Operação Deriva: Fiscalização conjunta interdita empresas de aviação agrícola em MS

Aeronaves foram lacradas e multa de R$ 250 mil aplicada por irregularidades na pulverização aérea de agrotóxicos

MPF MS

Em Mato Grosso do Sul, nesta terça e quarta-feira, 21 e 22 de março, foi deflagrada a Operação Deriva, uma fiscalização ambiental integrada voltada ao combate de irregularidades na aplicação de agrotóxicos por empresas de aviação agrícola. Hangares localizados em Chapadão do Sul e Costa Rica foram vistoriados, o que resultou em 7 aeronaves apreendidas e quatro empresas autuadas. (mais…)

Ler Mais

Mortes fetais em Sorriso teriam relação com agrotóxicos

Keka Werneck, repórter do GD

Médico Wanderlei Pignati, professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que pesquisa impactos do uso de venenos agrícolas em regiões fortes do agronegócio no Estado, alerta autoridades de Sorriso (420 quilômetros ao Norte de Cuiabá), que estão investigando a série de cinco óbitos fetais na cidade, para a possibilidade do fenômeno ter ocorrido por contaminação química. (mais…)

Ler Mais

Luta e resistência no campo: o caso Zé Maria do Tomé

No último dia 22 de fevereiro, durante Sessão da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), o desembargador Francisco Martônio Vasconcelos, relator do recurso impetrado pela defesa, votou pela absolvição dos acusados pelo assassinato do líder rural José Maria de Tomé. A sessão foi suspensa quando o desembargador Haroldo Máximo, presidente da Câmara, pediu vistas do Processo

CPT

A região do Vale do Jaguaribe[1], no Ceará, tem sido afetada por um intenso processo de reestruturação do espaço social nos últimos 30 anos afetando diversas comunidades rurais dos municípios onde se instalaram empresas do agronegócio, a partir da implantação de projetos de infraestrutura hídrica e projetos públicos de irrigação, financiados pelos governos federal e estadual, através de instituições como o Banco Mundial, que tornaram a região em um modelo de agricultura capitalista no estado do Ceará (SILVA, 2016). (mais…)

Ler Mais

MST promove 14ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz Agroecológico no RS

Movimento Sem Terra estima colher mais de 27 mil toneladas do alimento na safra 2016-2017

Por Catiana de Medeiros, da Página do MST 

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Rio Grande do Sul realiza, na próxima sexta-feira (17), a 14ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz Agroecológico. O evento será realizado na sede comunitária da Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita, localizada no Assentamento Capela, no município de Nova Santa Rita, a 40 quilômetros de Porto Alegre. (mais…)

Ler Mais

Agrotóxicos: Rio Juruena contaminado

Pelo menos 20 milhões de litros de agrotóxicos contaminam a água, os peixes e ameaçam a vida dos moradores na sub-bacia do Juruena

Por Dafne Spolti, na OPAN*

Cuiabá-MT – Enquanto imponentes imagens das plantações de soja e algodão de Mato Grosso viajam mundo afora em catálogos e revistas, a sub-bacia do rio Juruena, que abriga algumas das maiores e mais lucrativas propriedades exportadoras de grãos do Brasil, fica encoberta. Não se conhece sua beleza, que é difícil conter em palavras, nem os povos que utilizam seus rios para beber água, tirar o peixe e viver intensamente sua cultura. Por isso mesmo, pouco se fala sobre como o carro-chefe da economia do país é nocivo não só para um dos locais mais exuberantes do Cerrado, as nascentes da bacia do Tapajós, mas para a saúde de quem vive ali. (mais…)

Ler Mais

Mortandade de abelhas por agrotóxicos põe em risco produção de alimentos e biodiversidade

Mais do que produzir mel, elas são fundamentais na polinização de mais de 70% das culturas agrícolas, da flora e têm papel importante na preservação das matas e florestas

por Cida de Oliveira, da RBA

A pulverização indiscriminada de agrotóxicos por via área é responsabilizada pela mortandade de colônias inteiras de abelhas de várias espécies em apiários (criadores de abelhas) e meliponários (produtores de mel) registradas em todo o país, o que coloca em risco a produção de alimentos, a manutenção de matas e florestas e a biodiversidade. A proibição da prática no estado de São Paulo, contrariando interesses do agronegócio, foi tema de audiência pública realizada na tarde desta segunda-feira (6) pelo mandato do deputado estadual Padre Afonso Lobato (PV), na Assembleia Legislativa de São Paulo.  (mais…)

Ler Mais

Glifosato: o veneno está em todo lugar

Altas doses do herbicida da Monsanto foram encontradas em alimentos nos EUA e consumidos em várias partes do mundo, inclusive no Brasil

Por Inês Castilho* – De Olho Nos Ruralistas

O primeiro teste em alimentos para resíduos de glifosato realizado por laboratório registrado na Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) encontrou níveis alarmantes de contaminação em produtos dos mais tradicionais no país e mostrou o quão inadequada é a regulação dos resíduos de pesticidas. O estudo Glifosato: inseguro em qualquer prato, feito pelo laboratório de testes de segurança alimentar Aresco por solicitação do Food Democracy Now! e The Detox Project, reuniu também pesquisas independentes, realizadas em outros países, que chegaram aos mesmos resultados. (mais…)

Ler Mais

Haagen-Danz, Temer e o país do agronegócio

Psicopolítica dos Alimentos: o poder da indústria na definição do que comemos – seja um pote de sorvete ou um copo de cerveja transgênica

Por Juliana Dias* – Outras Palavras

A marca Häagen-Dazs foi criada pelo imigrante polonês Reuben Mattus em de New York, em 1961. A embalagem trazia um mapa da Dinamarca e o nome das cidades de Copenhagen e Oslo, sugerindo que o sorvete de origem escandinava. Na verdade, Häagen-Dazs não quer dizer grande coisa em línguas nórdicas, porém, o visionário criador da marca utilizou uma estratégia de marketing chamada foreign branding com a finalidade de aproveitar o valor que os consumidores costumam dar a produtos que parecem estrangeiros. O nome permitia criar histórias sobre as origens do produto. A estratégia de posicionamento da marca foi clara para o seu criador desde o início: o segmento de luxo. O senhor Mattus estava convencido de que o consumidor pagaria mais pelo prazer de comer um sorvete premium, “estrangeiro”, feito com ingredientes de primeira. Na época, a Dinamarca era reconhecida pela alta qualidade de seus produtos lácteos e os países escandinavos tinham uma imagem positiva nos Estados Unidos. (mais…)

Ler Mais

Vitória da Imperatriz, derrota do Agronegócio e da Globo

Ao contrário de todos os enredos que mencionam os índios desde que existe carnaval no Brasil, o samba deste ano da Imperatriz toca num ponto central (que é central desde que existe o Brasil): a luta pela terra

Por Alan Tygel, Da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida 

Independente do resultado oficial, o Carnaval de 2017 já tem uma escola vencedora: Imperatriz Leopoldinense. A escola do bairro de Ramos, no subúrbio do Rio de Janeiro, já começou fazendo história muito antes de seus integrantes colocarem os pés na Sapucaí, na noite do último sábado. (mais…)

Ler Mais