Fora do armário. Por Janio de Freitas

Ana Amélia recebeu salários no Senado, antes de eleita, por cargo que não exercia

Na Folha

A escolha da senadora Ana Amélia Lemos, situada à direita da direita, para vice de Geraldo Alckmin é muito mais do que a complementação de uma chapa eleitoral. A escolha exprime uma definição do dúbio Alckmin e acaba com a ambiguidade do PSDB. Em termos políticos, Ana Amélia é uma versão nunca fardada de Jair Bolsonaro. (mais…)

Ler Mais

Novo ministro do Trabalho foi autuado 24 vezes por infrações trabalhistas

Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello pagou multa por manter trabalhadores rurais sem registro e expor funcionários a agrotóxico

Por Daniel Camargos e Ana Magalhães, em Repórter Brasil

O recém-nomeado ministro do Trabalho, Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello, foi autuado 24 vezes em fiscalizações do Ministério do Trabalho por infrações trabalhistas, entre 2005 e 2013, em sua fazenda, em Conceição do Rio Verde, no Sul de Minas Gerais. (mais…)

Ler Mais

Caravana Semiárido Contra a Fome denuncia a iminência da volta do Brasil ao Mapa da Fome. Entrevista especial com Cícero Felix

por Ricardo Machado, em IHU On-Line

A Caravana Semiárido Contra a Fome, uma iniciativa de organizações do Semiárido brasileiro, vai percorrer mais de 2.906 quilômetros do sertão de Pernambuco até Curitiba, com uma parada final em Brasília, entre os dias 27 de julho e 05 de agosto, para alertar a sociedade brasileira acerca dos riscos de o Brasil retornar ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura – FAO. De acordo com Cícero Felix, integrante do Núcleo Diretivo do Fórum do Território do Sertão do São Francisco, a Caravana é inspirada no Relatório Luz, elaborado por 20 organizações da sociedade civil, que “indica a iminência da volta do Brasil ao Mapa da Fome a partir do estudo de indicadores sociais, como população em estado de pobreza e cobertura dos programas de assistência social e da previdência”. (mais…)

Ler Mais

Falando com a Márcia. Por José Ribamar Bessa Freire

No Taqui Pra Ti

Oi Marcinha,

Tudo bem? Sei que estamos proibidos de conversar por decisão do juiz Rafael Cruz, nesta segunda-feira (16/07), que deu prazo de 15 dias úteis para o teu patrão Marcelo Bezerra Crivella se manifestar por escrito diante da acusação de improbidade administrativa, sob o risco de ser afastado do cargo de prefeito do Rio. Por isso, para despistar o juiz, me identifico aqui com meu nome traduzido ao inglês: Joseph Oversea Too Much, 71 anos, professor em duas universidades e colunista do Diário do Amazonas. (mais…)

Ler Mais

Após acusar ONU de barganha sigilosa, ex-ministro cai por barganha sigilosa, por Leonardo Sakamoto

no blog do Sakamoto

O então ministro do Trabalho Helton Yomura – hoje personagem da operação Registro Espúrio, da Polícia Federal, que investiga fraude na concessão de registros sindicais – foi o responsável por defender a Reforma Trabalhista do governo Michel Temer durante a Conferência Internacional do Trabalho, das Nações Unidas, em Genebra, no mês passado. (mais…)

Ler Mais

Só acredita na intervenção no Rio quem vive blindado e encastelado, por Leonardo Sakamoto

no blog do Sakamoto

O número de chacinas subiu 86% desde que foi decretada a intervenção federal na área de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro.

Foram 28 casos de ”mortes múltiplas”, com três ou mais homicídios violentos, totalizando 119 óbitos, entre fevereiro e julho – número superior aos 15 casos, com 50 mortos, no mesmo período do ano passado. Os dados são do Observatório da Intervenção, do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, e estão em reportagem do UOL desta segunda (16). (mais…)

Ler Mais

Conflito distributivo de classes inundou e continua inundando o processo político nacional. Entrevista especial com Armando Boito Jr.

por Vitor Necchi, em IHU On-Line

Questões importantes da política brasileira, em especial as crises durante os mandatos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, são analisadas pelo professor Armando Boito Jr. no livro Reforma e crise política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT, lançado recentemente. Ao tratar dos fatos que possibilitaram um ciclo de quatro vitórias consecutivas do PT nas eleições presidenciais, o autor observa que os governos Lula e Dilma “organizaram uma ampla frente política que, na disputa eleitoral, era muito difícil de ser batida”. (mais…)

Ler Mais

Boaventura: o que aprender com a Nicarágua

Ruína do governo Ortega convida a relembrar Revolução Sandinista e os déficits atuais da esquerda. Levante popular poderia repetir-se no Brasil ou Argentina?

Por Boaventura de Sousa Santos, no Outras Palavras

Pertenço à geração dos que nos anos de 1980 vibraram com a Revolução Sandinista e a apoiaram ativamente. O impulso progressista reanimado pela revolução cubana de 1959 tinha sido estancado em grande medida pela intervenção imperialista dos EUA. A imposição da ditadura militar no Brasil em 1964 e na Argentina em 1976, a morte de Che Guevara em 1967, na Bolívia e o golpe de Augusto Pinochet contra Salvador Allende em 1973 foram os sinais mais salientes de que o sub-continente sul-americano estava condenado a ser o quintal dos EUA, submetido à dominação das grandes empresas multinacionais e das elites nacionais com elas coniventes. Estava, em suma, impedido de pensar-se como conjunto de sociedades inclusivas centradas nos interesses das grandes maiorias empobrecidas. (mais…)

Ler Mais

Ministro cai por caso de corrupção e Temer põe Eliseu Padilha de interino?. Por Leonardo Sakamoto

No blog do Sakamoto

Não passou despercebido que, em meio à crise instalada no Ministério do Trabalho pela Operação Registro Espúrio (que levou ao afastamento e à demissão do responsável pela pasta), Michel Temer tenha nomeado Eliseu Padilha como interino.

Ou seja, o ministro-chefe da Casa Civil, apontado como um ativo membro do “Quadrilhão” do MDB pela Polícia Federal, denunciado pelo Ministério Público Federal no âmbito da Operação Lava Jato por fazer parte do grupo que vendia facilidades junto a Petrobras, Furnas, Caixa, entre outras instituições públicas, conhecido como “Fodão”, “Primo” e “Bicuíra” nas planilhas de propina da Odebrecht, acusado de mal comportamento com a coisa pública nos governos do PSDB e do PT, assumiu como uma espécie de interventor no momento em que a cúpula do ministério é acusada de corrupção. (mais…)

Ler Mais