Terra à vista no Matopiba

Nos últimos 15 anos, área de cerrado do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia foi alvo de grandes aquisições de terras por investimentos estrangeiros; em algumas regiões o preço do hectare teve índices superiores a 270% de valorização real

Ciro Barros, A Pública

“A aquisição de terras de um país por governos e empresas estrangeiros é um processo que ocorre há vários séculos, porém, podemos detectar fases específicas nas diferentes histórias e geografias destas aquisições. Uma mudança importante teve início em 2006 e foi marcada por um rápido aumento no volume e na expansão geográfica das aquisições estrangeiras.” Assim a socióloga holandesa-americana Saskia Sassen, professora da Universidade de Columbia e da London School of Economics, uma das principais pensadoras sobre o tema, inicia o segundo capítulo do livro Expulsões (Paz e Terra, 2015), intitulado “O novo mercado global de terras”. (mais…)

Ler Mais

Nos baixões do Piauí, paga-se o preço do progresso do Matopiba

Na região conhecida como Matopiba, empresas de agronegócio compram terras com títulos duvidosos e entram em conflito com comunidades do cerrado; no Piauí, os relatos são de expulsões de famílias, incêndios de casas e contaminação dos rios

Por Ciro Barros, A Pública

O reflexo da soja deixa ainda mais verdes os olhos cheios de água da agricultora Reginalda Santos da Silva. O olhar é fixo no entrevistador e a voz firme só se interrompe com o sacolejo do carro nas estradas esburacadas que cortam o cerrado do Piauí. Um cheiro que lembra vinagre invade o veículo. Os olhos ardem, a garganta seca. “Esse mesmo cheiro que você tá sentindo aqui, quando eles tão jogando veneno, você sente na água lá na comunidade”, conta Reginalda. (mais…)

Ler Mais

Romaria promove encontro de trabalhadores rurais e urbanos em Cuiabá e lança carta aberta

Com o tema “Direitos humanos não se pede de joelhos, exige-se de pé!” cerca de 500 pessoas de 30 cidades do Mato Grosso estiveram reunidas, em Cuiabá, entre os dias 1º e 2 de maio para primeira Romaria da Terra e das Águas e 29ª Romaria dos Trabalhadores e Trabalhadoras.

Por Caio Mota, na CPT

A ação organizada pela Comissão Pastoral da Terra do Mato Grosso (CPT-MT) uniu trabalhadores do campo e da cidade para realizar uma série de atividades de formação e mobilizações, que terminaram com uma grande marcha de mais de cinco quilômetros pelas ruas de Cuiabá. (mais…)

Ler Mais

Mujeres rurales e indígenas como protagonistas del desarrollo

Servindi

La Comisión de la Condición Jurídica y Social de la Mujer (CSW, por sus siglas en inglés) centró este año su atención en el empoderamiento de las mujeres y niñas rurales y elaboró una serie de recomendaciones.

El 62 período de sesiones de dicha comisión tuvo lugar del 12 al 23 de marzo de 2018 en la Sede de las Naciones Unidas en Nueva York y destacó la importancia de garantizar sus derechos.  (mais…)

Ler Mais

México: 50 anos depois de 1968 e a tarefa de não esquecer os herdeiros perpetradores da repressão. Entrevista especial com Larissa Jacheta Riberti

por Wagner Fernandes de Azevedo, em IHU On-Line

A próxima eleição presidencial mexicana, marcada para 3 de junho deste ano, coincide com os 50 anos do Massacre de Tlatelolco, que ocorreu em 2 de outubro de 1968, considerado “a expressão máxima de um Estado autoritário, da prática repressiva em nome da hegemonia priista” e “um dos episódios mais tristes da história mexicana”, diz a historiadora Larissa Jacheta Riberti à IHU On-Line. Segundo ela, no atual contexto eleitoral, em que o Partido Revolucionário Institucional – PRI do atual presidente Enrique Peña Nieto voltou ao poder em 2012, depois de ter governado o país entre 1929 e os anos 2000, “ativar a memória sobre o Movimento Estudantil de 1968 é uma ação importante para que possamos promover debates sobre o que representou a mobilização daquele momento e suas críticas a um modelo político e partidário que, já naquela época, encontrava-se esgotado”. (mais…)

Ler Mais

Exigimos que os direitos dos campesinos e campesinas sejam garantidos. Basta de TLC, basta de impunidade!

