-servidor da Funai, por promoverem  arrendamento de terras indígenas a pessoas não indígenas.

(mais…)

Ler Mais

Até que a Lava Jato não é de se jogar fora

Ao menos serve como exemplo para não combater a corrupção. Ações voluntaristas, fabricação de super heróis e investigações enviesadas fracassaram — e até antigos aliados perceberam. É preciso superar “modelo Sérgio Moro”

por Roberto Andrés, em Outras Palavras

Quando surgiu a operação Lava Jato, há 5 anos, muita gente achou que se iria erradicar a corrupção do país. Outros passaram a acusar a operação de agir politicamente, escolhendo seus alvos preferenciais e poupando outros. Como apontou Conrado Hübner, a Lava Jato “forçava-nos a uma camisa de força: ou se é defensor da Lava Jato ou se é defensor da corrupção”.

(mais…)

Ler Mais

ABJD protocola reclamação junto ao CNPM: “corregedor se acovarda diante da gravidade das mensagens envolvendo membros do Ministério Público”

A ABJD – Associação Brasileira de Juristas pela Democracia protocolou nesta segunda-feira (29/07) uma reclamação disciplinar no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) para que o órgão cumpra sua responsabilidade institucional, pare de arquivar sumariamente as solicitações e instaure procedimento administrativo para apurar as condutas dos procuradores Deltan Dallagnol e demais integrantes do Ministério Público Federal envolvidos na #Vazajato.

(mais…)

Ler Mais

666: Portaria de Moro permite deportar “pessoas perigosas” com investigações “em curso”

Texto foi assinado em 25 de julho, mesmo dia em que Operação Spoofing colheu depoimento de supostos “hackers”

Por Opera Mundi*, no Brasil de Fato

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, editou, na quinta (25), uma portaria, de número 666, que regula a deportação ou encurtamento da estadia no Brasil de pessoas consideradas “perigosas” ou “suspeitas” de praticar atos que contrariem a Constituição da República.

(mais…)

Ler Mais

MPF requer arquivamento de ações que tentam impedir continuação da Vaza Jato. Uma delas é de deputado do PSL

Por Rafael Moro Martins, Tatiana Dias, no The Intercept Brasil

O PROCURADOR MARCUS MARCELUS GONZAGA GOULART, do Ministério Público Federal, requereu à justiça o arquivamento de dois pedidos de censura ao Intercept. Um deles foi feito por um político do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal cearense Heitor Freire, e, o outro, por alguém que pediu sigilo sobre a identidade.

(mais…)

Ler Mais

Incra diz que desapropriação de R$ 41 milhões no MT que beneficiou pai, tios e primos de Deltan Dallagnol foi ilegal

Presidente do órgão, general João Carlos de Jesus Corrêa investiga indenizações, diante dos “indícios de irregularidades” praticadas por servidores; família do procurador cedeu mais de 36 mil hectares para a reforma agrária e recebeu a maior bolada, R$ 37 milhões

Por Leonardo Fuhrmann e Alceu Luís Castilho, em De Olho nos Ruralistas

O Conselho Diretor do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) abriu em maio um procedimento para investigar irregularidades na desapropriação dos imóveis que constituem a Fazenda Japuranã, em Nova Bandeirantes (MT), em região de floresta na Amazônia Legal. Entre os beneficiários da megadesapropriação estão pelo menos 14 parentes de Deltan Dallagnol, coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba. Entre eles o pai do procurador da República, o ex-procurador Agenor Dallagnol. Somente a família de Deltan recebeu R$ 36,9 milhões em dezembro de 2016, durante o governo Temer, diante da desapropriação de pelo menos 37 mil hectares no município, no noroeste do Mato Grosso.

(mais…)

Ler Mais