Índios fazem protesto em delegacia de MT após prisão de ladrões que mataram professor indígena para roubar R$ 20

Daniel Kabixana, de 38 anos, desapareceu depois de sair da aldeia para fazer um depósito bancário. Dois jovens e um adolescente foram detidos e confessaram o latrocínio.

No G1 MT

Índios da etnia Tapirapé protestam, nesta terça-feira (30), em frente a delegacia de Confresa, a 1.160 km de Cuiabá, após a prisão de assaltantes que mataram um professor indígena para roubar R$ 20. O corpo de Daniel Kabixana, de 38 anos, foi encontradona segunda-feira (29). Ele estava desaparecido desde o dia 16 de janeiro.

Com bordunas nas ruas, os índios cobram justiça e entoam canções. Segundo a Polícia Civil, eles estão diálogo com o delegado responsável pelo caso. A manifestação é pacífica.

Dois homens de e um adolescente foram detidos pelo assassinato e apontaram o local onde o corpo foi deixado. De acordo com a Polícia Civil, os três confessaram o crime e disseram que assassinaram o indígena a pedradas.

Os presos devem responder por latrocínio, roubo seguido de morte.

Daniel Kabixana

À polícia, eles confessaram que cometeram o crime para roubar R$ 20 da vítima e uma motocicleta. A Polícia Civil informou que solicitou um exame de DNA do corpo, que estava em estágio avançado de decomposição.

Daniel havia saído de casa para realizar um depósito bancário. O indígena trabalhava como professor de matemática na Aldeia Hawalorá, localizada em Santa Terezinha, a 1.329 km da capital, na mesma região do Baixo Araguaia.

Índios fazem protesto em frente a delegacia em Confresa (MT)

Comments (1)

  1. lo mataron a pedradas x tan poco x ser indio.

    garantiza la impunidad!

    en todo el brasil; pero en el norte aun más…

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

quinze − dois =