Nesse dia, a Via Campesina também denunciou as sistemáticas e alarmantes violações dos direito fundamentais dos camponesas e das camponesas em todo mundo

Da Via Campesina / MST

Via Campesina, Harare, Zimbábue.

Após duas décadas, os Tratados de Livre Comércio (TLC) avançam em uma tentativa de recolonização e subordinação; depois de 22 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás no Brasil, a Via Campesina denuncia a impunidade, cúmplice da violência, e convoca uma  resistência organizada contra esses tratados que tentam se apropriar dos nossos bens naturais e mercados locais a fim de favorecer o capital transnacional e o agronegócio aliados ao silêncio acobertador dos Estados. (mais…)

Ler Mais

17 de abril: o que inspira o massacre de Carajás a novos projetos de lei, por Jacques Távora Alfonsin

No Sul21

No dia 17 de abril de 1996 foram assassinados 19 agricultores sem terra, pela força pública do Pará, em Eldorado do Carajás. Repetia-se mais um dos muitos conflitos por terra e pelo atraso na implementação da reforma agrária que a nossa história registra.  A violência da repressão policial a esse contingente de povo com direito de acesso a terra foi de tal ordem que repercutiu no mundo todo, ao ponto de a data passar a ser lembrada como dia internacional da luta campesina, uma espécie de “1º de maio do campo.” (mais…)

Ler Mais

Crescem violência e assassinatos de trabalhadores em conflitos no campo

Segundo a CPT, foram ao menos 70 mortes violentas no ano passado, maior número desde 2003. A própria Pastoral tem sofrido ataques virtuais e cita criminalização das organizações sociais

por Redação RBA

O número de assassinatos em conflitos no campo chegou a 70 no ano passado, segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT), o mais alto desde 2003, com crescimento de 15% sobre o ano anterior. Esse total pode ser ainda maior. A Pastoral, que tem sofrido ataques virtuais, destaca quatro massacres ocorridos na Bahia, Mato Grosso, Pará e Rondônia, além da suspeita de um quinto no Amazonas, o que faria crescer em pelo menos 10 o total de vítimas. (mais…)

Ler Mais

Omissão de informações e violação de direitos humanos – O que a Vale esconde de seus acionistas

Articulação Internacional de Atingidas/os participou de assembleia da companhia; Principais empreendimentos da mineradora estão sob riscos por causa de processos judiciais

Por Articulação Internacional das Atingidas e Atingidos pela Vale

O movimento da mineradora Vale de se consolidar no Novo Mercado, com maior transparência e eficiência na forma como opera, esconde uma série de violações de direitos humanos, que também representam um grave risco para os investidores da companhia. Na assembleia de acionistas da empresa, nesta sexta-feira (13), no Rio de Janeiro, a Articulação Internacional das Atingidas e Atingidos pela Vale mostrou como a empresa tem causado mortes, expropriação de territórios e danos à saúde e ao meio-ambiente em empreendimentos como a mina de níquel Onça Puma e no Projeto S11D, que se encontram ameaçados por ações judiciais já em curso, estando a mina de níquel com suas operações paralisadas desde outubro de 2017. (mais…)

Ler Mais

Día Internacional de las Luchas Campesinas 2018: ¡Llamado de La Vía Campesina a articular acciones unitarias descentralizadas!

¡Por tierra y por la vida! ¡Basta de Tratados de Libre Comercio, basta de impunidad!

(Harare, 10 de Abril de 2018) Este 17 de Abril, Día Internacional de las Luchas Campesinas, La Vía Campesina rememora la masacre de los 19 Sin Tierra que fueron impunemente asesinados por el agronegocio #AgroMata. En un solo puño de coraje y rebeldía llamamos a nuestras organizaciones miembros, aliadxs, amigxs y pueblo organizado a unificar toda clase de acciones de resistencia, a escala global, por la Tierra y el agua en contra de los Tratados de Libre Comercio (TLC) y en contra de la criminalización de las luchas sociales. (mais…)

Ler Mais