Sob ameaça de remoção iminente, moradores do Horto se mobilizam

Por , no Rio On Watch

Ao cair da noite da quarta-feira, 13 de setembro, os moradores da comunidade do Horto na Zona Sul do Rio realizaram uma reunião urgente para discutir as novas circunstâncias na luta constante contra a remoção. As lideranças comunitárias da Associação de Moradores e Amigos do Horto (AMAHOR) informaram ao grupo, com cerca de 50 moradores, os recentes desenvolvimentos dos esforços do vizinho Jardim Botânico para remover as famílias das suas casas. Emília Maria de Souza, ex-presidente da AMAHOR, avisou ao grupo reunido que nos próximos dias “a comunidade toda tem que ficar alerta”. (mais…)

Ler Mais

Neta do ‘Folha Seca’ do Horto considera homenagem ao seu avô pelo Jardim Botânico “uma palhaçada”

Por Sophia Zaia, no Rio On Watch

Orlando “Folha Seca” Pereira da Silva, o primeiro jardineiro de carteira assinada do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, faleceu no dia primeiro de julho com cem anos de idade. Folha Seca é lembrado com muito orgulho por seus parentes e amigos na sua comunidade, o Horto Florestal. Ele morava no Horto com sua família–que continua morando lá–desde que recebeu permissão do Jardim Botânico para construir sua casa lá para morar perto do seu trabalho. A comunidade hoje é bicentenária. (mais…)

Ler Mais

SP – Governo do Estado especula com patrimônio imobiliário público

Por Pedro Mendonça e Raquel Rolnik*, no observaSP

Na última quinta-feira (24), o governo do estado de São Paulo abriu uma concorrência para contratar serviços de estruturação, administração, custódia e operação de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) composto por 267 imóveis públicos estaduais. Essa ação dá prosseguimento a um esforço empreendido pela gestão Alckmin para constituir instrumentos de garantia para os parceiros privados em  contratos de parcerias público-privadas (PPPs) estaduais, utilizando, para isso, os recursos resultantes da venda dos imóveis. Essa decisão, como veremos adiante, limita a capacidade de planejamento do poder público, além de causar remoções diretas e indiretas, o que põe em xeque sua capacidade de atender o interesse comum. (mais…)

Ler Mais

Resistência do Laboriaux na Rocinha em Face ao Legado Olímpico de Remoções #QueLegado

Simone Rodrigues – RioOnWatch

A reconfiguração recente da cidade do Rio de Janeiro em uma cidade Olímpica comprometeu diretamente o direito à moradia de seus habitantes, por meio da remoção compulsória de pessoas empobrecidas que viviam em áreas sujeitas à especulação imobiliária, como a Região Portuária, a Zona Sul e Barra da Tijuca. Essas remoções feitas por decreto durante a gestão do então Prefeito Eduardo Paes representaram flagrantes violações dos direitos humanos, visto que agentes da prefeitura agiram com truculência, ameaçaram derrubar as casas com as pessoas e seus pertences dentro e forçaram pessoas a assinar o auto de interdição das casas sob pena de não recebimento de indenização, sem diálogo e sem transparência. (mais…)

Ler Mais

Associação do Horto oferece cursos de arte gratuitos para fomentar a resiliência e a economia solidária

Sophia Zaia – RioOnWatch

A Associação de Moradores e Amigos do Horto (AMAHOR) da histórica comunidade do Horto localizada próxima ao Jardim Botânico, lançou cursos gratuitos de costura, artesanato e cerâmica no início deste ano. Os cursos são realizados semanalmente na sede da AMAHOR em parceria com três organizações de arte e buscam oferecer tanto uma alternativa econômica e espaço para socialização como apoio emocional dentro de uma comunidade que tem lutado contra remoções durante décadas. Enquanto a maioria dos alunos são mulheres da comunidade do Horto, a participação de alunos de comunidades de todo o Rio também é bem vinda. (mais…)

Ler Mais

Audiência Pública ‘Área Portuária, Pequena África e Cultura’ Discute Proposta de Criação do Museu da Escravidão e da Liberdade

Raine Robichaud – RioOnWatch

Um ano após as Olimpíadas, a Zona Portuária do Rio se desprende do projeto de renovação urbana Porto Maravilha que começou em preparação para os Jogos. O projeto, que custou oficialmente R$8 bilhões rasgou ruas para abrir caminho para o VLT, colocou dois museus na Praça Mauá que juntos custaram quase R$300 milhões, e acelerou a especulação imobiliária não regulamentada e a gentrificação na área. (mais…)

Ler Mais

Porto da Embraps causa embate entre produtores de soja e comunidades de Santarém (PA)

Soja faz com que indígenas, quilombolas, ribeirinhas e agricultores familiares percam cada vez mais acesso aos recursos

Bob Barbosa, Brasil de Fato

O avanço do agronegócio exportador de soja sobre a Amazônia, principalmente no oeste do Pará é perceptível aos olhos de quem viaja pelas estradas da região e também para quem pesquisa nas imagens de satélites acessíveis na internet. Não apenas florestas vem dando lugar a imensos campos de sojas, como também comunidades rurais – de agricultores familiares, indígenas, quilombolas e ribeirinhas – vem diminuindo e perdendo cada vez mais acesso aos seus recursos naturais.  (mais…)

Ler Mais

Com fogo, Doria Jr. manda arrancar 50 famílias do centro de SP

Por Cuca da UNE, especial para os Jornalistas Livres

A violência e a crueldade do prefeito João Doria não tem limites. Neste sábado, por volta das 5 da manhã, agentes da Guarda Civil Metropolitana, acompanhados pelo pessoal do Rapa, da PM e do Corpo de Bombeiros, levaram a cabo, sem qualquer aviso prévio, o despejo de 50 famílias ou 200 pessoas, muitas das quais mulheres, deficientes físicos, idosos e crianças, que viviam nos baixios do viaduto Julio de Mesquita Filho, no tradicional bairro do Bixiga. (mais…)

Ler Mais