MPF seleciona artigos científicos sobre Justiça de Transição e Direito à Memória e à Verdade

Textos devem ser enviados até 30 de março

Estão abertas as inscrições para a seleção de artigos científicos sobre o tema Justiça de Transição e Direito à Memória e à Verdade: boas práticas. Os textos escolhidos integrarão coletânea digital organizada pelo Ministério Público Federal (MPF). Os artigos devem ser enviados até o dia 30 de março por meio do correio eletrônico 2ccr@mpf.mp.br. Ao enviar o arquivo, o título ou assunto da mensagem deverá indicar “Edital Conjunto nº 1, de 15 de fevereiro de 2018”. (mais…)

Ler Mais

Em São Félix do Pedro do Araguaia, por Ruben Siqueira

Da CPT Bahia / Nacional

Foi realização de um sonho estar pela primeira vez em São Félix do Araguaia, depois de tantos anos na CPT (34). Rever Pedro Casaldáliga, respirar o ar de tanta caminhada, de peões, indígenas, camponeses e agentes de pastoral de uma pequena e imensa igreja de Cristo, luminosa, provada no martírio sua fidelidade a Jesus do Evangelho, como poucas a concretizar a Boa-Notícia aos pobres e oprimidos. Sou imensamente grato à Campanha Nacional de Combate ao Trabalho Escravo por fazer um primeiro encontro nacional da CPT aqui e me convidar para assessorá-lo, com o tema “CPT – missão, história, espiritualidade e Teologia da Libertação”. Não poderia ter lugar melhor! (mais…)

Ler Mais

#90AnosDePedro | Carta de Pedro ao Papa

90 anos de vida, 50 de Brasil. Uma longa história que ultrapassou os limites da Prelazia, alcançou o Brasil e o mundo. No auge das tensões com o Vaticano, Pedro escreve uma longa carta ao Papa João Paulo II. Vejamos alguns tópicos.

Antônio Canuto*, na CPT

A ação de Pedro Casaldáliga, Bispo de São Felix do Araguaia, incomodava o Vaticano. Ele denunciava o trabalho escravo, a invasão das terras indígenas, a expulsão das famílias de posseiros. Era uma denúncia direta contra uma política de governo que se implantava na Amazônia, para seu “desenvolvimento”. (mais…)

Ler Mais

O desfile da Tuiuti, a história e aquilo que a Globo não conta, por Maria Frô

Na Fórum

Todo mundo já sabe o escândalo do golpe pelas mãos, pés, plumas, samba e alegorias da Tuiuti.

A escola com o samba-enredo de autoria de Moacyr Luz, Cláudio Russo, Anibal, Jurandir e Zezé fez a mais dura crítica social ao golpe e suas consequências. O carro alegórico “Neotumbeiro”, que a frente traz o vampirão Temer e banqueiros, moedas, engravatados do grande capital e, abaixo, os paneleiros, chamados de “manifestoches”, merecia muito close e um historiador decente para traduzir cada componente do carro que a Globo evitou o quanto pode mostrar os detalhes e comentar. Só esse carro que é complementado com as alas do “trabalho escravo no campo e na cidade”, com a ala do “trabalho informal precarizado”, com a ala dos “manifestoches” (coxinhas de camisa da CBF, patos da Fiesp) valeu todo o desfile. (mais…)

Ler Mais

#90AnosDePedro | Pedro incomodava o Vaticano

Na comemoração dos 90 anos de Pedro Casaldáliga é muito bom lembrar alguns fatos que marcaram sua biografia. Como um dos grandes profetas de nosso tempo, Pedro incomodou não só os grandes fazendeiros da região do Araguaia e o governo militar que lhes dava suporte, como também setores da Igreja que compactuavam com o sistema e o próprio Vaticano.

Por Antônio Canuto*, na CPT

Como os profetas bíblicos que diante da situação do povo clamavam por justiça e denunciavam os que se locupletavam à custa dos pobres, Pedro fez o mesmo. Suas denúncias são diretas, cita pessoas com nome e sobrenome. (mais…)

Ler Mais

Leonardo Boff: Temer está provocando o povo, e país pode ter convulsão social

Na Rede Brasil Atual

O teólogo e escritor Leonardo Boff avalia que o governo de Michel Temer está “provocando o povo” e a consequência pode ser uma convulsão social. “Nossa tarefa é tentar evitar essa situação e fazer com que essa pressão toda coloque o Congresso para atuar em prol do povo, mas se acontecer essa sublevação, eles são os culpados”, afirmou, nesta terça-feira (6), durante participação no programa Entre Vistas, apresentado pelo jornalista Juca Kfouri, na TVT. (mais…)

Ler Mais

O Símbolo Sepé Tiaraju

Sepé é o símbolo vivo das ruínas vivas, das gentes excluídas, pobres, exploradas, esquecidas, desprezadas, teimando em buscar seu lugar ao sol, em um pedaço de terra repartida

Por Frei Sérgio Antônio Görgen*, do MPA 

Por ocasião da passagem do dia 07 de fevereiro de 2018, dia em que recordamos o assassinato de Sepé Tiaraju, trago à memória a história e a marca de um símbolo da luta pela soberania dos Povos, o Índio Guarani Sepé Tiaraju, hoje parte do Panteão da Pátria, Herói da Nação Brasileira. Recordá-lo em tempos de entreguismos e injustiças é reforçar a dignidade dos pobres e a luta em defesa da soberania do povo e da nação brasileira. (mais…)

Ler Mais

Sociedade civil e instituições públicas debatem o direito de manifestação

Por Rodrigo de Medeiros Silva

Na manhã do dia 06 de fevereiro, no CAMP – Uma Escola de Cidadania, reuniram-se sociedade civil e instituições públicas para debaterem o direito de manifestação. Estiveram presentes integrantes da Acesso- Cidadania e Direitos Humanos, da Artigo 19, da Associação dos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul, da Associação do Voluntariado e da Solidariedade – AVESOL, do Comitê Estadual Contra a Tortura do Rio Grande do Sul- CECT-RS, da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, da Federação Anarquista Gaúcha- FAG, do Fórum Justiça-FJ, do Fórum Nacional de Segurança Alimentar dos Povos Tradicionais de Matriz Africana- Fonsanpotma/ RS, do Grupo de Assessoria Justiça Popular- GAJUP/SAJU, do Levante Popular da Juventude- LPJ, do Mestrado em Direitos Humanos da UniRitter, do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública-RS e da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão- PRDC.

(mais…)

Ler Mais

Sonia Bone Guajajara lança carta de pré-candidatura à Presidência: “A luta pela Mãe-Terra é a mãe de todas as lutas”

Falando com meus parentes e com minhas parentas indígenas:

Sou a Sônia Bone Guajajara, mulher indígena do povo Guajajara do Maranhão, Amazônia brasileira, faço parte da coordenação executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil–APIB e lutamos junt@s a todos os povos indígenas que resistem no Brasil.

O tempo em que vivemos é duro. O conservadorismo avança, os direitos trabalhistas são estraçalhados, o que resta da saúde e educação pública sofre um desmonte contínuo. As cidades são afetadas pela especulação imobiliária, baixa qualidade de vida e violência urbana. No campo e na floresta, o agronegócio, a mineração e o desenvolvimentismo capitalista predatório desmatam, poluem nossos rios e atacam violentamente a vida dos nossos povos, dos pequenos agricultores, quilombolas e comunidades tradicionais. Quando nós resistimos e nos contrapomos a esse modelo, somos ameaçados, somos assassinados e até nossa voz querem silenciar. (mais…)

Ler Mais