Jessé Souza: “A classe média é feita de imbecil pela elite”

Os extratos médios, diz o sociólogo, defendem de forma acrítica os interesses dos donos do poder e perpetuam uma sociedade cruel forjada na escravidão

Por Sergio Lirio, na CartaCapital

Em agosto, o sociólogo Jessé Souza lança novo livro, A Miséria da Elite – da Escravidão à Lava Jato. De certa forma, a obra compõe uma trilogia, ao lado de A Tolice da Inteligência Brasileira, de 2015, e de A Ralé Brasileira, de 2009, um esforço de repensar a formação do País. (mais…)

Ler Mais

Feminismo e política em tempos de retrocessos

Com a ruptura do diálogo com os movimentos feministas e suas pautas, consolidada com o golpe de 2016, iniciou-se a ruptura do diálogo com todos os setores populares progressistas da sociedade civil.

Por Flávia Biroli, no blog da Boitempo

Vivemos, no Brasil, um momento interessante para a reflexão sobre a participação política das mulheres. Não fossem trágicos os desdobramentos da deposição da primeira mulher a chegar à Presidência da República no país, poderíamos até nos satisfazer com o que há de instrutivo em processos que colocam às claras os limites das democracias contemporâneas. (mais…)

Ler Mais

Pela democracia no Brasil: Nova sessão do Tribunal Tiradentes

Julgamento da representatividade e da legitimidade da maioria parlamentar no atual Congresso brasileiro

O Tribunal Tiradentes é um evento simbólico de comunicação pedagógica, promovido pela sociedade civil brasileira, visando ampliar a discussão dos diferentes setores da sociedade sobre temas de seu interesse. Sua realização se inspirou no Tribunal Russell, do nome do filósofo inglês que o criou em 1966 em Estocolmo, na Suécia, também conhecido como Tribunal Internacional de Crimes de Guerra, Tribunal Russell-Sartre, ou Tribunal de Estocolmo. (mais…)

Ler Mais

Temer na Noruega: fiasco e humilhação

Acossado por denúncias, presidente buscou agenda positiva, mas encontrou protesto, cometeu gafe e viu governo estrangeiro cortar financiamento ao Brasil

Na Carta Capital

Acossado pela iminente denúncia de corrupção que será feita pela Procuradoria-Geral da República, o presidente Michel Temer fez nesta semana uma viagem internacional na tentativa de criar uma “agenda positiva”. Após uma passagem inócua pela Rússia de Vladimir Putin, Temer chegou na quinta-feira 22 à Noruega. A empreitada pessoal terminou em fiasco e humilhação internacional para o Brasil. (mais…)

Ler Mais

“No Brasil, a barbárie tem a cara de um processo de reversão neocolonial que está nos levando ao século XIX”. Entrevista especial com Plínio de Arruda Sampaio Jr

Por Patricia Fachin e Ricardo Machado – IHU On-Line

A absolvição da chapa Dilma-Temer das acusações de abuso de poder econômico e político, além de ter sido um “escárnio”, demonstra que o Judiciário foi “irremediavelmente contaminado pela crise política”, afirma o economista Plínio de Arruda Sampaio Jr.. (mais…)

Ler Mais

Noruega corta grana para a Amazônia. Mas o que importa é que o “Agro é Pop”, por Leonardo Sakamoto

Blog do Sakamoto

A Noruega anunciou que vai cortar pela metade os repasses do país ao Fundo Amazônia, utilizado na proteção do bioma, na regularização fundiária e na gestão de territórios indígenas. O corte é uma forma de punição pelo aumento no desmatamento que vem ocorrendo nos últimos dois anos. De 2009 a 2016, o país nórdico aportou R$ 2,8 bilhões no fundo, mas promete aumentar a contribuição se os números voltarem a cair. (mais…)

Ler Mais

O totalitarismo primitivo da Escola Sem Partido

Delação de professores. Interrogatórios. Caça às bruxas. Imposição de “verdades” oficiais nos EUA, durante período macarthista, revela os riscos que Brasil agora corre

Por Cynara Menezes, no Socialista Morena/Outras Palavras

Há uma história pouco contada dentro da histeria anticomunista que tomou conta dos Estados Unidos entre 1947 e 1956, a chamada “caça às bruxas” ou macarthismo: a perseguição, pelo senador Joseph McCarthy e seus discípulos, aos professores do país. Em março de 1952, a Suprema Corte norte-americana atestou a constitucionalidade da Lei Feinberg, aplicada no Estado de Nova York desde 1949. De acordo com a lei, as escolas públicas estavam proibidas de contratar professores “subversivos” e poderiam demitir todos os docentes que julgassem “comunistas”. (mais…)

Ler Mais

Juristas e advogados têm apontado em vão irregularidades na Lava Jato, por Janio de Freitas

Na Folha

A crise vai ficando a cada dia mais original. Mais brasileira. Há dias, discutia-se a autoridade do Supremo, ou sua falta, para reexaminar a imunidade criminal concedida pelos procuradores da Lava Jato a Joesley Batista, o chefão da JBS que gravou comprometimentos ilegais de Michel Temer. O próprio Supremo entregou-se à discussão do acordo que autorizara. Pôs-se, portanto, em questionamento público. Mas a preocupação dominante, notada inclusive em integrantes do tribunal, não era com a respeitabilidade da instância mais alta da Justiça. Era, se admitido o reexame do acordo, com a repercussão na Lava Jato. Logo, na primeira instância que criou a imunidade mal vista na opinião pública. (mais…)

Ler Mais

Gilmar Mendes: o coveiro da democracia

Por Alexandre Ginzel, no Justificando

Um ministro do Tribunal Superior Eleitoral decidiu pela não cassação da chapa “Dilma-Temer”. É verdade que sua decisão não fora isolada, posto que apoiada por outros três comparsas, mas, decisiva. Não se tratou de uma simples decisão jurídica – é importante ressaltar a palavra “decisão” – sobre fatos da vida privada de um cidadão qualquer. Tratou-se de decidir pela morte da democracia na República.  (mais…)

Ler Mais