Parque idealizado por crianças e jovens em oficina do ONU-Habitat será construído em Maceió

ONU Brasil

O governador de Alagoas, Renan Filho, anunciou, na última sexta-feira (21), o início da construção do Parque Linear da Grota do Cigano, que será instalado em uma das entradas do maior assentamento informal da capital do estado, Maceió. Uma oficina de desenho de espaços públicos realizada pelo Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) Brasil em 2018 contribuiu com pontos essenciais do projeto final. A atividade envolveu 30 moradores da comunidade, que apontaram o que gostariam de ver no futuro parque público. Muitas das sugestões levantadas na oficina se tornarão realidade agora neste projeto de R$ 1,8 milhão, financiado pelo governo alagoano e pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). O resultado será um espaço de convivência compartilhado pela Grota do Cigano e pelos moradores dos bairros adjacentes, conectando bairros e comunidades, mitigando a segregação espacial e social na cidade.

Para realizar a Oficina de Desenho de Espaços Públicos na Grota do Cigano, o ONU-Habitat Brasil usou a metodologia Block by Block (Bloco por Bloco, em português), implementada desde 2012 em mais de 37 países. A estratégia consiste em utilizar o jogo Minecraft – popular entre jovens de todo o mundo – para possibilitar que moradores de áreas urbanas visualizem e colaborem em projetos de desenho e qualificação de espaços públicos. A ferramenta permite que o usuário construa virtualmente o espaço de acordo com suas próprias necessidades e desejos, podendo incluir de postes de iluminação pública a restaurantes e quadras de esporte.

A primeira etapa da oficina envolveu a visita à área que abrigará o futuro parque, ativando um olhar de intervenção por parte dos 30 jovens e crianças selecionados para a atividade. Em seguida, os participantes foram divididos em trios com diversidade etária e de gênero. Com diferentes perspectivas em um mesmo grupo, os moradores exercitaram a escuta e negociação de ideias, elemento fundamental no planejamento de espaços públicos. Após as discussões, as dez equipes passaram suas sugestões para o ambiente virtual através do Minecraft. Por fim, os moradores apresentaram suas ideias aos engenheiros e arquitetos do governo de Alagoas, responsáveis pelo projeto do parque.

“Estamos representando um todo, a voz de várias pessoas. Acho uma oficina bastante importante; ouvir a nossa voz, ouvir o que a gente quer para a nossa comunidade”, destacou o morador da Grota do Cigano e participante da oficina Erick Wagner.O ONU-Habitat Brasil analisou todos os modelos criados pelos moradores e sistematizou as contribuições em uma matriz de necessidades, que destacou as prioridades da comunidade de acordo com os elementos mais frequentes. O documento foi uma das principais referências para a elaboração do projeto pela Secretaria de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (SETRAND) de Alagoas.

O espaço de 6.156,67m², com previsão de entrega ainda em 2021, contará com uma área de convivência e diversas opções de lazer e prática de atividades físicas: playground, jogos de tabuleiro, equipamentos de esporte, com duas quadras poliesportivas, academia ao ar livre, pista para caminhada, basquete e bicicletário. O projeto inclui ainda a construção de uma nova unidade da Clínica da Família, capaz de atender cerca de 15 mil pessoas.

“Há uma clara falta de espaços para convívio urbano na capital. Isso é visto por todos, mas o enfrentamento só se faz abrindo definitivamente um novo local. Isso é o que nós estamos fazendo aqui, agora”, declarou o governador Renan Filho sobre o projeto.

Ampliar o uso de espaços públicos e envolver a população nesse processo é uma diretriz prioritária para o ONU-Habitat. Nas grandes cidades, as pessoas encontram, de forma orgânica, suas próprias formas de ocupar áreas urbanas livres – no caso da Grota do Cigano, o espaço do futuro parque já é utilizado atualmente como campo de futebol improvisado. No entanto, é necessário fornecer ferramentas e oportunidades para a qualificação desses espaços que permita um uso mais seguro e inclusivo, seguindo desejos e necessidades da comunidade.

“Dados do Índice de Prosperidade de Maceió, calculado pelo ONU-Habitat em 2019, apontam que mais de 40% dos maceioenses não possuem um espaço público aberto perto de casa. A criação desse parque irá melhorar esse indicador. Além disso, a localização do parque, entre bairros residenciais formais e a Grota do Cigano, criará um espaço de convívio compartilhado que poderá conectar melhor o tecido urbano, juntar as pessoas e diminuir a segregação espacial em Maceió”, ressaltou o analista de programas do ONU-Habitat Brasil, Jônatas de Paula.

A Oficina de Espaços Públicos faz parte de um programa mais amplo de cooperação do ONU-Habitat Brasil com o governo do estado de Alagoas. Desde 2017, a iniciativa tem buscado somar esforços com as autoridades locais na promoção do desenvolvimento urbano sustentável através da produção de dados, diagnósticos e sugestões de políticas públicas para os territórios mais vulneráveis do estado. A parceria visa deixar um legado de transformações que torne as cidades alagoanas mais inclusivas, acessíveis e seguras para todos e todas.

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

1 × 5 =