Em Pernambuco, Lula recria oficialmente Programa de Aquisição de Alimentos (PAA)

Evento realizado ontem, 22, contou com presidente Lula assinando o Relançamento do PAA e a recriação do Condraf em Recife

Por Francisco Terto e Fernanda Alcântara, na Página do MST

Diz a tradição que, quando chove no feriado de São José, a colheita é farta. Assim, após dias chuvosos em todas as grandes regiões do estado de Pernambuco, animando os camponeses e camponesas entorno do feriado de São José (19), a atmosfera ficou ainda melhor da certeza de uma boa colheita esse ano e o relançamento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Neste 22 de março, o estado de Pernambuco contou com a presença do presidente Lula o relançamento oficial do programa que busca fortalecer a comercialização dos assentados (as), agricultores (as), povos originários e comunidades tradicionais.

Uma nova versão do PAA

Um dos pontos fortes do evento foi um mosaico gigante feito pela Brigada Dom Helder Câmara/Recife, do MST em Pernambuco, com caixas de alimentos que formavam a sigla PAA. Para montar a estrutura do mosaico e a feira da agricultura camponesa, foi preciso 60 toneladas de alimentos, que logo após o evento foram destinados para doação às famílias da periferia.

Lula chegou ao Ginásio do Geraldão por volta das 16h30, acompanhado de uma comitiva de ministros e ministra, da governadora Raquel Lyra, do prefeito do Recife João Campos, além de convidados aliados partidários. Representando o MST, estiveram presentes Jaime Amorim e a Fetape Cícera Nunes, que tiveram uma fala duante a mesa.

O Ministro Paulo Teixeira, do MDA, anunciou o valor de 500 milhões em parcerias com os governos dos estados e governos municipais via MDS e Conab para potencializar a produção e comercialização dos assentamentos da agricultora familiar no país.

Diversas caravanas organizadas pelo MST comparecerapara o ato com Lula, como a Regional Metropolitana, brigadas urbanas do MST em Recife, Litoral Norte Regional, Mata Norte e Regional Galileia (Vitória de Santo Antão e entorno). Outra parte da militância do Movimento chegou no Geraldão em outros transportes, compondo um número de aproximadamente 800 militantes Sem Terra no Ato de Relançamento do PAA.

O presidente destacou a tarefa de todos estão no evento é ajudar a eliminar a fome em Pernambuco ‘Não vou desistir até o povo comer três vezes por dia’, disse.

Solidariedade Sem Terra

O ato de relançamento também impulsiona doações e ações de solidariedades para suplantar de vez a fome, herança do último governo. “A prioridade número zero do MST é ajudar a acabar com a fome no Brasil. E o PAA vem para ajudar a cumprir esse grande objetivo que é produzir alimento saudável para a mesa dos brasileiros”, afirma Paulo Mansan, da direção do MST em Pernambuco.

Pernambuco foi o estado escolhido pelo Presidente para relançamento do programa sobretudo pelas ações de solidariedade da doação alimentação. Durante o período da pandemia do Covid-19, e ainda em 2020, a campanha Mãos Solidárias levava marmitas para população de rua. Hoje, a campanha já tem quatro cozinhas populares na Grande Recife e chegou alcançar uma marca dede quase um milhão e setecentas mil marmitas doadas em todo o estado de Pernambuco, sendo a maioria dos alimentos oriunda das áreas de reforma agrária e doações de amigos (as) da cidade.

O PAA

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é uma iniciativa do governo federal que visa promover a segurança alimentar e nutricional das famílias em situação de vulnerabilidade social, bem como fortalecer a agricultura familiar e a economia solidária.

O programa funciona por meio da compra direta de alimentos produzidos por agricultores familiares, assentados da reforma agrária, comunidades indígenas e quilombolas, entre outros grupos. Esses alimentos são destinados a entidades socioassistenciais, como creches, escolas, hospitais e abrigos, ou distribuídos às famílias em situação de insegurança alimentar.

“[O PAA] consegue garantir que a família do campo tenha uma renda adequada, que consiga garantir que consiga produzir um alimento saudável, permitindo então que o camponês fuja do intermediário, que normalmente fica com todo o fruto do suor e do trabalho do camponês“, lembra Mansan.

Entre as principais mudanças feitas no programa está o aumento do limite de compra por agricultor familiar: passará de R$ 6.500 para R$ 10.000 por ano; Ampliação das modalidades de compra: além da compra direta com doação simultânea, haverá também a compra antecipada com estoque público e a compra para formação de estoques pela própria agricultura familiar e; Diversificação dos produtos adquiridos: além dos alimentos básicos, como arroz, feijão e leite, o programa passará a comprar também produtos orgânicos, agroecológicos e da sociobiodiversidade.

O relançamento do PAA é uma medida importante para garantir o direito humano à alimentação adequada e saudável, bem como para valorizar os pequenos produtores rurais que contribuem para a preservação do meio ambiente e para a soberania alimentar do país.

“Um grande problema que nós temos no campo é a dificuldade de comercialização. Além dos assentados, dos agricultores familiares, o que ajuda a dar segurança, motivar e incentivar a tornar o campo um lugar melhor de se viver, garantindo a compra dos produtos, a compra garantida dos produtos dos camponeses”, conclui Mansan.

Ao lado de agricultores e representantes de movimentos populares, Lula relançou o PAA em Pernambuco nesta quarta. Foto: Ricardo Stuckert

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

8 + 12 =